quarta-feira, 18 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: LUZ E SOMBRA

SINOPSE: Virgílio é um engenheiro carioca, entediado, taciturno, que nunca amou ninguém e tem na restauração das antigas fazendas de café a sua única paixão. Em uma visita à Inocência, ele se encanta por Olympia, filha de um barão, representada ao lado da irmã gêmea em um quadro do século 19. O olhar azulado da moça o atrai de uma maneira obsessiva e aos poucos ele se envolve em trama cada vez mais absurda com joias misteriosas e uma inusitada carta. Ao tentar descobrir o que as linhas amareladas escondem, Virgílio se encontra em um emaranhado de artimanhas e chantagens, amor e ódio, onde o ontem e o amanhã se confundem durante um cruzeiro pelo Atlântico no ano de 1873 e o poder da luz sobre as sombras surge nos lugares, nas pessoas e nas atitudes mais improváveis.


UAU!! Foi à primeira coisa que falei ao ver a capa do livro de hoje! Luz e Sombra é uma história linda com uma capa linda! Outra coisa e amei, a trama possui viagem no tempo!  Borá lá? Luz e Sombra da autora Anaté Merger é uma história cativante, envolvente e com uma pitada de mistério e magia. A trama mostra ao leitor que para o amor não há limites e nem barreiras. Anaté dividiu seu livro em 3 partes,  assim ficou mais claro para o leitor entender o enredo da história.


Não suportaria mais resistir à voz que gritava em alto e bom som que ele estava apaixonado. Apaixonado por um fantasma...

Virgílio é um engenheiro bem famoso, que mora no Rio de Janeiro. Muito calmo e reservado. Entretanto, ele namora Clara, uma mulher egoísta que adora deixar Virgílio nervoso. Juro! Clara é um chata!! Como deve imaginar, o relacionamento deles não está lá nos melhores momentos... Tudo piora quando o casal sai em uma viagem de navio. E justamente na tal viagem que nosso protagonista percebe que seu relacionamento não está bem. Durante a tal viagem Virgílio sofre um acidente e passa a sonhar com uma mulher desconhecida, porém que despertava grandes sentimentos em seu coração. Virgílio trabalha com revitalização fazendas, e certo dia ele recebe a proposta de comprar uma fazenda chamada "Inocência" - localizada no interior do Rio de Janeiro.  Mal chega à fazenda para conhecer e analisar tudo por lá, só que a chata da Clara já está fazendo o inverno querendo ir embora (ôh mulher chata!).


Virgílio a viu, mas a imagem que despertou o amor nos meninos, a saudade no velho e que também poderia criar as mais variadas fantasias e desejo em muitos homens, fez com que ele tivesse uma antiga e inexplicável impressão: de que Clara não era e nem poderia ser a mulher para ele.
Clara sendo a desagradável, deu um “tiro no próprio pé” ao destruir a obra de arte mais famosa da fazenda – o retrato das gêmeas, filhas do Barão Antunes. Com tal atitude da então namorada, Virgílio conclui que seu namoro já destinado ao fracasso deveria de terminar. Lembra que falei que a história tinha uma apitada de mistério e magia? Pois bem, ao encontrar tal obra de arte, o coração do jovem engenheiro bate mais forte, pois Virgílio tem a mais absoluta certeza que a tal mulher que ele vem sonhando é Olympia, uma das gêmeas que viveram no século XIX que se encontrava retratada naquela pintura.


Ele amava Olympia como nunca tinha amado nenhuma outra mulher e ao mergulhar no seu olhar ele viu que ela sentia o mesmo.

Desse ponto em diante a trama toma rumos surpreendentes que prendem o leitor do começo ao fim. Cada página, o desejo por saber como se daria esse amor do protagonista Vigílio pela jovem Olympia só foi aumentando. A escrita da autora é leve e tranquila. Se você gosta de histórias com um toque de coisas sobrenaturais (viagem no tempo), com toda certeza irá gostar de Luz e Sombra.


Tudo o que nos pertence sempre acaba nos encontrando.

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
25 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!

terça-feira, 17 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: GAROTAS DE VIDRO

SINOPSE: Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda. Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.



O livro é sobre garotas de verdade que acham que não são de verdade. Garotas que não conseguem mais ver-se como são porque seu mundo desmoronou e o equilíbrio emocional e psicológico tornou-se patológico. Bem, o livro trata de temas delicados, cuja discussão faz-se necessária: Distúrbios Alimentares e a busca incessante pela perfeição física. Trata ainda de temas como a morte e problemas familiares.


Lia e Cassie, melhores amigas, penetram no mundo perigoso da bulimia, anorexia e todas as suas conseqüências ao apostarem quem conseguirá ficar mais magra. Ocorre que não apenas a busca pela magreza as leva a essa "viagem sem volta", mas tantos outros problemas que vão surgindo e contribuindo para que elas afundem cada vez mais. Com a morte de Cassie, Lia sente culpa, remorso e fica cada vez mais instável.


Chega a ser chocante a relação de Lia com a comida, a alimentação de forma geral. Esta habitua-se a contar as calorias de tudo que ingere. Confesso que demorei um pouco a mergulhar na escrita da autora, que escreve em primeira pessoa e mistura os fatos à visão desfocada da realidade de Lia. O livro traz reflexões e esperança a quem de alguma forma se vê envolvido neste tipo de distúrbio. Serve também de alerta a todos nós. #Recomendo


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: SIMONE TORRES
40 anos, sou Pedagoga, Teóloga e Artesã. Leitora compulsiva, cinéfila e amante dos animais. Fazer arte é o que mais amo depois de ler.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: O CANTO DA CORUJA

SINOPSE: Suindara mora na floresta sozinha desde que seus pais morreram. A garota esconde da vila onde mora o segredo que pode causar sua morte: Suindara pode se transformar em coruja. Para os moradores daquele pequeno reino, as corujas são malditas, pois, segundo a maldição que amedronta a todos, sempre que uma coruja pia uma pessoa morre. Por causa disso eles caçam e matam todas as corujas que encontram. Suindara sabe que se eles descobrirem que ela é a última coruja branca, sua vida pode chegar ao fim! O que ela ainda não sabe é que existe uma bruxa por trás da maldição e esta não vai descansar até ter a última coruja branca.


Reza a lenda que quando se fala sobre coruja muitos acreditam que elas trazem a Morte, não seria diferente no livro O Canto da Coruja da escritora nacional Michaelly Amorim - Editora Sekhmet. Essa historia se passa em um reino chamado Vila Real, um reino muito pequeno, onde o Rei e a Rainha se fazia presente na vida dos aldeões e viviam seus dias sem medo. Em uma noite, durantes os festejos de fim de ano, um grito foi ouvido, não o grito de uma pessoa, mas sim o grito de uma coruja que estava pairando acima da Rainha. No momento os aldeãos não deram importância, porém na lua cheia que se seguiu, a Rainha foi encontrada morta e sem coração. A Maldição então foi ouvida pela primeira vez.


“Uma canção de morte sobre sua cabeça entoará
O grito da coruja seu destino selará
A cada sete anos, doze gritos se seguirão
Uma chamada a cada lua servirá de marcação
Apenas com o fim do mal esse tormento cessará
Pois a morte com a morte se deve pagar
Ou depois de sete anos o sofrimento voltará.”

O canto da coruja traz em si um romance misto fantasia, misto realidade e misto era londrina, onde se vê carruagens, reis e rainhas, condes e condessas e o mais incrível a escrita através de tinteiro e pena. Falo sobre misto de tudo, pois na fantasia foi abordado o tema de humanos se transformarem em espécies de animais e na parte da realidade a escrita se mostra um tema específico de muitos romances atuais, homens bonitos, sarados e damas que usam de tipo de roupas e produtos que na época não se existia, como por exemplo, cremes para pele ressecada, pode ser ingenuidade minha, mas não consegui separar partes do que é real ou não... (risos)


Mas enfim, voltemos sobre a parte boa do livro, o enredo em si fala sobre romance e trabalho em equipe, que durante o decorrer da leitura se vê que quando se tem ajuda, tudo flui para a vitória. No enredo temos Suindara Furgata, que desde muito nova sofreu perdas familiares em sua vida que nos fazem questionar, puxa só desgraça acontece com essa menina, mas não, tudo tem o tempo certo para acontecer. O que ninguém sabe é que Suindara é a única coruja branca que sobreviveu, então vive isolada na floresta, pelo medo de piar perto de alguém e esse alguém morrer ou até mesmo o medo de ser caçada. Buscam incessantes ordenadas pela nova rainha Morgana, que após a morte da primeira Rainha, enfeitiçou o rei e transformou toda a vila em descontentamento. O que não esperava era o caçador se apaixonar pela sua caça.


“Não estaríamos aqui se você não tivesse desarmado minhas armadilhas. Agora terei que comer sopa de legumes no jantar.”

O bom de Suindara que ela é típica as mulheres que quando se fala NÃO FAÇA, aí que ela vai lá e faz, tanto que como protetora dos animais desarma todas as armadilhas encontradas na floresta, deixando um caçador bonito muito irritado. O livro nos prende de uma maneira interessante e que leitora não iria se interessar com dois homens bonitos e sarados no enredo, um deles é seu primo Ricardo que até então não sabia da existência da prima. E o outro o Caçador, mas genteee que caçador é esse??? Moreno, sarado e pra variar mulherengo, mas que cai de amores pela nossa mocinha Suindara. Adoro livros quando se tem uma criança que fala mais que a boca ou alguma senhora que não tem papas na linha, como a avó Shamara que também não sabia da existência da neta. Mas o legal é que Juntos a Suindara, a avó Shamara, Ricardo e o Caçador vão fazer de tudo para provar que a maldição sobre as corujas não são reais e que tem alguém por trás dessa maldição.


“Velha um ova! Eu te mostro já quem é a velha! – Ela disse se soltando do abraço e puxando sua orelha”.


PARA COMPRAR "O CANTO DA CORUJA" NA AMAZON CLIQUE AQUI!


RESENHA ESCRITA POR: VANESSA RANDO
31 anos, enfermeira, moro em Piracicaba (interior de SP) e os livros são minha vida. Quando não estou cuidando da saúde das pessoas, gosto de entrar em um mundo imaginário e esquecer os problemas da vida real.

VITAMINAS:


sábado, 14 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: O CUPIDO BEBEU

SINOPSE: Oi! Eu sou a Chay, a amiga não muito louca da Mônica, e vim aqui contar a história dela com o Eduardo. É isso mesmo que você leu, EDUARDO. Cara, eu estou rolando de rir com isso. Como uma boa amiga que sou, coloco para tocar Legião Urbana sempre que posso. Bem, era isso que ia contar, mas no meio do caminho virou a história de Chay e Quim. Não sabe quem é esse aí? Joaquim, ou Quim, ou Quindim – só eu posso chamá-lo assim, ouviram bem? Ou melhor, leram bem? Enfim, só eu ––, o chefe da minha amiga, um gostoso, mas que é um chato de galocha. Onde eu fui amarrar meu burrinho, senhor? No meio das nossas histórias conturbadas de amor, Momo – minha linda e maravilhosa amiga – está recebendo uns presentes estranhos de algum ex-namorado perseguidor babaca que irei dar na cara. Bem, espero que gostem dessa nem um pouco louca história. Baseado em fatos não tão reais assim.


“Quem um dia irá dizer
Que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração?”
(Eduardo e Mônica – Legião urbana)

Nunca li nada do gênero! O Cupido Bebeu é um livro de romance adulto escrito com muito humor e cheio de referências. A autora Gil Fox, que já tem vários contos e historias disponíveis na plataforma Wattpad, soube criar uma trama maravilhosa em poucos capítulos e nos trazer uma história cheia de emoção e muito humor, sendo impossível deixar de ler até o final! A história traz um quarteto de personagens principais: Charlene, mais conhecida como Chay, Mônica ou Momo como sua melhor amiga; Temos cara perfeito Joaquim, ou Quin e por último, mas não menos importante, Eduardo ou Duuuuu.


Chay é uma mulher super segura de si, que defende a melhor amiga com unhas e dentes conforme alguns acontecimentos mais perturbadores se desenrolam na trama. Apesar de todos os preconceitos por ser gorda, negra ou preta como ela mesma se refere, e ser a menina dos computadores, Charlene nunca deixa se abalar e se destaca como ninguém onde quer que vá por sua espontaneidade e seu prazer de ser quem ela é. Já Mônica, é a moça dos relatórios, e insegura em relação a seus sentimentos mais profundos, principalmente quando se trata de relacionamentos amorosos. Momo teve a muitos anos um relacionamento abusivo que por ela mesma já havia dado como encerrado a três anos atrás, mas parece, depois de receber uma encomenda, que nada estava como ela pensava que estava.


O novato Eduardo é um engenheiro que não desgruda os olhos de Mônica, mas ele mal sabe qual são seus pensamentos sobre isso. Joaquim é um dos chefes da empresa, ruivo, alto e muito em forma, o tipo de cara com que várias mulheres topariam sair sem cogitar perguntar até mesmo seu nome e não é diferente com nossa caríssima Chay, que há três anos está de olho nesse rapaz. Será que ele também tem olhos para ela? Qual será o futuro desses dois? A leitura é muito fluída e a autora emprega uma linguagem mais informal na conversa entre os personagens e os pensamentos da nossa protagonista, isso faz com que se crie um vínculo único entre a trama e o leitor. A história é imperdível e não trará arrependimentos a quem ler, garante muitos risos e tiros de flecha haha! OBS: Está rolando um sorteio de lindos marcadores de páginas na página do Blog Verdades e poesias, para participar clique aqui!


VITAMINAS:


PARA COMPRAR "O CUPIDO BEBEU" NA AMAZON CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: KAROLINA V. S. MELO (Karol Melo)
21 anos, mora atualmente no interior do Paraná. Depois que descobriu o mundo da ficção se tornou uma leitora compulsiva. Ama músicas que a inspirem, e séries de suspense policial, mas não nega um romance clichê. É escritora no blog Verdades e Poesias e sonha em publicar um livro para chamar de seu.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: O ANO EM QUE TE CONHECI

SINOPSE: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt. Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda. Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e estão em uma encruzilhada. Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer. Uma história dramática, original e divertida como só Cecelia Ahern é capaz de escrever.


Oi minha genteee! A louca dos romances voltou, sim, claro!!! Hoje vamos de Cecilia Ahern. Gosto muito dos livros dela, entre os preferidos, além do P.S. Eu Te Amo (por favor, não se baseiem no filme, o livro é muito diferente e BEM melhor), outro livro que adoro dela é o A Vez da Minha Vida, você pode conferir a resenha aqui! O Ano Em Que Te Conheci é uma graça, adoro o jeito que ela descreve a história. É bem envolvente, é aquele tipo de história que te dá curiosidade. Bom, Jasmine nossa protagonista, carrega esse nome, pois no momento em que seu avô foi visitar sua mãe no hospital, ela foi presenteada com uma flor de jasmim, sua mãe então usou toda criatividade para batizar sua filha e fazer essa homenagem ao pai.


Jamine está quase no auge dos seus quase 30 anos (tipo eu), e passa por muitas mudanças e decisões em sua vida. No momento ela está afastada do seu trabalho. Na verdade, ela foi demitida, mas seu antigo sócio não quer que seu talento seja tão rapidamente levado para outra empresa e a deixa ainda contratada pela empresa por mais um ano (longos doze meses), para que assim não possa encontrar com facilidade um novo emprego. O tempo ocioso faz com que ela passe a pensar muito como tem levado sua vida, seu trabalho, família – seu pai com sua nova família, sua irmã adorada Heather, como ela está cuidando de sua casa, vizinhos, enfim, tudo!!!


A mãe de Jasmine morreu quando ela era muito jovem e apesar de ser a filha mais nova, ela pegou toda a responsabilidade pela saúde e bem-estar de sua irmã mais velha, a Heather, que é portadora de Síndrome de Down. Jasmine protege sua irmã com unhas e dentes, não quer que a irmã sofra com o mundo cruel que vivemos. O detalhamento de como é a vida de Heather e de como sua rotina é normal, a convivência dela com as pessoas e todo o cuidado que tem com ela é muito bonito. Por esse amor protetor e incondicional a Heather, Jasmine tem uma bronca do seu vizinho Matt (dele e de todos que ousarem fazer algo negativo a Heather). Matt atualmente é apresentador de radio, na verdade, era. Ele também está afastado do trabalho, Matt mora em frente à casa de Jasmine, e ela o despreza. Ela não suporta a presença dele, o ignora e zomba pelas costas de todos os modos possíveis em seu pensamento, ela imagina os problemas que ele deve estar enfrentando. Jasmine tem um bom relacionamento com os demais vizinhos. Um acaba cuidando do outro, cada um a sua maneira.


Matt e Jasmine protagonizam ótimas cenas. Jasmine parece um cão raivoso e só falta rosnar quando o vê.  Matt também tem seus problemas pessoais e ela fica com dó, pena dele, na verdade, sabe quando você tem aquele sentimento de tanta dó, que chega a quase um desprezo por uma pessoa? Com esses doze meses livres de “compromisso”, é como se Jasmine tivesse uma chance de mudar sua vida. Mas, será que ela realmente está preparada para enfrentar essas novas mudanças? E realmente a divisão entre os capítulos e acontecimentos, se evolui entre as estações do ano, com uma breve introdução de suas particularidades.


A história sobre como a amizade pode nos transformar, em como o amor de irmão e o cuidado com o outro é necessário para a vida dos dois, em como perdoar, pedir desculpas e aceitar o outro como ele é. E principalmente nos aceitarmos verdadeiramente e tentar ser melhor que podemos ser a nós mesmos fará diferença. Primeiro pensei que era uma história de amor, depois mudei a opinião, mudei novamente e me surpreendi. Leitura leve e em muitos momentos divertida. A gente fica visualizando os ambientes de forma muito precisa e detalhada. Ok que há momentos que temos vontade de parar os diálogos e dar um puxão de orelha em Jasmine, mas, ela está se conhecendo. Mas, a história tem folego para nos deixar interessados até o final. Me apaixonei pela capa desse livro, quando você começa a leitura ela fará todo sentido. Ótima leitura! Espero que gostem! Até a próxima!

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: GREISI SILVA
28 anos, administradora e artesã nas horas vagas, apaixonada por leitura e artes, não vivo sem música, poesia e cinema. Descobri que viajar é preciso e comer pipoca é fundamental para se ter boas ideias.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

RESENHA DO LEITOR: O VILAREJO

SINOPSE: Em 1589, o padre e demonologista Peter Binsfeld fez a ligação de cada um dos pecados capitais a um demônio, supostamente responsável por invocar o mal nas pessoas. É a partir daí que Raphael Montes cria sete histórias situadas em um vilarejo isolado, apresentando a lenta degradação dos moradores do lugar, e pouco a pouco o próprio vilarejo vai sendo dizimado, maculado pela neve e pela fome. As histórias podem ser lidas em qualquer ordem, sem prejuízo de sua compreensão, mas se relacionam de maneira complexa, de modo que ao término da leitura as narrativas convergem para uma única e surpreendente conclusão.


Começo esta resenha (minha primeira, por sinal) afirmando que nunca me apaixonei tão rápido por um livro e tenho certeza de que vai acontecer o mesmo com você. O Vilarejo fala sobre um (PASMEM!!) vilarejo remoto e seus respectivos moradores."UAAAAAAAAU, mas e o que isso tem de especial???" É AÍ QUE ENTRA A EMOÇÃO, MEU AMIGO!!!! 


O livro é composto por sete contos, pequenos casos um tanto quanto peculiares que aconteceram nesse lugar, cada um deles baseado em um dos sete pecados capitais e com seu respectivo demônio responsável por esse pecado. Com muito horror e um toque de "caraca, isso realmente pode acontecer!" a leitura te prende do início ao fim e vai fazer você ficar meio doido enquanto não terminar. Os temas são abordados de uma forma tão criativa e horripilante que grudam em você e te fazem parar para refletir, afinal são histórias que apesar de bizarras não parecem distantes da nossa realidade atual.


Foi este livro que me apresentou a escrita do Raphael Montes (que hoje é um dos meus autores nacionais favoritos) e foi por causa dele que senti a necessidade de conhecer mais de suas obras. Super recomendo para você que quer sair de uma ressaca literária. Com uma edição maravilhosa da SUMA, toda ilustrada e bem editada fica difícil não se prender a história, mas neste caso em especial cada ilustração faz você entrar na história e sentir na pele o horror dos personagens (mershandising sem fins lucrativos aqui huehuehue).


Os contos são apresentados de maneira individual, sem apresentar linha cronológica definida, podendo ser lido na ordem que mais lhe agradar sem alterar o entendimento da obra como um todo. Cada conto tem em foco a vida de um dos moradores do vilarejo e um dos sete pecados, deixando você com vontade de se inspirar no titio King e dar uma de Annie Wilkes obrigando o Raphael a escrever um livrão de cada conto! AAAH e tem uma surpresinha no posfácio pra quem ler com atenção :) E aí, ficou com vontade de ler? Já leu? conta pra gente (adoro conversar sobre livros) <3


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: TAY RAMONE
18 anos, catarinense, estudante de medicina veterinária, apaixonada pela leitura. Tem um amor imenso por Stephen King, Ramones e animais.