quinta-feira, 19 de julho de 2018

RESENHA: LADO OBSCURO

SINOPSE: Um narrador nos conta a história de Helena, enfermeira de um sanatório e mostra que nem tudo é o que parece.


“Ataquei quem? Não fui eu. Foi ela...”

Posso dizer que temos um conto bem intrigante, pois fala sobre uma enfermeira em um sanatório. E sempre que essas duas palavras se unem da um certo frio na barriga... Posso dizer isso, pois sou Enfermeira também e as histórias que são contadas nos hospitais são de cair o queixo (risos). Muitas delas são verdades e nunca sabemos até que ponto vai o pensamento do ser humano. Já vivi várias situações bem complicadas e de dar medo.... Dependendo do local que se trabalha é assustador...


“Nunca vou aceitar. Não sou louca...”

Isso é causado a principio pela cabeça dos profissionais da saúde, que de tantas jornadas de trabalho, acabam por ficar “birutinha”. Mas a história de Vanessa Nunes nos mostra uma realidade que vivemos em ambientes hospitalares ou relacionados à área da saúde. Nesse conto temos uma enfermeira de nome Helena, que se dedica totalmente a sua profissão. No decorrer da trama você acredita que ela é apenas uma funcionária, mas conforme vai lendo, ela se transforma em paciente, nem sei como, mas ela contando você fica meio perdida, pode não saber quem é quem, mas entende (risos)... 


“Nossa enfermeira muito querida, com o tempo passou a levar papéis, lápis de cor, canetinhas e livros para que a menina pudesse se distrair com algo...”

No decorrer ela conta sobre uma garotinha de 5 anos de nome Analice que está internada no sanatório e nos faz sensibilizar pela garota, pois refere que a mesma já sofreu demais. Ela diz isso como se ela se preocupasse com a menina, porém em outro ponto da trama a menina a está atacando e em outro já muda totalmente sua visão de quem ela é.


“Quando a pequena descobriu que sua doença era por causa dos seus pais, ela mudou...”

No conto nossa personagem sofre de uma doença chamada Esquizofrenia (uma perturbação mental caracterizada por comportamento social fora do normal e incapacidade de distinguir o que é ou não real. Entre os sintomas mais comuns estão delírios, pensamentos confuso ou pouco claroalucinações auditivas, diminuição da interação social e da expressão de emoções e falta de motivação). Para quem não conhece, o esquizofrênico tem mania de perseguição e pode desenvolver diversas personalidades. Por isso nos dá a sensação de que cada personagem citado realmente é real.


“As coisas estavam normais até que Analice resolveu agitar as coisas novamente...”

Ao lê-lo me lembrei de um filme que confesso tenho pavor de assistir que chama Caso 39. (Quem tiver curiosidade assista, pois nem sempre o que vemos externamente é o que realmente acontece). Não poderei contar muito mais, pois vou acabar descrevendo todo o conto (risos)... E perder a graça do final.

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: VANESSA RANDO
31 anos, enfermeira, moro em Piracicaba (interior de SP) e os livros são minha vida. Quando não estou cuidando da saúde das pessoas, gosto de entrar em um mundo imaginário e esquecer os problemas da vida real.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: ALICE

SINOPSE: Alice passara por uma infância difícil que deixou marcas em sua vida adulta. Estava de casamento marcado e pouco antes da data ela teve uma surpresa, algo que deveria ser bom destruíra sua vida de forma que mal conseguia explicar. As notas de cancelamento do casamento começaram a chegar e com elas as perguntas. Em meio a verdades cruéis Alice conta sua história meses depois do acidente, ela vem tentando reerguer sua vida e deixar a culpa de lado. E quando finalmente estava fazendo, recebe uma notícia que mudaria completamente a forma que ela se lembraria dos acontecimentos daquele dia para sempre.


Olá pessoas! Depois de uma vida, aqui estou eu com as Primeiras Impressões do livro Alice, da brasileira Ana Beatriz Bernardo. Nós do blog recebemos os 3 primeiros capítulos desse livro e esta resenha é baseada nesse conteúdo. Alice é uma jovem estudante de psicologia, secretária de um médico pediatra e irmã gêmea de Alex. Ruiva, bonita e com 22 anos, Alice vem passando por alguns problemas em sua vida. Vemos isso quando seu pai invade seu local de trabalho, completamente bêbado, para brigar com ela por causa do fim de seu noivado. Alice é salva por seu chefe, Thomas.


Thomas é um médico de 25 anos que tem sua própria clínica pediátrica e, aparentemente, vive uma vida tranquila e solitária. Quando o pai de Alice invade a clínica com agressividade, ameaçando a filha, Thomas a protege e a coloca debaixo de suas asas. Devido a todas as implicações da violência do pai de Alice, Thomas a convida para morar com ele enquanto ela resolve sua vida. Thomas parece se apaixonar pela ruiva, dando tudo de si nessa “amizade” e tentando fazer com que Alice seja feliz. Thomas é um querido!


Alice parece ter vários traumas em sua vida, e estes não se limitam apenas ao alcoolismo do pai. Ela perdeu a mãe, acabou um noivado (ainda não sabemos o motivo) e pela tristeza que aparenta, ainda tem mais por aí! O que pude concluir do livro nesses primeiros capítulos é apenas isso: o possível início de um grande amor. O livro seria favorecido se fosse submetido a uma boa revisão. Os primeiros capítulos, com certeza me fizeram ter vontade de continuar a leitura, por isso está super recomendado! Ahhhh, e eu achei essa capa tão liiiinda! <3


PARA LER ALICE CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: TATI DE ROSSI MAZO

Tati tem 33 anos, mora em Campinas - SP, é bióloga, trabalha na pesquisa do câncer e é louca por livros (não só científicos! Rs)

terça-feira, 17 de julho de 2018

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: COMO NASCEM OS MONSTROS

SINOPSE: Uma família feliz, um assalto aleatório, uma mudança. Um assassinato e suas dolorosas consequências. Até onde o desejo de vingança pode nos levar? Leonardo era um pai de família exemplar e um médico bem-sucedido. Num passeio com a família para comemorar o aniversário da sua filha única, Lara, tem seu carro roubado e sua filha levada por engano. Mal sabia ele que aquela angústia de ter sua filha sequestrada não chegaria aos pés dos sofrimentos que viveria anos depois, na nova cidade que resolvera se instalar após o assalto. Com o coração amargurado, amparado por pequenas pistas que Lara inocentemente havia deixado, Leonardo se guia por um caminho obscuro e sem volta, procurando a vingança que supostamente aplacaria a dor de seu coração, uma dor sem limites. Sem limites também foi sua vingança. “Como nascem os monstros” é um relato cru e doloroso sobre dor, sobre perda, sobre atos e consequências. Você saberá o que a dor é capaz de fazer com a mente e o coração de pessoas de bem, mas que em certo momento perdem as forças diante do peso do sofrimento.


Como Nascem os Monstros é um romance policial narrado pelo médico Leonardo. Ele tinha uma vida perfeita, uma família amorosa e um trabalho que adorava e se dedicava muito. Mas essa vida perfeita é abalada por um roubo aleatório e por consequência o sequestro de sua filha Lara. Quando voltavam de um passeio para comemorar o aniversário da pequena Lara em um parque, eles param em um posto de gasolina para a esposa de Leonardo ir ao banheiro e é nesse momento que um ladrão se aproxima e rouba o carro com a menina que estava dormindo dentro.


Lara é encontrada dias depois em um bar sem nenhum machucado, mas o trauma do acontecimento abala a família que acaba se mudando para o interior. Mas será que essa mudança acabará com a insegurança que se instalou na família? Alguns anos depois a filha já com 15 anos desaparece misteriosamente e toda a dor que eles acharam que já tinham sentido não era nada perto do que estava por vir. Qual a pior coisa que pode acontecer para uma família? O que levaria um pai se transformar em um assassino? Um livro forte, onde o amor pela família pode ultrapassar os limites da razão. O autor consegue nos transportar para dentro dessa triste história, nos fazendo pensar se estamos seguros no mundo que vivemos. Uma família feliz, um assalto, uma mudança. Um assassinato e suas dolorosas consequências.




PARA COMPRAR "COMO NASCEM OS MONSTROS" CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: FÁTIMA GISLENE GENOVÉSIO
Tenho 50 anos, mas até me esqueço disso. Meu apelido é Gi, mas também sou a tia Gigi. Leio desde os 14 anos, era rata de biblioteca, e li tudo o que tinha de bom, quando acabou meu pai virou meu fornecedor de livros! Já trabalhei em duas livrarias e fiz feira do livro. Amo indicar livros e fico realizada quando vejo uma criança descobrindo o gosto pela leitura. E tenho muito ciúmes dos meus livros.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

RESENHA DO LEITOR: O RISONHO CAVALO DO PRÍNCIPE

SINOPSE: Neste livro, Veiga coloca seus personagens – e nós leitores – em situações curiosas, que nitidamente imaginamos e visualizamos como se tivéssemos diante dos olhos, no cinema ou na TV, uma das mirabolantes aventuras de Indiana Jones. Realiza com isso um verdadeiro achado literário, pois é uma história dentro da outra. Severo e bem-humorado, José J. Veiga critica os costumes dos brasileiros, como o já famoso “jeitinho” e o slogan de que somos uma nação do futuro, sem, no entanto, possuirmos um presente que nos abone para a próxima temporada.



"No imprevisto, no não saber o que pode acontecer nas próximas horas é que está o encanto da vida."

Que livro encantador! Sabe aquelas leituras que te deixam leve, bem humorado e achando a vida colorida? Pois este é um deles! Na obra temos uma história dentro de outra história, e cada uma consegue prender nossa atenção separadamente. Está escrita em 3ª pessoa. No enredo principal temos Cesarina (ou César, como é chamada por todos). Uma menina de 12 anos, alegre, extrovertida e cheia de personalidade, e que não se importa em ser chamada de "César", um nome oficialmente masculino. César vive com os pais, Oraciano e Esmeralda e tem uma admiração especial por sua tia Basília (irmã de seu pai). Basília, uma balzaquiana muito ligada a leitura, é solteira e preocupa-se com o comportamento da sobrinha, já que esta não tem vaidade com roupas e tudo o mais que seria normal para uma menina de sua idade. César gosta mesmo é de viajar pelos livros (talvez por influência da própria tia). Vive lendo: em casa, na rua, em cima de uma árvore.


Os pais de César, na busca pela causa do estranho comportamento da menina, decidem adotar uma criança da idade da filha, para fazer companhia e quem sabe colocá-la nos eixos. Para sua surpresa é César quem "escolhe" o irmão. Mem (ou Mengávio) é um amigo da escola e por infelicidade perdeu os pais recentemente e vive (de favor) com vizinhos que o maltratam. Assim, tem início uma grande amizade, repleta de aventuras, estripulias e ensinamentos mútuos. O que causa surpresa à família é que Mem é negro e a sociedade de Santa Maria do Monte não poderia ser mais preconceituosa. No entanto, a família de César é diferente e encara o desafio, dando a Mem o mesmo tratamento dado a filha, bem como as mesmas oportunidades. Este é um dos pontos que me chama a atenção no livro, em diversas passagens o autor descreve o racismo e o preconceito de forma nua e crua.



Quando um certo hóspede deixa a casa de César (onde alugou um quarto por algum tempo), esquece por acaso um livro e é a partir daí que dá-se início à uma nova aventura na vida das duas crianças. O livro repleto de ilustrações, está escrito em alemão e junto com Basília, os dois irmãos decidem escrever um livro baseado nas ilustrações daquele volume. Assim o fazem e nós, leitores, mergulhamos dentro dessa história, com início, meio e fim. Interessante frisar que as duas histórias conseguem ser independentes uma da outra. Não detalharei o que César, Mem e Basília escreveram, mas para deixar um gostinho de quero mais, vou falar um pouquinho (por alto). 


"Tia Basília falou que ele trata de cavalo, de príncipe, de computador, e se passa na Alemanha e na Abissínia". (pág. 39)

Dito isto, basta saber que trata-se de uma família alemã, dona de uma fazenda, que resolve mudar de ramo, da criação de porcos para a montagem de computadores. Além disso, o pai, agora financeiramente acomodado, resolve realizar um sonho de juventude e parte para a África, em busca das ruínas de um reino perdido no tempo, chamado Galimátias. Assim, desenrolam-se episódios enigmáticos e aventuras empolgantes. É lá que, envolto em visões e viagens no tempo, surge a figura do príncipe "Megarata", dono do risonho cavalo "Palafrém", que dá nome ao livro. Em diversos trechos podemos observar menções ao Brasil, ora em tom de elogio, ora em tom de crítica, mas sempre comparando a vida e os costumes europeus com o que temos aqui, na velha Pátria. Se eu recomendo o livro? Sim, certamente!


"Não somos como os brasileiros, por exemplo, povo que conheço bem porque vivi no Pará. Eles dizem que mais vale um gosto do que dois vinténs. Quando pegam um dinheirinho, estouram em bobagens. Por isso nem gozam os gostos nem têm os vinténs. Boa gente, mesmo assim."

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: SIMONE TORRES
40. Pedagoga e Teóloga. Leitora compulsiva, cinéfila e amante dos animais. Fazer arte é o que mais amo depois de ler.

quarta-feira, 11 de julho de 2018

RESENHA DO LEITOR: ME NAMORA?


SINOPSE: Ele morria, ela ressuscitava. Ambos se encontravam. Paul é um engenheiro bem-sucedido que vê sua vida tornar-se um caos após uma grande perda e encontra-se submerso em um mar de dor e sentindo seu desejo de justiça o consumir. Em contrapartida há Chloe, uma advogada decidida a se reerguer após ter seus sonhos brutalmente interrompidos em uma manhã de outono. A esperança que rege um e a morte que guia o outro, muda de rumo e faz com que se encontrem. Então surge uma indagação "será que poderão sobreviver a pressão de suas carreiras e com todos os desafios de suas, quase, morte interna?". Quando pensam estar conseguindo superar tudo, surge um outro problema agora não mais interno e sim em carne e osso, Jack.


“Assim nossa história se inicia, e logo de início vou acabando com o mistério. Não ele não estava apaixonado por ela e ela não estava de luto pelo fim da vida de alguém, mas não vou contar tudo agora, venha comigo, vou lhe contar o que acontece a seguir, mas preste bastante atenção.”

Olá pessoal! Peço desculpas pelo sumiço e pela demora em trazer a resenha completa dessa história tão fofa e bonita. Em “Me Namora?” Conhecemos Chloe e Paul e suas dores. Chloe vê seus sonhos sendo jogados no lixo quando seu então noivo termina tudo com ela sem nenhuma explicação! Triste né? Se Chloe sofreu? Muito!! Imagina só, você acorda, sai para encontrar seu amor e TOMA!! Ele termina tudo com você e pior, você nem ao menos sabe o motivo. Na verdade, ela até recebe uma explicação mais adiante, uma explicação até que plausível. Maaaaas, não posso nem comentar sobre, seria um baita SPOILER!!


“Aquele dia estava verdadeiramente longo recebeu seu pedido, porém não sentia fome, apenas tomou um banho e se deitou, e permaneceu sozinha, em silencio, no escuro até amanhecer.”

Paul é um belo homem, possui sua própria empresa de engenharia. Sem falar que possui um grande amor – Katharine, que está se mudando para sua cidade. Tudo perfeito né? Porém, Paul vê seu mundo caindo bem diante de seus olhos quando seu grande amor é perdido de uma maneira muito triste.  


“Permaneceram por algum tempo até Paul pedir o carro ao manobrista, a noite estava ficando fria, ele a levou para casa deixando-a com um beijo na testa e a promessa de um novo jantar. ”

A vida é cheia de surpresas certo? E essa mesma vida, dá m jeito de unir Chloe e Paul. Quando isso acontece, ambos estão destruídos por dentro, não sabem como fazer para seguir a vida. Eles passam a se apoiar e aos poucos um novo sentimento começa a surgir entre Chloe e Paul. Como falei nas PrimeirasImpressões que fiz aqui para o blog, adorei o fato de a autora conversar com leitor, parece que ela está aqui do meu lado no sofá tomando um café. Confere aí como ela conversa com o leitor:


“Prestaram bastante atenção? Caso tenham se perdido no caminho aconselho voltar um pouquinho, não tem problema eu espero você... iniciamos vendo um dia de duas pessoas distintas, totalmente estranhas uma para a outra, depois conhecemos os dias que os antecederam. Foram momentos completamente opostos para Chloe e Paul, mas nem sempre todos são felizes ao mesmo tempo ou nem todos são tristes para sempre, mas vamos voltar à história.”


Maya F., presenteia o leitor com um romance envolvente, de escrita leve e simples. Seus protagonistas são bem escritos e desenvolvidos, fazendo que logo de cara o leitor se envolva com eles e com as sãs histórias. Adorei a diagramação do livro, em como a capa. Parabéns a Constelação Editorial. Bem, por hoje isso é tudo, até uma próxima. Beijos, Renara.

VITAMINAS:


PARA COMPRAR "ME NAMORA?" CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
24 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!

terça-feira, 10 de julho de 2018

RESENHA DO LEITOR: MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS


SINOPSE: Em Memórias de um sargento de milícias, tem se como protagonista não o típico herói romântico, mas o primeiro grande malandro da novelística brasileira. Esse romance narra as peripécias de Leonardo, filho de Leonardo-Pataca e Maria-da-Hortaliça, e por meio delas retrata com cinismo e comicidade a sociedade carioca da primeira metade do século XIX. Abandonado pela mãe – que trai o esposo e foge com outro homem – e pelo pai, Leonardo é adotado pelo padrinho e torna-se um menino cada vez mais briguento e travesso. O leitor irá acompanhar as aventuras e desventuras sociais desse personagem.


Impressões Pessoais: Olá, leitores! Novamente trago para vocês um clássico da literatura brasileira. Uma obra publicada em forma de folhetim entre 1852 e 1853, assinado por “Um Brasileiro”. Já que a autoria de Manuel Antônio de Almeida só foi revelada em 1863. Confesso que posterguei a leitura desse livro achando que a leitura seria complexa e com uma escrita muito rebuscada. Ainda bem que eu estava enganado, porque graças a experiência do autor como revisor e redator, o estilo jornalístico e direto faz-se presente em toda a obra. Além disso, percebe-se no texto a fuga dos padrões românticos comuns à época a partir do uso da linguagem das ruas, das classes média e baixa. Já que a história se passa no começo do século XIX, período em que a família real portuguesa estava refugiada no Brasil. 


Nesse romance de costumes, vocês encontrarão personagens que tem como principal objetivo retratar estereótipos, costumes e problemas ligados ao Brasil. Por isso, ele trata de problemas, como: intolerância religiosa, corrupção, omissão de fatos, abuso de poder, fofocas, chantagem, malandragem brasileira, dentre outros. O próprio Leonardo – personagem principal que foi abandonado pela mãe adúltera e pelo pai desnaturado sendo criado pelo padrinho – não é visto como “homem ideal” do romantismo, mas um personagem que sempre faz de tudo para se dar bem às custas dos outros, que é um costume herdado de seu pai e seu padrinho. Motivado por ambição seu tutor (padrinho) ficou rico de forma ilegítima e ambicionava transformar seu afilhado em um homem e influente socialmente.


Na história de Leonardo – que gosta mais de se divertir do que trabalhar – o autor faz uma irresistível e bem humorada história sobre o cotidiano do Rio de Janeiro do século XIX. Uma verdadeira comédia nacional, porque o malandro Leonardo irá se meter em divertidas aventuras enquanto luta para conquistar o amor da jovem Luisinha, personagem que contribuirá para Leonardo mudar de caráter. Com uma escrita tranquila, fluida, direta e de fácil compreensão essa obra considerada como precursor do Realismo Brasileiro. Usando a ironia, o autor deixa clara sua intenção de divertir o leitor com os problemas sociais de sua época. O livro deixa de lado a fantasia de amores perfeitos do Romantismo, a linguagem metafórica, a idealização da mulher, mas reconstruiu hábitos, relações sociais e personagens típicos. Com uma visão crítica e menos idealizada essa obra é uma verdadeira obra-prima da literatura brasileira. Incentivo vocês a conhecerem essa história tão interessante e que nos ajuda a compreender melhor as origens de muitos costumes e problemas brasileiros.


SOBRE O AUTOR: Manuel Antônio de Almeida nasceu em 17 de dezembro de 1831, embora tenha ficado órfão de pai aos 11 anos de idade e tenha tido uma infância muito o pobre, ele conseguiu ingressar na Faculdade de Medicina e concluir o curso. No entanto, devido a dificuldades financeiras, não chegou a exercer a profissão, dedicando-se ao jornalismo e às letras. Ocupou a direção da Tipografia Nacional e foi oficial da Secretaria do Ministério da Fazenda. Interessado em ingressar na vida política, o patrono da cadeira 28 da Academia Brasileira de Letras candidatou-se a deputado e, durante a campanha, em uma viagem para a cidade de Campos, faleceu no naufrágio do vapor Hermes, em 1861.

VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: Felipe Maranhão

22 anos. Graduando do 6° período de Letras, da Universidade Federal do Tocantins. Pesquisador em Iniciação Científica pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, com ênfase em bilinguismo Krahô. E amante da literatura universal.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: RIBEIRÕES DA PAIXÃO

SINOPSE: Crislene, uma médica dedicada em sua profissão, se acidenta durante uma viagem à fazenda do Pai. Claudio, o peão da fazenda vizinha, ao vê-la corre ao seu socorro. Deste encontro nada tranquilo, nasce uma paixão avassaladora. Mas Leopoldo, pai da moça, não está nada satisfeito com o romance e, ignorando os sentimentos da filha, declara guerra ao relacionamento. Para onde correr quando o amor não nos deixa em paz? Quando os pulmões estão doloridos de tanto chorar e os olhos inchados de não conseguir dormir direito? Esse é o castigo quando se ama demais? Descubra nesse romance encantador.


Olá pessoal, tudo bem? Espero que gostem das Primeiras Impressões do livro de hoje. Ribeirões da Paixão conta a história de Crislene e Claudio, dois jovens que se encontraram depois que ela caiu do cavalo e se apaixonaram perdidamente, mais não tem a aprovação dos pais da moça. Por ele ser pobre e ela rica. É aquela clássica história clichê romântica que sempre aquece nossos corações, nos fazendo acreditar que um dia todos encontram um amor pelo qual vale um sacrifício.


Não pude ler tudo, mas o mínimo que li posso dizer que é uma história muito cativante. Os personagens principais são simpáticos e apaixonantes. Os pais dela são, digamos rígidos. Crislene é uma pessoa importante, então para eles, ela deve se casar com um homem do mesmo nível. O que me incomoda é a história acontecer rápida demais. Bom, eles se conhecem, já se apaixonaram não teve aquela fase de conhecimento, de amizade nem nada, eles vão direto ao ponto. Eu, como amante de livros românticos, não gosto muito. Eu gosto mais quando tem um desenvolvimento da história mais lento e que as coisas vão acontecendo no seu tempo, mais fora esse detalhe, o livro tem tudo pra ser maravilhoso.




Eu realmente preciso ler o restante, afinal ele deixou aquele sentimento de “E agora?”. Espero que tenham gostado e se tiverem oportunidade leiam o livro.


PARA COMPRAR "RIBEIRÕES DA PAIXÃO" CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: THALIA CAROLINI

20 anos, geminiana, ama astrologia, o meu tempo é dividido em viajar nas estrelas, nas musicas e nos livros. Amo um bom clichê e histórias de perder o fôlego, minha maior alegria é um livro novo na estante. Dentro desse universo aprendi que sonhar é bom, mais ler é essencial.

quinta-feira, 5 de julho de 2018

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: VENTOS NÔMADES

SINOPSE: Quantas vezes numa viagem nos permitimos ver a vida com outros olhos? Em Ventos Nômades você encontrará dez contos que cruzam continentes, exploram o choque de culturas e novos horizontes além das fronteiras tupiniquins. Você largará tudo em busca do sentido da vida com Guilherme até chegar ao mais antigo templo do sudeste asiático. Com uma americana à beira da morte, receberá um sopro de vida na ilha grega de Creta. E se embrenhará junto com dois amigos nos segredos judaicos de Praga. Ventos Nômades é um convite a viajar pelo mundo.


Antes de começar esta resenha devo confessar que além de ser a minha primeira “Primeiras Impressões”, também é a primeira vez que leio um conto que fuja do gênero que tenho mais afinidade: o terror. Outra coisa que devo confessar é que devo fazer isso mais vezes, pois EU GOSTEI MUITOO!!!


Ventos Nômades é uma compilação de contos relacionados a viagens, culturas etc, mas a minha impressão é que ele vai além disso. Entrelaçados ao conto, a autora nos apresenta pontos de vista, pensamentos e sensações, que parecem realmente tiradas de um passeio como o que a personagem está fazendo, apresentando ao leitor reflexões a respeito de outras culturas, que deveriam ser feitas por todos.


A temática do livro, junto com a minha saída da minha zona de conforto literária foi uma junção perfeita, onde a única vontade que tive depois do início da leitura, além de botar uma mochila nas costas e sair sem rumo, foi ler os outros contos. 


PARA COMPRAR "VENTOS NÔMADES" CLIQUE AQUI!

RESENHA ESCRITA POR: TAY RAMONE
18 anos, catarinense, estudante de medicina veterinária, apaixonada pela leitura. Tem um amor imenso por Stephen King, Ramones e animais.