sábado, 20 de agosto de 2016

ENTREVISTA COM J. IGOR, AUTOR DE O CÚMPLICE E O ASSASSINO

SINOPSE: Juliet Gentil é jovem, inteligente, milionária e, mesmo assim, possui um sonho muito comum: ter amigos. Ela perdeu os pais num trágico acidente de carro, na adolescência, e desde então foi criada pelo homem mais poderoso do Mercado Industrial, o sr. Augusto Gentil. Sufocada por uma vida monótona, Juliet decide se matricular na Faculdade de Humanas da Cidade Esperança, FHCE, para fazer amigos e dar um sentido a mais em sua vida solitária. No final do primeiro semestre, Juliet convida seus dez amigos para pernoitar em sua mansão, e nesta mesma noite recebe um e-mail misterioso, contendo regras de um jogo chamado: "O Cúmplice e o Assassino". Os amigos gostam da ideia e decidem se aventurar, mas o jogo, que era para ser apenas uma brincadeira divertida, torna-se mortal. Juliet é assassinada! E ao que tudo indica, sua morte é apenas uma parte de um plano ambicioso. Cabe ao detetive William Guimarães Silva, descobrir quem está perseguindo a família Gentil, para isso, ele terá que entrar no jogo também.


Como surgiu a ideia de escrever “O Cúmplice e o Assassino”? A ideia de escrever “O Cúmplice e o Assassino” veio de uma brincadeira na qual eu participava durante um “blackout” na empresa onde eu trabalhava. Pois bem, estávamos sem eletricidade na empresa e, por isso, eu e meus amigos nos reunimos na Sala de Cópias para bater papo e aproveitar a ociosidade. Não demorou muito para a minha amiga, Josiane, propor uma brincadeira, cujo nome era “Máfia”. Eu gostei tanto de jogar, pois jogos assim, com blefes e mentiras são muito legais e instigantes, na minha opinião. Depois, de volta ao trabalho, com todas as luzes acesas, inclusive uma que se acendeu em minha cabeça, eu me perguntei: “E se alguém matasse uma pessoa de verdade durante a brincadeira?” Não deu outra. Comecei a rascunhar umas ideias, depois me veio à mente o livro Convite Para Um Homicídio da nossa Rainha do Crime, Agatha Christie, e me senti totalmente inspirado. Daí, adaptei o jogo, que acabou virando “O Cúmplice e o Assassino” e pus a discorrer sobre o enredo. E cara, não é porque é meu livro não, mas deu certo! [risos]. E para quem ficou curioso sobre como jogar, é só ler o livro, pois nele, constam todas as regras direitinho, só não vale matar de verdade, ok? Pelo amor de God! [risos].

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Uma longa história... Bom, comecei a escrever quando tinha 18 anos. Já escrevi diversas vezes este livro, conforme os comentários dos primeiros leitores betas. Reescrevi umas trocentas vezes também, conforme algumas técnicas que fui aprendendo no decorrer da vida literária [risos], e quando eu achei que estava tudo pronto, eu contratei uma Preparadora de Originais, e daí, veio a surpresa drástica: Eu precisava reescrever toda a história mais uma vez... E pensa que parou por aí? Depois que reescrevi mais umas duas vezes, eu submeti o Original a uma Revisão Textual Profissional... E somente assim, eu decidi divulgar a história no Wattpad, que, aliás, ainda nem foi revisada inteiramente pela profissional, mas o enredo está bem redondinho e amarrado (não se preocupem). Acredito que até o final do ano de 2016 esteja revisadinho e à venda no site da Amazon. Inclusive, em primeira mão, o livro ganhará uma editora! Torçam para que dê tudo certo, para que em breve, "O Cúmplice e o Assassino" possa ser lido no formato físico! [gargalhadas de felicidade!]. Em suma, o livro ainda não está completamente pronto, mas, encontra-se firme e forte na estrada já faz uns 7 anos!

O que o leitor pode esperar de "O Cúmplice e o Assassino"? Ah, o leitor pode esperar por uma boa trama de mistério! O livro envolve um jogo bem interessante, e nisso, alguém o usa para assassinar a garota mais "influente" da cidade, a jovem Juliet. Isso por si só, já causa uma certa curiosidade. O detetive William Guimarães Silva interroga todos os jogadores a fim de saber quem foi o culpado por assassinar a herdeira da Metal Industrial, e desse modo, o leitor inicia uma investigação conjunta, entrando no jogo sem ao menos perceber. Quando viu, está jogando também! Uma coisa eu prometo: suspeitos não irão faltar, e cada vez mais o mistério ganhará força. Deixando a modéstia de lado, vai ser difícil o leitor abandonar "a brincadeira" sem saber se suas próprias teorias estão certas e se fez uma boa investigação [riso macabro, muahahahahaaa].

Qual autor ou autora é seu preferido? Pergunta difícil esta! Bom, eu vou trapacear e citar duas autoras incríveis aqui! Devo toda a minha paixão pela literatura à J. K. Rowling! Já comecei com droga pesada aos 12 anos: Harry Potter, e estou adorando esta nova fase dela como romancista policial, sob o pseudônimo Robert Gailbraith. E muitos não sabem, mas Harry Potter, se olhado por um ângulo diferente e tirando a máscara da fantasia, podemos notar, claramente, os elementos policiais na saga. Então dá para perceber o porquê a saga do bruxinho me arrebatou de uma forma mágica! Hehehe... E sem dúvida alguma, alimento até hoje o meu vício com os livros da Rainha do Crime, Agatha Christie. Com certeza, ela é a maior inspiradora de minhas histórias policiais. Mas existem muitos outros como: Harlan Coben, James Patterson, Stieg Larsson, Stephen King, entre outros! [risos de "já trapaceei demais"]. 

Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Sem sombra de dúvida. Todos os autores que eu costumo ler, eu procuro absorver qualquer coisa que possa me inspirar ou dar ideias. Acho que inspiração não é apenas aquele momento em que você está efetivamente lendo o livro de determinado autor e de repente, do nada, você diz: "Puta merda, que troço da hora! Quero fazer igual" [Posso falar palavrão aqui? Hahaha]. Tenho para mim que a inspiração é um processo. Às vezes os escritores criam uma ideia que aparentemente lhes surgiu do limbo da imaginação, mas depois se pegam pensando que aquilo veio de um livro ou filme ou qualquer outro tipo de coisa que você eles já viram antes. Eu viajei um pouco agora, mas eu acho que tudo me inspira de certa forma. E voltando ao foco da pergunta: Sim, os autores que citei na pergunta anterior funcionam como uma inspiração para mim!

Se "O Cúmplice e o Assassino" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Nunca pensei nisso, acredita? Já selecionei algumas músicas para o booktrailer, mas nunca cheguei a editar algum. Olha, o que me veio a mente agora foram as bandas: System of a Down, Korn, Evanescence, Epica e Linkin Park, e ah, pode ter algum som do Marilyn Manson também, que particularmente, eu adoro. Hahahaha. No fim, não falei nenhuma música, mas os leitores podem me ajudar com essa busca, não acha? E aí, você que já leu "O Cúmplice e o Assassino", alguma sugestão de trilha sonora? (Curti a ideia!). 
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Eu sempre trabalhei na área da Engenharia, inclusive, estou para me formar em Engenharia Mecatrônica este ano (2016). No momento, estou me dedicando exclusivamente aos estudos e à escrita. Mas claro, sonho e me esforço para que um dia eu possa ter a literatura como ferramenta da minha profissão! Seria ótimo!

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Antes de agradecer aos leitores lindos que leram meus textos, eu quero deixar um recado hiper importante aos ESCRITORES de plantão... Posso? Já falei sobre estas coisas numa entrevista anterior e quero reforçar aqui também! Então, vamos lá, aspirantes a romancistas: Se você não é um "famosinho" ou "famosinha" que está passível de lançar um livro-bosta e vender muito, vamos às dicas:
1. Leia pra caralho! (ops!) Leia em demasia (melhorou?). Óbvio, mas necessário lembrar, pois há escritores que têm preguiça de ler. Acredita???
2. Escreva muito! (De preferência: todos os dias. Eu não cheguei neste nível de disciplina ainda, mas se você consegue, parabéns! Está no caminho certo!)
3. Revise EXAUSTIVAMENTE os seus textos! Reescreva como se o seu leitor fosse um dos velhos da Academia Brasileira de Letras! (Tá, nem tanto assim, mas seja um filho da puta consigo mesmo). Traduzindo: SEJA AUTOCRÍTICO e não se agrade de textinhos seus que você sabe que podem ser melhorados em 1.000 por cento!
4. Forme um grupo de LEITORES BETAS! E mais importante que isso: ouça, escute, "ouva" tudo o que eles têm a lhe dizer. De preferência, não escolha amigos que você sabe que irão te elogiar por qualquer "fezes" que você escrever. Procure leitores que gostam do gênero e que, com certeza, não vão deixar você publicar um texto com coliformes fecais, entendido???
E ah, por favor, quando receber os feedbacks dos Betas, deixe de lado o seu PRECISOSISMO, combinado? Você não é um Shakespeare da vida, então menos, bem menos!
5. Passe a faca em toda gordura que existir em sua história! Sim, as trans, as saturadas, as vegetais, as animais, e todo e qualquer tipo de gordura que possa existir. Pensa comigo: Se aquela palavra, frase, parágrafo, página, cena, CAPÍTULO!, estiver ali sem nenhuma razão, então my friend: COOOOOOOORTE!!! Não tenha dó! Apague! Delete e deixe seu livro o mais fitness que você puder! Conte a mesma história com o menor número de palavras que conseguir! Eu estou treinando esta técnica, e vou dizer, melhora seu texto consideravelmente bem! Confie em mim!
6. Compartilhe até enjoar os seus textos, mas não precisa ser um éfe-dê-pê e encher o saco. Todo mundo odeia enchedores de saco, então saiba divulgar seus trabalhos com sabedoria!
7. Talvez essa dica tivesse sido melhor empregada anteriormente, mas vamos dar sequência: Há várias maneiras de se aperfeiçoar na escrita. Existem blogs e sites ótimos para isso, é só jogar no Google que você vai achar vários cursos on lines, alguns até grátis e com qualidade, e muitos outros tipos de "ensinamentos literários". Vou deixar aqui duas dicas de ouro para quem gosta de Podcasts (E se você não gosta, não quero nem saber, escute-os, porque valem muito a pena!):
- OS 12 TRABALHOS DO ESCRITOR, produzido por AJ Oliveira; e
- GENTE QUE ESCREVE, produzido por Fábio M. Barreto e Rob Gordon.
Não irei me estender mais por aqui sobre eles, porque eu tenho certeza de que você vai pesquisar mais sobre. Se não o fizer, infelizmente, perderá super oportunidades de se preparar como autor profissional.
E um livro para te inspirar e dar ânimo ao seu Eu-escritor? SOBRE A ESCRITA, de Stephen King! Meu, este livro é lindo! [morrendo de amores].
8. Veja quantos e quais termos a seguir você conhece:
- Leitores Beta (já falei disso aqui, então você sabe!);
- Copidesque / Preparação de Original;
- Revisão (ortográfica e gramatical - PROFISSIONAL!!!);
- Crítica Literária / Parecer Técnico Literário;
- Técnica "SHOW, DON'T TELL" / Técnica "Mostre, Não Conte";
- Técnica da faca (inventei agora) / Escrever muito com o menor número de palavras possível;
- ADJETIVOS e ADVÉRBIOS em excesso (já estou fugindo do termo "Termo", mas você está pegando a ideia, né? São coisas que você TEM que estudar e pesquisar!
- E quero reforçar aqui de novo: CO-PI-DES-QUE ou PRE-PA-RA-ÇÃO-DE-O-RI-GI-NAL!!! Isso é muuuuito importante mesmo no processo de produção de um livro, de verdade! Nunca esnobem isso!
E 'tô vendo que minha tagarelice está indo longe, então, se você conhece tudo isso, ou a maioria, parabéns. Se não conhece, Holy Crap!, PARE AGORA DE ESCREVER e estude sobre estas coisas, ok? E ah, não adianta apenas "conhecer"! Tem que praticar! Combinado?
E nem vou mencionar a "Língua Portuguesa". Querer ser escritor e não se importar com a ferramenta principal, é um super descaso! Eu não leio obra que contém muitos erros de português, passo longe para não "emburrecer" meu cérebro, e acredito que a maioria dos leitores se incomodam com isso, claro! TOME CUIDADO, PELO AMOR DE GOD!
Agradecimento: Agradeço imensamente o interesse pelo meu livro "O Cúmplice e o Assassino". Obrigado a todos os leitores que me fizeram chegar até aqui. Hoje eu sinto um pouco da sensação maravilhosa de o que é ser autor. Muito obrigado pelo tempo dedicado à leitura desta entrevista. E uma coisa que sempre digo: Acredite nos seus sonhos! (clichezão, mas é verdade!). E quero dizer que sempre estarei disponível para bater papo sobre LITERATURA! Um grande beijo a todos... e até logo! \o/

J. Igor mora em Sorocaba - SP.

PARA LER "O CÚMPLICE E O ASSASSINO" CLIQUE AQUI!



2 comentários:

  1. Hey, muito obrigado por postar a entrevista! Adorei participar!
    Parabéns pelo trabalho com o blog!
    Abraços, garoto! ^.^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós que agradecemos!!! Parabéns pelo profissionalismo e pela sua obra!!! Merece todo o sucesso!!!

      Excluir

Comente com o Facebook: