quinta-feira, 11 de agosto de 2016

ENTREVISTA COM ULISSES ALVES, AUTOR DE A CIDADE DOS ESQUECIDOS

SINOPSE: Na sossegada cidade de Sobrado, uma ameaça sorrateira inicia uma onda de suicídios. Entre sonhos lúcidos e pesadelos compartilhados, uma batalha cognitiva motivada pela vingança entre dois neurocientistas é travada, comprometendo a sanidade de uma jovem e doce garotinha. Nessa história surpreendente, sonho e realidade se misturam do início ao fim, desafiando o leitor a acreditar ou não nas motivações de personagens dolorosamente duvidosos. Acompanhe a trajetória da jovem Alexia, em um caminho tortuoso de aventuras cósmicas em sonhos libertadores à depressão opressora que abre portas para uma doce e inocente psicopatia.


Como surgiu a ideia de escrever "A Cidade dos Esquecidos"? Sou apaixonado por sonhos lúcidos. E amo os jogos de mente. Hipnose e etc. E me identifico muito com a depressão. Sempre quis escrever uma história de pessoas danificadas. Por exemplo, um casal onde uma pessoa está presa a uma cadeira de rodas e outra com amnésia grave. Amo cidades fantasmas, psicopatas e o poder do inconsciente em nossas vidas. Então, uni tudo isso e apliquei na história. Em A Cidade dos Esquecidos, temos hipnoses profundas, sonhos lúcidos agradáveis, manipulação de um megalomaníaco do inconsciente coletivo, e a transformação de uma menina doce em uma adolescente depressiva e desesperada, presa a uma cadeira de rodas, com uma mente psicótica.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Acho que levou cerca de 6 meses para a história inteira ficar pronta.

O que o leitor pode esperar de "A Cidade dos Esquecidos"? Ah, certamente o leitor vai se surpreender muito. Sei que é meio clichê dizer isso. Mas é sério! É uma história muito orgânica, por assim dizer. Assim como na vida, você nunca sabe quando algo de impactante vai acontecer e mudar todo o rumo da sua vida, ou de alguém próximo a você. Então, me livrei de fórmulas e escrevi uma história onde cada personagem “cava a própria cova”, haha. E eu, só fiz o favor de contar o que eu via acontecendo com eles em minha mente. O livro tem um lado muito mágico, fantasioso. Certamente o leitor vai experimentar extremos. Vai surfar em sonhos surreais e coloridos com a personagem principal, e vai embarcar numa desgostosa rede de acontecimentos trágicos e inesperados. Como a vida, meu livro é gostoso, mas perigoso.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Gosto muito da leveza das palavras de Carlos Ruiz Zafón, da agressividade no terror do Stephen King e amo o realismo de Machado de Assis. Também me inspiro muito em Dino Sagre e Vladmir Nabokov.

Se "A Cidade dos Esquecidos" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Ah, a música In The Dark, do Cathedrals representa bastante minha história. E certamente Starry Starry Night, do Don McLean define a protagonista. Mas tem uma playlist do livro no Spotify.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Eu escrevo desde criança. Meu primeiro livro foi Esquimolândia, escrito em 2006, quando eu tinha 16 anos. Mas só comecei a publicar recentemente, então ainda não consigo viver da escrita. Por isso tenho outra profissão. Sou motion designer e editor de vídeo. 

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Fiquei muito contente com a oportunidade de dar essa entrevista! Amo conversar sobre as histórias que compartilho com os leitores. Espero que todos tenham curtido e se quiserem, fiquem à vontade para me adicionar nas redes sociais! Vou adorar ouvir a impressão de cada um sobre A Cidade dos Esquecidos. Ou podemos bater papo sobre a vida, o universo e tudo mais mesmo! Sem problemas. Haha... Um muito obrigado ao blog Vitamina Livros e parabéns pelo trabalho de vocês. Um muito obrigado também aos leitores. Espero que gostem... Ou melhor, do que isso... Embarquem nos mistérios da Cidade dos Esquecidos! Um abraço.

Ulisses Alves tem 27 anos e é de Teresópolis - RJ.

PARA LER "A CIDADE DOS ESQUECIDOS" CLIQUE AQUI!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: