quarta-feira, 24 de agosto de 2016

ENTREVISTA COM VANIA P. S. HU'YJU, AUTORA DE PORASY E O ESTRANHO MUNDO DAS HISTÓRIAS DE SEU AVÔ INDÍGENA

SINOPSE: Eu tinha por mim que minha vida era comum, e que assim continuaria, até que coisas estranhas começaram a acontecer. Uma dessas coisas mudaram totalmente a forma como eu percebia a vida e, principalmente, como eu via as histórias contadas por meu avô, Carlos Tupã'y, e os outros idosos da nossa pequena comunidade indígena. Tudo o que meu avô contava parecia tão irreal para uma menina de 13 anos, que cresceu na beira da estrada, vendo somente as grandes plantações de soja em volta, e agora a cana-de-açúcar, que sempre que ele se assentava em volta do fogo para tomar mate nas manhãs frias, ou embaixo de uma árvore para tomar tereré em dias quentes, eu me assentava perto, porque sabia, lá vinha história. Eu só não esperava que fosse, literalmente, viver uma dessas histórias, em pleno século XXI.


Como surgiu a ideia de escrever "Porasy e o estranho mundo das histórias de seu avô indígena"? Moro no MS e trabalho com povos indígenas locais há mais de 25 anos. Tenho vários trabalhos de pesquisa sobre os povos Kaiowá e Guarani publicados. Comecei há três anos a me enveredar no caminho de escrita de livros de ficção e fantasia a partir da mitologia desses povos. O primeiro livro que escrevei nesse sentido foi o livro Jegwaká: o clã do centro da Terra. Mas a ideia de escrita do livro “Porasy e o estranho mundo das histórias de seu avô indígena”, veio a partir de um outro livro meu “Kerana e os sete monstroslendários”. O livro da Kerana é um livro com 3 contos, sendo que o que dá nome ao livro é de mitologia Kaiowá e conta sobre como Kerana veio a ser a mãe dos sete monstros lendários. Escrevi este livro para um concurso de Fantasia do Wattpad e ele ficou em segundo lugar. Todos que o liam me pediam que eu o continuasse, para contar sobre o destino dos filhos monstros. Como eu já intentava escrever algo sobre a realidade indígena local, me decidi a misturar ficção e realidade e comecei o livro.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Na verdade este livro ainda está no começo. Somente a estrutura e o que virá em cada capítulo está pronto. Mas como é assim que escrevi os outros livros, penso que em menos de 10 meses ele fica pronto. 

O que o leitor pode esperar de "Porasy e o estranho mundo das histórias de seu avô indígena"? O livro conta sobre uma adolescente indígena de 13 anos que vive em um acampamento indígena, onde sua comunidade espera, há mais de 10 anos, pela demarcação de suas terras, que já foram declaradas Terras tradicionais indígenas. Porasy tem um avô que conta muitas histórias, e uma dessas histórias é sobre os filhos lendários de Kerana. Á medida que a adolescente começa a ouvir e saber sobre os monstros, ela começa também a ter contato com eles. E ela terá que se defrontar com eles todos, mais cedo ou mais tarde, pois a presença deles nos arredores de onde ela mora se mostra clara. O livro é de fantasia, mas o contexto é histórico. Então entra o tempo todo fatos, lugares e situações reais vividas pelos povos indígenas do MS. E os próprios monstros lendários pode ser uma explicação para um de pessoas cruéis que acercam as comunidades indígenas.   

Qual autor ou autora é seu preferido? Bom, eu tenho muitos autores preferidos: Em fantasia gosto de C. S. Lewis e Tolkien. Em ficção histórica Bernard Cornwell e Ken Follet; romance gosto de Jane Eire, etc. De autores brasileiros de fantasia gosto demais de André Vianco. Mas já me emocionei e ainda me emociono com vários outros como: Graciliano Ramos, José Mauro de Vasconcelos, Érico Veríssimo, etc. São muitos, não dá mesmo para enumerar.

Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Com certeza sim. Tolkien é a minha inspiração na escrita de fantasia.

Se "Porasy e o estranho mundo das histórias de seu avô indígena" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Olha, eu não sou muito boa com música não. Mas gosto de instrumental, épicas, como as de Senhor dos Anéis, por exemplo rsrs.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Na verdade, sou professora. Só escrevo a noite, por alguns momentos. Sou professora de séries iniciais em Escola Indígena e também da Ação Saberes Indígenas pela UFMS.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Bom pessoal, agradeço a atenção e carinho de vocês e os convido a conhecerem este e outros livros meus. Existem muitas histórias desconhecidas e extremamente interessantes, que não ainda não foram contadas. E as de mitologia indígena brasileira são algumas delas. Escrevo sobre mitologia indígena, mas trago algo novo, desconhecido da maioria das pessoas. Vale a pena dar uma conferida. Um abraço: Vania.

Vania P. S. Hu'yju tem 49 anos e é de Dourados - MS.

PARA LER "PORASY E O ESTRANHO MUNDO DAS HISTÓRIAS DE SEU AVÔ INDÍGENA" CLIQUE AQUI!




    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: