sexta-feira, 12 de agosto de 2016

RESENHA: A ESCOLHA

SINOPSE: Travis Parker possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão que desejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby, aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a ruiva atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever. Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?


Um livro extremamente romântico que traz a história de duas pessoas muito diferentes – Travis e Gabby – unidas pelo amor que ambos tem por cachorros. Tudo começa quando Gabby desconfia que sua cadela está grávida, e depois de achar coragem o suficiente, ela vai na casa de Travis – eles eram vizinhos – tirar satisfação achando que o responsável por isso foi o cachorro dele. O que ela não esperava descobrir é que o cachorro do Travis era castrado (ri demais nessa parte), e mais que isso, o próprio Travis era o veterinário da cidade, o que consequentemente irá auxiliar a cadela. Surge então uma atração entre ambos. Um tipo de amor à primeira vista. Nunca Travis sentiu por nenhum outra mulher o que ele sente por Gabby. E nunca Gabby sentiu-se tão atraída – não só fisicamente – por um homem. Mas existe algo que compromete a relação de Gabby e Travis. Gabby é uma mulher comprometida e faz questão de deixar isso bem claro para Travis e seus amigos. Mesmo não estando totalmente satisfeita com sua relação, ela tenta ao máximo faze-la durar, e acho até que isso foi uma forma que ela encontrou de tentar contornar tudo o que ela estava sentindo por Travis. E um fim de semana era o que faltava para ambos consumarem esse amor incontrolável. Conhecendo melhor os amigos e a irmã de Travis, Gabby, mesmo receosa, resolve dar uma chance a essa amor.


O livro é dividido em duas partes: a primeira nos conta a história de cada um dos protagonistas, e os acontecimentos que levaram ambos a se encontrarem e darem uma chance para o amor, assim como o que sucede-se a isso. Esta primeira é a mais leve, romântica e com alguns clichês, nos traz a essência do amor puro, que a princípio pode parecer bobo. Já  na segunda parte do livro o autor começa a mostrar o drama da vida de Travis, que começou devido à algumas escolhas simples tomadas por ele, que causaram um grande tormento em sua vida no ápice da história. O que faltou no livro: talvez a única coisa a apontar que tenha faltado, tenha sido o que aconteceu com o ex-namorado de Gabby. Deixou no ar se ele gostava ou não dela. Confesso também que fiquei impressionado com a rapidez com a qual os personagens disseram "Eu te amo" um ao outro e com a atitude de um deles, exatamente porque nunca imaginei que o Nicholas pudesse escrever algo assim e porque, para mim, a maioria dos personagens dele sempre teve atitudes "certinhas". Mas, a conclusão de todo o romance e a maneira linda de como ele consegue envolver o tema família na história, me faz reconsiderar essas coisas. É, ele realmente sabe como tocar seus leitores. Mas a tal escolha não era escolher entre Travis e seu namorado.


Achei o livro muito narrado e com poucos diálogos, senti falta de conhecer mais os personagens através do que eles falam e não somente pelo que estava sendo contado. O livro tem essa passagem de tempo brusca e pá! Nem sabíamos quem Gabby tinha escolhido e ela já estava vegetando. Depois de alguns anos de casamento e duas lindas filhas, Gabby vai trabalhar no hospital da cidade e se depara com o caso de um senhor cuja esposa está em coma há alguns anos e acompanha o sofrimento do homem e como todo o seu amor e devoção à esposa acabaram se tornando ressentimento devido ao seu quadro clínico que nunca mudara. Esse caso deixou Gabby tão chocada que ela chega a ter uma séria conversa com Travis exigindo que, caso ela se encontrasse nas mesmas condições e seu quadro não mudasse em 3 meses, ele deveria prometer que desligaria os aparelhos e a deixaria morrer. E como um bom clichê, isso realmente acontece. Gabby sofre um acidente e está há 3 meses em coma, sem sinais de melhora. Travis se vê obrigado a tomar uma decisão. Mas como prosseguir? Honrar com sua promessa e realizar o pedido de sua esposa? Permitir que ela morra e o deixe sozinho, junto de suas duas filhas? Impedir que ela parta, ignorando sua promessa e o testamento (que o obriga, por lei, a seguir o que foi escrito) deixado por ela? E então vem A Escolha (dele), a verdadeira Escolha sobre decidir o que fazer sobre a situação dela.


Apesar de tudo, o livro é um dos melhores do Nicholas. Me fez ir dar risada em poucas páginas. Travis é um romântico nato e incorrigível, mas também o típico garanhão. Gabby é uma mulher forte e durona, equilibrada, mas influenciável. Durante essa segunda fase acompanhamos todo o drama envolto a decisão que Travis deve tomar, mergulhando direto em suas emoções e sentindo sua angustia crescente a cada frase lida, conforme a história vai avançando. Só vou dizer que quando faltavam umas 80 páginas para o fim, eu fui ler a última parte para saber se ela saia do coma e bem rs. #Mejulguem 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: