quarta-feira, 17 de agosto de 2016

RESENHA: O ORFANATO DA SENHORITA PEREGRINE PARA CRIANÇAS PECULIARES

SINOPSE: Eleito uma das 100 obras mais importantes da literatura jovem de todos os tempos, O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares, é um romance que mistura ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas. 


Jacob Portman cresceu ouvindo as historias incríveis que seu avô viveu na infância. Sobre como nascera na Polônia e com cinco anos de idade fora mandado para um orfanato no País de Gales, sua vida como artista de circo, viagens de navios a vapor, guerras e muitas outras aventuras. Mas o que mais impressionava Jacob eram os monstros de que seu avô precisava fugir. Mas com a idade veio à desconfiança de que seu avô estava enlouquecendo, preso em casa com medo, um armário cheio de armas, surtos, e a certeza de que os monstros estavam vindo atrás dele. Foi assim que Jacob, no segundo ano de escola, deixou de acreditar nas historias de seu avô. Herdeiro de uma parte considerável das empresas Smart AID, filho único de pais bem sucedidos, Jacob ama seu avô com todo o coração. 


Mas uma grande tragédia acontece, ele presencia a morte de seu avô. Suas ultimas palavras foram cheias de significados: “Vá para a ilha. Lá você estará em segurança. Prometa. Encontre a Ave. Na fenda. Do outro lado do tumulo do homem velho. Três de setembro de 1940... Emerson... a carta. Conte a eles o que aconteceu, Yacob.” E o pior foi ter a certeza de ter visto o assassino, uma criatura horrível com “olhos que nadavam em liquido escuro, trincheiras peludas de carne negra como carvão... línguas compridas como enguias...”


Convencido de que era uma reação ao estresse, e incentivado por seu psiquiatra, Jacob vai em busca de respostas. Encontra uma carta que seria de alguém do orfanato e vai até uma ilha para poder desvendar esse mistério. Uma casa abandonada, ou o que sobrou dela. Algo inabitável e horripilante, destruída pelo tempo. Em meio aos destroços ele encontra um velho álbum de fotografia, fotos de crianças brincando... Mas também haviam algumas fotos diferentes, parecidas com as de seu avô, um rapaz coberto por abelhas, uma menina que refletia na água tornara-se duas, outa flutuando, um rapaz segurando uma enorme pedra, outro parecia ser invisível...


Numa busca desesperado por respostas ele descobre o orfanato continua vivo apesar de todos os anos e do terrível acidente que aconteceu... Que o tempo parou para eles, num mundo onde não há doenças nem morte. Apenas o hoje. Onde estão seguros do mundo. Uma menina capaz de formar bolas de fogo em suas mãos e assim mesmo, não se queimar. Emma, assim como todas as outras crianças eram protegidas por Ave. Uma alma bondosa que os salvou, crianças peculiares que foram abandonadas, humilhadas, rejeitadas, maltratadas e até torturadas por possuírem dons.


Crianças bizarras que controlavam fogo, podiam dar vida a coisas mortas, ver o futuro, ser invisível e até ter uma segunda boca com mandíbulas poderosas localizada na parte de trás da cabeça. Muitos segredos, um mundo em que Vovô Abe viveu por anos, um lugar em que apenas Peculiares podem entrar. Suas respostas serão encontradas e um amor antigo pode se tornar atual, as lutas de seu avô serão agora sua responsabilidade. Os monstros que mataram seu avô agora o queriam e Jacob os tinha levado até o Orfanato.


A ideia inicial de Ransom Riggs para o livro era fazer um livro de fotografias antigas, pitorescas, que, assumindo uma determinada sequência, contariam uma história visual. A partir daí, Riggs teve a feliz ideia de criar uma narrativa e usar as fotografias para ilustrar a história. Pela capa acreditei que seria um livro de terror, mas ao decorrer da leitura percebi que estava enganado. O livro é uma mistura de suspense, fantasia e fotografia. Uma leitura muito divertida. A capa tem um toque sobrenatural que remete aos filmes de terror sobre construções assombradas, lugarejos onde se ocultam antigos e sinistros segredos de família, e filmes de mistério e terror dos anos 1950. 


Adorei também as fotografias em preto e branco ilustrando situações narradas no livro, colocadas em pontos estratégicos pelo autor para aguçar a nossa curiosidade, ou provocar aquela sensação de desconforto que antecede um momento de susto. Segundo o autor, as fotos são reais, emprestadas de amigos colecionadores de fotografias antigas. Algumas são bizarras, outras, poéticas e uma meia dúzia delas são assombrosas. Essas fotos mexem com o imaginário de uma tal forma que, a medida em que vamos lendo e vislumbrando essas fotografias, é como se eu estivéssemos tendo duas histórias diante dos olhos: a escrita, contada pela ótica de Jacob, o adolescente, e a visual, reveladas pelas imagens. Ambas as narrativas parecem formar dois mundos distintos, mas que se entrelaçam no decorrer da leitura. 


Uma historia bem escrita que encanta e fascina. E se desenrola numa velocidade incrível. O final é ótimo e deixa-nos curiosos para saber o que vai acontecer nessa jornada. O universo que o autor criou sobre os Peculiares é incrível. O melhor é que o mundo dos Peculiares consegue nos soar ao mesmo tempo mágico e real. Se por um lado, é fantástico imaginar como seria um mundo onde pessoas com poderes como ficar invisível e flutuar existem, a explicação que Riggs dá para a existência dessas pessoas é bastante crível.


O livro tem muito a cara do Tim Burton (até fala isso na contracapa) e o filme dirigido pelo próprio estreará em setembro nos cinemas com um título um pouco menor.

4 comentários:

  1. Olá!!
    Vi o link do seu blog lá no grupo do facebook e vim visitar :)
    Já gostei de cara da descrição da vitamina L!
    Agora estou dando uma olhada nas suas resenhas, porque sou uma escritora completamente apaixonada por livros. E não é a primeira vez que ouço falar desse livro.. Mas lendo a sua resenha, fiquei super curiosa para ler, você falando também das fotografias. Nossa, muito diferente né! Já coloquei na minha listinha!
    Espero descobrir mais livros por aqui ^^
    Beeijo
    http://lecaferouge.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Tamara, fico muito feliz que gostou do blog, ele é feito com muito amor!!! Todos os dias tem uma resenha nova no blog e entrevistas com autores!!!

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da Resenha, fiquei curiosa para ler o livro, parece ser muito bom mesmo!
    Parabéns pelo Blog é sensacional! Sucesso Rodrigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, ficamos felizes que gostou do blog e da resenha!!! Leia o livro, vale a pena e recomendamos a trilogia!!!

      Excluir

Comente com o Facebook: