quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ENTREVISTA COM ANDRÉ S. SILVA, AUTOR DE SIMUUM - O RAPTO DO SOL

SINOPSE: Quando o amor por sua noiva Maferi leva o valente Okan a desafiar o poder de Nokembe, a ira do Último Feiticeiro é despertada, desencadeando uma força que ameaçará todo o mundo. Naquela noite fatídica, Nokembe aprisiona o Sol em seus domínios, condenando as terras de Zhaya a uma existência sob luz ou trevas eternas, paralisando o próprio tempo com seu veneno. Acreditando ser o único capaz de destruir o Feiticeiro, Okan viaja do leste para o oeste, da noite profunda a manhã radiante, cruzando savanas, desertos, e cidades perdidas. Nesta jornada, onde quase nada é o que aparenta ser, muitos perigos o aguardam até que Okan alcance o refúgio de Nokembe, confrontando-o em um final explosivo - e surpreendente.

Como surgiu a ideia de escrever "Simuum – O Rapto do Sol”? Minha inspiração veio de uma ilustração que vi, isso uns dez anos atrás, de um guerreiro tribal africano no que parecia ser um vilarejo desenvolvido, tendo ao seu lado uma espécie de animal de outro mundo. A partir daí, comecei a pensar em como existia esse "vazio", no que diz respeito à literatura de fantasia, para mais histórias inspiradas não na mitologia europeia, mas na africana. Depois a coisa meio que se ganhou vida própria. Senti vontade de contar uma história com cara de faz-de-conta, sem tantas regras atreladas a um "lore" pré-concebido e sem limites para o que eu fosse capaz de imaginar. Sabe, como na mitologia humana mesmo, em que um titã é condenado a carregar a abóbada celeste nas costas e você simplesmente aceita que é assim e pronto rs. Então me deixei sonhar acordado em coisas como um rosto gigante nas nuvens ou um sol que nunca pudesse se pôr, combinando essas ideias delirantes com outras influências, de "O Rei Leão" até "Matrix" e especialmente as lendas africanas, nas quais mergulhei de cabeça antes de dar forma final a história. PS: Queria ter salvo aquele desenho...

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Da primeira ideia até o tratamento mais recente, isso entre idas e vindas e até que estivesse realmente satisfeito com a narrativa, uns bons cinco anos.

O que o leitor pode esperar de "Simuum – O Rapto do Sol”? Um tipo diferente de literatura fantástica, com muita aventura, romance, personagens cativantes e um final que foge dos padrões e pega o leitor de surpresa (ou assim espero rs)

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? O melhor livro que já li na vida é "House of Leaves", de Mark Z. Danielewski, que infelizmente nunca foi lançado no Brasil, seguido de perto por "1984", de George Orwell. Outros dos meus autores favoritos são George R.R. Martin, Tolkien, Virginia Woolf, James Joyce, Emily Dickinson, Edgar Allan Poe, H.P. Lovecraft, J.K. Rowling e André Vianco, este último pela espetacular trajetória e pioneirismo enquanto autor nacional de literatura fantástica. E todos eles me servem de inspiração, cada qual a sua maneira.

Se "Simuum – O Rapto do Sol" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? "Ghost Love Score", do Nightwish. Da letra aos arranjos, ela transpira todo o sentimento que tentei por no papel quando estava escrevendo. É definitivamente A música que tocaria "nos créditos" de O Rapto do Sol se um dia ele virasse filme (Spielberg, me liga!).
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Tenho outro emprego sim, aquele que de fato paga as contas rs Infelizmente, viver exclusivamente de literatura, ainda mais no Brasil, é muito difícil. Mas um dia a gente chega lá. 

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Leiam "Simuum - O Rapto do Sol" e meu outro romance, "O Sítio", no Wattpad! Se gostarem, não deixem de conferir meus outros trabalhos, publicados pela Editora Draco (@editoradraco) na minha página na Amazon. E meu muito obrigado ao Vitamina L pela oportunidade, grande abraço!

André S. Silva tem 32 anos e mora no Rio de Janeiro - RJ.

PARA LER "SIMUUM - O RAPTO DO SOL" CLIQUE AQUI!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: