quarta-feira, 26 de outubro de 2016

ENTREVISTA COM MARCIA KUPSTAS, AUTORA DE UM AMIGO NO ESCURO

SINOPSE: Luciana tem treze anos e está entediada. Um blecaute deixou a cidade em que mora sem luz durante horas. Chateada com os pais, que vivem brigando, ela se tranca no quarto e decide tentar a sorte num jogo de roleta-russa ao telefone. Ao discar números aleatoriamente, Miguel atende à sua ligação. E uma amizade improvável, entre pessoas diferentes, nasce a partir de uma conversa despretensiosa. Miguel tem 28 anos, quase o dobro da idade de Luciana, e mais vivência do que a garota que está entrando na adolescência. A troca de confidências entre eles acaba revelando as inseguranças e os desejos dos personagens que enfrentam momentos de transformação. E algumas revelações importantes vão surpreender quem está do outro lado da linha.


Comemorando 30 anos de uma bem-sucedida carreira como autora de livros infantis e juvenis vem a seguinte questão: porque escrever para crianças e adolescentes? Acho o público jovem muito generoso. Quando gosta do que você escreve, o leitor te procura , envia mensagem, lê outros livros, faz tietagem mesmo... Já o adulto é mais distante e a criança pequena nem entende de autoria, quem lê é o "autor" da história... Este contato com leitor é gratificante e o jovem é assim.

E como surgiu a ideia de escrever "Um Amigo no Escuro"? Você escreveu "Um Amigo no Escuro” baseado na sua própria vivência ou de conhecidos? Se não, buscou quais inspirações? Houve mesmo um grande blecaute em São Paulo pela ocasião em que escrevi a história. Mas aí o q funcionou foi à imaginação de escritor, o "e se". "E se" uma garota se entediasse e quisesse falar com alguém? E se este alguém fosse mais velho? E se... Aí o enredo foi-se construindo.

O que o leitor pode esperar de "Um Amigo no Escuro"? Uma grande história de amizade. A possibilidade de encontros mágicos que nos trazem o inesperado. A esperança de que sempre a vida é surpreendente e temos de nos manter atentos às chances de topar a amizade, o amor, a alegria em encontros casuais, quando nós nos abrimos a eles.

Como foi construir essa troca de aprendizado entre Luciana (de 13 anos) e Miguel (de 28 anos)? Qual o principal objetivo ao fazer essa troca de confidências entre pessoas de idades tão diferentes? Foi um exercício de sensibilidade, marcar pela linguagem, vivência e diferença de idades, as características de um e outro personagem. Um bom desafio, e gosto de desafios.

Como surgiu a ideia de abordar temas delicados, como a deficiência física e a busca pela aprovação dos amigos, para os jovens nesse livro? Em todos os meus livros procuro temas que tratem de momentos decisivos na vida, certos instantes que são ritos de passagem e nos despertam para o inesperado. Foi assim com o livro de estreia CRESCER É PERIGOSO, em que a festa de aniversário transforma os personagens ou meu último livro a sair na coleção MÁRCIA KUPSTAS, da Atica, QUEM QUER FICAR QUEM QUER PARTIR, em que o velório de uma professora reúne antigas amigas pra se acertarem com o passado... Temas delicados e marcantes para personagens e leitores.

Quais autores são seus preferidos e quais livros marcaram sua infância e adolescência? Como eles te inspiraram a escrever? Amava livros de Monteiro Lobato, até hoje guardo todos meus exemplares de O SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO. Mas sempre fui leitora voraz, e nem de ler UM livro; quando gostava (ou gosto), vou atrás do autor e leio tuuuuuudo que puder... Li tudo da Agatha Christie, de Conan Doyle (não só histórias de Sherlock Holmes), de Machado de Assis, de Rubem Fonseca, Stephen King... Não percebo uma influência, tudo vira modelo e aos poucos você parte pra seu próprio jeito de transmitir o que deseja com recursos de que nem lembra mais de onde surgiu...

Para você, qual é o maior desafio em criar e desenvolver um personagem principal? Preciso SENTIR o personagem, entrar em sua pele. Pode ser um assassino ou uma freira, uma pessoa inteligente ou brutal, isso não importa, NUNCA julgo meus personagens, eu só os retrato do modo como precisam ser, pra viver aquela história. Quando bem feito, ê um trabalho parecido com o de ator, que entra na pele do personagem e o vive convincentemente.

Como é sua rotina para escrever? Tem alguma rotina para escrever, alguma disciplina, um horário determinado? Já variou bastante, em outras épocas precisava registrar toda a primeira versão de um só momento, então escrevia "até me acabar", 10-12 h por dia. Isto mata! Parei, hoje me programo pra escrever direto 3 h por dia, se tenho viagens ou pesquisas, paro o livro por 2/3 semanas... Mas quando reassumo a escrita, quero mantê-lo próximo de mim até chegar a um certo ponto, assim X capítulo ou encerrar a primeira parte, por exemplo . Depois vem a reescritura. Posso levar meses reescrevendo capítulos inteiros se for preciso.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Ler é viajar sem sair de casa, é a oportunidade de fazer amigos de outros planetas ou se apaixonar por alguém de outro século. É ser inteiro em qualquer momento e lugar. Dê uma chance aos livros, eles podem surpreender você!

Sobre a autora: Marcia Kupstas nasceu na cidade de São Paulo em 1957. Seu fascínio pela leitura é resultado das histórias que ouvia dos pais e dos avós na infância. Em 1982, formou-se professora de Língua Portuguesa e Literatura pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Inscreveu inúmeros contos em concursos e publicou textos em antologias. Em 1986, publicou seu primeiro livro, Crescer é perigoso, pelo qual recebeu o prêmio de revelação do Concurso Mercedes-Benz de Literatura Juvenil. Outros prêmios vieram desde então, dentre eles um Jabuti, com Eles não são anjos como eu, que ficou em segundo lugar na categoria literatura juvenil em 2005 Hoje, Marcia tem mais de cem obras publicadas.

A coleção Marcia Kupstas: Um amigo no escuro faz parte da coleção Marcia Kupstas, que celebra essa autora de grande importância para a literatura juvenil brasileira. Desde o início de sua carreira, em 1986, Marcia vem conquistando prêmios e cativando leitores, especialmente jovens, por todo o Brasil. Não à toa: a escrita bem cuidada apresenta enredos envolventes e personagens tão verdadeiros que percebemos traços de cada um deles em nós. Agora, as melhores dessas histórias integram esta série exclusiva.

Ficha Técnica
Título: Um amigo no escuro
Autora: Marcia Kupstas
Ilustrador: Diego Sanches
Segmento: Literatura juvenil
Editora: Ática
Páginas: 88
Preço: R$ 43

Indicação: 8º e 9º anos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: