segunda-feira, 3 de outubro de 2016

MATÉRIA ESPECIAL: SÉRIES BASEADAS EM LIVROS

Não é novidade nenhuma que vosso leitor que vos fala é apaixonado por livros, séries e filmes (necessariamente nessa ordem!). Pesquisando um pouco, descobri sobre algumas séries que são baseadas livros (vamos começar com três delas) e depois disso não estou sabendo lidar, não sei o que dizer, apenas sentir! Então pega seu bloco de anotações, prepara a pipoca e cola com a gente para saber mais!

HEMLOCK GROVE


SINOPSE DO LIVRO: Para você que está cansado de livros de vampiros e lobisomens inofensivos e sensíveis... Um mistério abala a cidade de Hemlock Grove. Quando Brooke Bluebell, uma jovem de 17 anos, é brutalmente assassinada na antiga siderúrgica de Godfrey numa noite de lua cheia, as suspeitas rapidamente recaem sobre Peter Rumancek, o jovem cigano que muitos acreditam ser um lobisomem, e Roman Godfrey, o esnobe milionário herdeiro da fábrica onde o corpo de Brooke foi encontrado. Injustiçados, Peter e Roman resolvem unir forças para descobrir o verdadeiro assassino e provar que são inocentes. A caçada começa quando outras mortes passam a ocorrer – também em noites de lua cheia - e os jovens começam a desconfiar que estão mais envolvidos com o caso do que poderiam imaginar... Em “Hemlock Grove” os arquétipos de monstros clássicos são recriados de forma inovadora e eletrizante. A cada página, o mistério se intensifica, envolvendo o leitor numa trama de horror surpreendente, indicada para aqueles com estômago forte.


A SÉRIE: Tem 3 temporadas disponíveis. Foi lançada quando na época da moda de vampiros e lobisomens (cofcofCrepúsculo). O piloto de Hemlock Grove é no mínimo curioso. A narrativa tem início com o brutal assassinato de uma garota, aparentemente devorada por um animal, nos arredores da fictícia cidade que dá nome à série. É aí que, em flashback, conhecemos Peter (Landon Liboiron), um adolescente cigano recém-chegado em Hemlock Grove, e sua estranha mãe Lynda. O episódio também nos apresenta a peculiar e abastada família Godfrey e o primogênito Roman (Bill Skarsgård). Sem estabelecer bem a dinâmica entre os dois protagonistas (que somente será construída ao longo dos episódios), o capítulo surge com uma sequência de cenas desconexas, bizarras e, apenas em alguns momentos, interessantes. 



Descobrimos que algumas daquelas pessoas possuem poderes sobrenaturais, mas que não são escancarados logo de cara. Peter aparenta ser um lobisomem (o que é confirmado somente nos promos da série) e Roman uma espécie desconhecida que tem o poder de persuasão. Também conhecemos a matriarca dos Godfrey, a poderosa Olivia (Famke Janssen), e sua bisonha filha Shelley (uma menina gigante, deformada e sem um dos olhos). A referência a Frankenstein, de Mary Shelley, é óbvia. O episódio inicial não estabelece bem a trama, apenas introduz essas figuras estranhas e misteriosas. Apenas no final do capítulo, quando Peter e Roman começam a ser tratados pela polícia local como potenciais suspeitos do crime, é que a série dá o gancho do rumo que deverá seguir, com os dois investigando o caso “por fora”. Ainda assim, seria bom que Hemlock Grove fosse mais “didática” em sua estreia para que o público não ficasse tão perdido e sem motivação para continuar acompanhando (sentimento que, confesso, tive)Assisti ao primeiro episódio e apesar de parecer confuso, com algumas partes jogadas ao vento a série parece ter potencial. É tipo aquelas séries que só vendo os outros episódios vai entendendo realmente a história. Ouvi boatos que melhora nas outras temporadas. 
PS: Ainda não li o livro, mas está na lista de livros que quero ler e que aceito como presente de aniversário #ficaadica

BATES MOTEL



SINOPSE DO LIVRO: Psicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em Psicose, sem edição no Brasil há 50 anos, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bates, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.


Pois é galera, eu não sabia que tinha um livro do filme clássico de Hitchcock #mejulguem rs, mas quando soube já fiquei desesperado para ler. Hitchcock comprou anonimamente os direitos do livro de Robert Bloch, que deu origem ao roteiro do filme, ele pagou onze mil dólares e depois comprou todas as cópias disponíveis no mercado para que ninguém o lesse e, consequentemente, seu final não fosse revelado. Psicose custou 800 mil dólares e faturou 50 milhões de dólares nas bilheterias do mundo inteiro. Para quem não lembra o filme é aquele com clássica cena do chuveiro com aquela música sinistra:
PS: Psicose foi filmado em preto e branco por opção do próprio Alfred Hitchcock, que considerava que a cores o filme ficaria "ensanguentado" demais.



A SÉRIE: Planejada para 5 temporadas com 4 já disponíveis (chega logo março!!!) a série é um prólogo contemporâneo do filme e conta a vida de Norman Bates (Freddie Highmore) ao longo de seus 17 anos, muito antes de Marion Crane chegar ao Bates Motel no clássico de terror Psicose. Na série, o pai de Norman acaba de morrer e ele se muda para a cidade de White Pine Bay, no estado de Oregon, nos Estados Unidos onde sua mãe Norma (Vera Farmiga) acaba de comprar um Motel para que os dois possam recomeçar suas vidas. Por ser uma série há muito mais que apenas a história da vida de Norman, há o pano de fundo que consiste em uma guerra entre os traficantes de maconha da pequena em cidade que o irmão de Norman está envolvido. Aos poucos, tudo o que já vimos que acontece em Psicose é inserido na série, por exemplo, no inicio do filme Norman diz para a hóspede que faz muito tempo que ninguém se hospeda lá por conta de um desvio que há na estrada principal, na série, Norma, a nova proprietária, tenta lutar contra a prefeitura da cidade que quer fazer a tal estrada. O mesmo ocorre quando logo no começo Norman conhece o pai de sua amiga que o ensina a empalhar animais mortos. Há diversas sutilezas que já dão indícios do motivo de Norman fazer o que faz em Psicose.


Em Psicose, no final descobrimos a obsessão que Norman tem pela mãe e em Bates Motel vemos na tela o que o fez ser o que é, ele ama sua mãe mais que tudo e a defende sempre que necessário porque ela faz de tudo para que ele não se afaste dela, é completamente obsessiva e o quer por perto sempre, exatamente como já era descrita em Psicose, mas dessa vez ela é de carne e osso e um osso bem duro de roer! Os criadores da série optaram pelo fato de Norman Bates já demonstrar um quadro de psicose desde cedo, o que vai se agravando ao longo da série graças a sua querida mãe. A psicose é uma doença reconhecida pelo instituto legal de psiquiatria e seus sintomas se baseiam basicamente na perda de contato com a realidade, ou seja, a pessoa fica em estado de transe por um determinado motivo e quando volta não se lembra do que fez. O que deve ser tratado é o que gerou isso, ou seja, descobrir o motivo que fez a pessoa ter entrado em tal estado.


A primeira temporada é eletrizante, a segunda um pouco regular, mas já sei que a terceira e quarta são do balacobaco porque mostram Norman já bem próximo do que vemos no filme. Não tem como não amar os personagens da série: A mãe louca que chega a ser fofa a engraçada, Emma (Olívia Cooke), uma espécie de Hazel Grace que nos encanta, Dylan (Max Thieriot), o rebelde sem causa que também aprendemos a gostar e Norman, que apesar dos apesares, nos faz ter dó e nos solidarizarmos dele em muitos momentos. 


Uma curiosidade é que a história do tal homem obcecado pela mãe e quem tem transtornos de personalidade é inspirada em uma história real, a de Edward Gein. Edward Gein viveu de 1906 á 1984, muito próximo do escritor do livro baseado em sua história, em Plainfield. Ele tinha um pai alcoólatra e muito agressivo que morreu cedo e uma mãe super protetora, que por ter um marido transtornado tentava proteger seu filho de tudo a qualquer custo e o sentimento era recíproco, porém, mesmo depois de adulto ele continuava a acatar suas ordens de forma obsessiva. Quando ela morreu após um derrame ele passou a se isolar, vivia praticamente o tempo todo em sua fazenda e mal ia para a cidade. Nessa época ocorreram alguns desaparecimentos de comerciantes locais e após alguns indícios a polícia foi revistar a sua casa. Além de encontrarem o corpo da pessoa desaparecida na casa de Edward também encontraram outros artefatos feitos de pele humana, incluindo uma roupa que imitava perfeitamente um busto feminino; após tamanhas provas Edward assumiu que usava o seio feito de pele humana para andar na rua e agir como sua mãe. Após isso ele foi internado em uma clinica psiquiátrica onde passou o resto de seus dias.

UNDER THE DOME


SINOPSE DO LIVRO: Em um dia normal de outono, na cidade de Chester Mill, Maine, a cidade é inexplicável e repentinamente isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Aviões colidem e caem do céu em chamas, a mão de um jardineiro é cortada na “cúpula”, as pessoas são separadas de suas famílias e os carros explodem com o impacto. Ninguém pode imaginar o que essa barreira é, de onde veio, e quando — ou se — ela irá embora.


Escrito pelo mestre Stephen King, o livro é enorme (mais de 900 e poucas páginas) e descreve o aparecimento do Domo em volta da cidade e tudo que acontece com devido a esse bizarro fenômeno. A partir do aparecimento do Domo e a tentativa de tanto se explicar o que está acontecendo quanto saber como se livrar do isolamento, os conflitos humanos começam a aparecer, máscaras caem, as pessoas desenvolvem comportamentos violentos, questões de má gestão política começam a ser descobertas, ao mesmo tempo, em que os envolvidos tentam escondê-las da população. E tudo se agrava devido ao isolamento da cidade.


A SÉRIE: Conheci a série primeiro e depois o livro. Na Rede Globo é exibida com o título Under the Dome - Prisão Invisível, já na TNT o título da série é O Domo. A série tem 3 temporadas e estreou com recordes e marcando época. Ao longo das duas temporadas seguintes, a audiência foi caindo e se manteve muito longe de seus excelentes números iniciais. E os fãs do livro reclamaram que ela é MUITO diferente do livro!

Um comentário:

Comente com o Facebook: