terça-feira, 18 de outubro de 2016

RESENHA DO LEITOR: A NOIVA FANTASMA

SINOPSE: Certa noite, meu pai me perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma... 1893. Li Lan é uma jovem que recebeu educação e cultura, mas que vive sem grandes perspectivas depois da falência de seus pais. Até surgir uma proposta capaz de mudar sua vida para sempre: casar-se com o herdeiro de uma família rica e poderosa. Há apenas um detalhe: seu noivo está morto. A Noiva Fantasma é o surpreendente romance de estreia de Yangsze Choo, a escritora de ascendência oriental que está encantando fãs por todo o mundo.


Ei gente! Olha eu aqui novamente! Quando pensei em fazer uma resenha sobre “A Noiva Fantasma” pensei que seria uma leitura chata e que me daria medo! Grande ERRO meu! Simplesmente AMEI ♥. “A Noiva Fantasma" é um romance que mistura os costumes e cultura do povo Malaio com coisas sobrenaturais. Borá conhecer um pouco sobre a leitura do dia?

Não conhecia a escrita de Yangsze Choo e posso falar que me SUPREENDEU! Achei a leitura agradável, uma leitura que flui. Toda a drama começa no final de 1800. A personagem principal do livro é Li Lan é uma jovem por volta dos dezessete anos. Li é uma moça que teve a oportunidade de aprender a ler e escrever. Graças a Amah (uma espécie de babá) Li teve uma educação. A jovem Li Lan perdeu sua mãe para a varíola há muitos anos e seu pai (que também sofreu por conta da varíola – ficou com o rosto com muitas marcas.) passa muito tempo em casa, porém ele é um pai ausente, já que fica grande parte do tempo fumando ópio trancado dentro do escritório. 


Em um desses momentos: “Pai no escritório” que o pai de Li Lan surge com a proposta – SER UMA NOIVA FANTASMA: "Certa noite, meu pai perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma. Perguntar talvez não seja bem a palavra. Estávamos em seu escritório, eu folheando um jornal e ele no sofá de vime. A noite estava quente e quieta, com mariposas voando em círculos pelo ar úmido, atraídas pela lamparina acesa."  - (Pag. 9). O título do livro faz referência a uma tradição presente nas comunidades chinesas no exterior continental chinês. Esse “evento” da tradição local pode acontecer de duas formas: casando duas pessoas mortas que se amavam quando era vivo ou então casando uma pessoa morta com uma viva. Para assim acalmar o espírito do morto e atender seus anseios.


Adivinha qual das duas situações nossa protagonista se encontra? SIIM! Na pior: se casar com alguém morto (ECA!). Acontece que, a família de Li Lan encontra-se a margem da falência ou melhor miséria. E se casando o presunto – defunto, Li viveria da melhor forma possível e ainda ajudaria sua família (leia-se: pai viciado em ópio). Lin Tian Ching (o morto em questão) é um rapaz que morreu muito jovem e recentemente, filho de uma das famílias mais ricas da cidade de Malaca, ele está atormentando sua mãe em sonhos para que casem ele com a jovem Li Lan. A mãe de Tian Ching faz tão a proposta ao pai de Li, como forma de acalmar o espirito do filho falecido. Mas vamos pensar... Essa não é uma tradição muito querida por lá.


A Noiva Fantasma é dividida em quatro partes: Malaia - 1893, O Além, A Planície dos Mortos e Malaca. Em cada parte da história estamos em “um lugar” diferente. Uma coisa devo dizer: Tian Chin é um cara que não larga o osso fácil! Mesmo lá na terra do pé junto, ele dá um jeito de atormentar não só mãe, mas também a pobre Li Lan. Isso mesmo! O cara dá um jeito de invadir seus sonhos. O cara perturba tanto Li Lan que ela acaba buscando meios para se livrar dele (o cara morto é assim, imagina quando era vivo!)...  É nesse momento que a jovem Li sem querer, sai do seu corpo. Esse é o ponto alto da história! Toda a aventura começa. Li Lan começa uma jornada para retornar ao seu corpo, que provar para si mesma que o primo de Tian Ching, o jovem Tian Bai (digamos que ela tem uma pequena grande queda por ele), não o assassinou o primo e claro, descobrir mais sobre seu passado. Esse é o memento que podemos conhecer um pouco mais sobre a cultura malaia/chinesa.


Minha opinião sobre A Noiva Fantasma é: Um romance diferente de tudo que já tinha lido. Mais uma vez AMEI, AMEI ler A Noiva Fantasma. Algumas coisas devo avisar: Para mergulhar fundo na obra, você deverá deixar de lado alguns conceitos modernos sobre machismo. Uma vez que, Li Lan é uma moça presa a uma cultura imensamente machista, no qual as mulheres não têm possuem quase nenhum objetivo de vida além de casar, ter filhos e fazer ainda fazer seus maridos felizes. Como se isso não bastasse, os maridos podem ter várias esposas e concubinas. Esse foi um dos fatores para eu gostar tanto de Li Lan. Ela vai contra tudo isso que lhe é imposto pela cultura local! Sobre a narração, posso dizer que gostei, no começo só estranhei um pouco a forma como os diálogos são apresentados no texto. Mas, nada que não seja fácil de se acostumar. Foi uma leitura que me prendeu do começo ao fim, sem deixa ponta solta. Vale a pena ler!


Ah! Já estava esquecendo Editora DarkSide, o que é aquelas folhas fofas no final do livro? PERFEITAS!!! No final do livro podemos aprender a fazer nosso próprio origami. E se quiser pode arrancar as folhas lindas para usar! Espero que tenham gostado dessa nova resenha. Até a próxima! Beijos, Renara. 
RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
24 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: