segunda-feira, 3 de outubro de 2016

RESENHA DO LEITOR: A TORRE NEGRA - O PISTOLEIRO

SINOPSE: Para evitar a completa destruição desse mundo já vazio e moribundo, Roland precisa alcançar a Torre Negra, eixo do qual depende todo o tempo e todo o espaço, e verdadeira obsessão para Roland, seu Cálice Sagrado, sua única razão de viver. O pistoleiro acredita que um misterioso personagem, a quem se refere como o homem de preto, conhece e pode revelar segredos capazes de ajudá-lo em sua busca pela Torre Negra, e por isso o persegue sem descanso. Pelo caminho, encontra pessoas que pertencem a seu ka-tet – ou seja, cujo destino está irremediavelmente ligado ao seu. Entre eles estão Alice, uma mulher que Roland encontra na desolada cidade de Tull, e Jake Chambers, um menino que foi transportado para o mundo de Roland depois de morrer em circunstâncias trágicas na Nova York de 1977. Mas o pistoleiro não conseguirá chegar sozinho ao fim da jornada que lhe foi predestinada. Na verdade, sua aventura se estenderá para outros mundos muito além do Mundo Médio, levando-o a realidades que ele jamais sonhara existir.


O homem de preto fugia pelo deserto e o pistoleiro ia atrás. Essa primeira frase marcante é o primeiro passo para dentro da obra prima de Stephen King, autor de O Iluminado, Carrie a estranha, A espera de um Milagre entre dezenas de outros clássicos. O pistoleiro acompanha Roland de Gilead, o último pistoleiro em um mundo pós-apocalíptico, em sua perseguição atrás do Homem de Preto. Roland é um homem obcecado pelo seu objetivo é que não irá medir esforços ou vidas perdidas para alcança-lo. Não recebemos nenhum detalhe, sobre quem ele é e da onde vem, mas sabemos o que ele quer. E isso é de grande importância, pois o pistoleiro não é um herói.


A narrativa se passa em uma terra árida e morta, e o livro segue um ritmo lento no início acompanhando o caminhar do pistoleiro. Aos poucos vão sendo revelados detalhes, seja pelas lembranças do protagonista ou pelas interações com outros personagens. Falando em personagens, conforme o desenrolar do livro, encontramos novos indivíduos, Alice uma mulher marcada pelo homem de preto com uma armadilha para o pistoleiro, e Jake o menino que morreu. E se lembra da própria morte. Essa experiência o deixa marcado e o fato de estar acordado em um novo mundo deixa ainda mais confuso. Seu encontro com o pistoleiro irá afeta-lo ainda mais.


O mundo apresenta algumas relíquias de tecnologia que ainda funcionam, mas também tem fortes influências de outros tipos de forças e realidades. Esse é só o primeiro livro de oito, King começou a escrevê-lo em 1970 com 19 anos e é possível acompanhar a evolução do autor ao longo dos livros. Essa série apresenta diversas ligações com os outros livros de King, mas não é necessário ter lido todos os outros para começar a Torre Negra.


Depois de muito tempo as gravações para esse épico estão acontecendo e irá abordar o primeiro e segundo livro (A Escolha dos Três). Existe uma grande expectativa pelo o resultado final pelos fãs, pois o pistoleiro irá ser interpretado por Idris Elba (Beasts of No Nation, Thor, Prometheus), ótimo ator, porém não retrata a descrição que temos do personagem. Em entrevista para a Entertainment Weekly, o autor afirmou que "espera que o filme comece onde os livros começam", mas assumiu que algumas diferenças serão percebidas: "Vocês sabem: O Homem de Preto está em fuga pelo deserto e o Pistoleiro o segue. Eu acho que isso o correto. Eu fui muito insistente nesse assunto e acho que todo mundo concorda comigo". Nikolaj Arcel afirmou que a adaptação deve se passar em grande parte nos dias atuais: “Muitas coisas vão acontecer na atualidade, no mundo moderno”, disse o diretor. “O que o Stephen King faz de melhor é misturar o dia a dia, ou o que você pode chamar de mundano, com o fantástico. No meu ponto de vista, os livros de A Torre Negra são uma mistura de ficção-científica, fantasia e dos tempos atuais. E esse conjunto é muito Stephen King”. A Torre Negra tem estreia prevista para 13 de janeiro de 2017. Também está em discussão uma série de TV baseada no quarto livro Mago e Vidro. 


RESENHA ESCRITA POR: EDUARDO REIS
Carioca, 27 anos, Analista de TI, Bibliófilo desde criança, fã de carteirinha de Cornwell e King.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: