quarta-feira, 30 de novembro de 2016

RESENHA DO LEITOR: MAGÔNIA

SINOPSE: Uma fantasia original com ótimos personagens, complexidade emocional e um universo fantástico. Aza Ray nasceu com uma estranha doença incurável que faz com que o ato de respirar se torne mais difícil. Aos médicos só resta prescrever medicamentos fortes na esperança de mantê-la viva. Quando Aza vê um misterioso navio no céu, sua família acredita que são alucinações provocadas pelos efeitos do medicamento. Mas ela sabe que não está vendo coisas, escutou alguém chamar seu nome lá de cima, nas nuvens, onde existe uma terra mágica de navios voadores e onde Aza não é mais a frágil garota enferma. Em Magônia, ela não só pode respirar como cantar. Suas canções têm poderes transformadores e, através delas, Aza pode mudar o mundo abaixo das nuvens. Em uma brilhante e sensível estreia no gênero young adult, Maria Dahvana Headley constrói uma fantasia rica em nuances e cheia de simbolismo.


Aza Ray Boyle é uma garota com problemas para respirar. Mais do que isso, é como se o ar que entra em seus pulmões estivesse tentando afogá-la, mas esse é só o começo de sua historia. Depois de quinze anos de hospitais, consultas medicas e drogas experimentais, a última coisa que ela precisava era das alucinações. É comum crianças imaginarem, formas nas nuvens, o que não é nada comum é realmente ver um navio flutuando nelas. Coisas desse tipo só acontecem em alucinações, certo? Só pode ser efeito colateral dos milhares de remédios que ela tem que tomar para conseguir respirar. Mas Magônia não é uma alucinação, é bem real e agora Aza sabe disso. 


Um mundo inteiro acontecendo sobre as nuvens, escondido por baleias-tempestade e governado por navios e pessoas-pássaro. Apesar de ter crescido como uma afogada Aza Ray não é um deles, ela pertence ao reino dos céus e foi abençoada com uma voz capaz de destruir o mundo e construir outro sobre os destroços. Ela não é mais uma frágil e debilitada afogada, ela é uma magoniana poderosa e tem o destino do mundo em sua garganta. Ela só precisa descobrir onde sua lealdade esta, se é com a família de afogados que a criou e com o melhor amigo Jason ou com as pessoas-pássaro do navio celeste, com sua mãe biológica, o parceiro Dai e o seu pássaro-pulmão.


Com reflexões profundas e personagens encantadores, Magônia veio com uma história original e emocionante que não peca em aventura e ação. Aza Ray Boyle é uma garota com uma doença rara, tão rara que os pesquisadores batizaram a doença de Síndrome de Azaray. Apesar dos constantes prognósticos ruins ela sobreviveu por quinze anos e insiste em ter uma vida normal. Leitora assídua Aza é uma personagem inteligente e realista, mistura que não pode evitar criar uma personagem sarcástica. 


Ela é sensível e profunda em seus pensamentos. A morte é o Papai Noel do mundo adulto. Só que Papai Noel ao contrário. O cara que leva seus presentes embora, com seu grande saco por cima do ombro, subindo de volta pela chaminé, carregando tudo na vida de uma pessoa e saindo disparado do telhado com suas oito renas. Com o trenó passado de lembranças. Foi na escola primária que ela conheceu o melhor amigo Jason, ele apareceu fantasiado de jacaré na festa de aniversário dela e desde então eles são inseparáveis. Jason, assim como Aza, é um personagem complexo e único. Com quinze anos ele já é um empreendedor e uma das pessoas mais inteligentes que Aza conhece. Quando ela começa ter alucinações com navios navegando pelos céus é Jason que aparece com uma explicação convincente. 
- Magônia? - pergunto, sentindo-me estremecer. 
- É uma doença? Se for doença, não quero saber. Não estou com humor para estudar doenças. 
- MAGÔNIA, dizem todos eles. Caímos do céus, dos navios dos céus. 
Isso te lembra alguma coisa? Ela quer acreditar nele, acreditar que não está ficando louca, mas pessoas em navios do céu? Isso não existe, certo? Ela não tem tempo de descobrir por que o seu estado de saúde começa a se agravar e o pior acontece.


Jason não pode acreditar que perdeu a melhor amiga, não logo agora que estava se apaixonando por ela, não a amiga com quem decorou a sequência do número PI, não a amiga com quem podia usar tranquilamente código Morse e sabia que seria entendido. Ele não poderia ter perdido essa amiga, podia? E se sim, por que ele a está ouvindo chamar por ele? Por que essa luneta caiu do céu? Enquanto Jason tenta descobrir o que realmente aconteceu com sua melhor amiga, Aza acorda em um novo mundo. Ela tem que se acostumar com suas penas azuis e cabelos trançados em forma de conchas. Jason estava certo afinal, Magônia é real e Aza foi parar bem no meio dela. Enquanto luta para tentar entender seu passado, Aza descobre as maravilhas desse novo mundo, acompanhada de Zal, sua mãe biológica e do mal humorado Dai, o imediato do navio. Zal é uma capitã poderosa e imponente devastada pela perda da filha há tantos anos atrás. Ela comanda o navio com mãos de ferro, enquanto arquiteta um plano para melhorar a debilitada situação de Magônia. Enquanto faz isso ela encarrega o seu imediato de ensinar Aza a cantar. 


Aza e Dai não são exatamente amigos, mas tem uma conexão forte. Nascidos para cantar juntos a canção do Novo Mundo. Aza não consegue gostar dele, apesar de que para alguém que é meio pássaro, Dai é um ser muito bonito. Com batalhas impressionantes onde a voz é a única arma a história toma seu curso basicamente sozinha e enquanto Jason viaja o mundo seguindo tempestades estranhas para achar a melhor amiga, Aza aprende a controlar sua voz e junto com Dai ela se torna cada vez mais poderosa. A história me encantou desde o início por ter personagens incomuns com visões tão diferentes sobre os conceitos de vida e morte que geralmente nos são apresentados. O livro tem uma narrativa original e a maneira como o romance se enlaça com a aventura é completamente apaixonante. Espero que gostem!


VITAMINAS:



RESENHA ESCRITA POR: CAROLINA SIQUEIRA
Carol Siqueira, 20 anos, é estudante de Odontologia pela Universidade Positivo e quando não está deixado o sorriso das pessoas mais bonito, ela passa seu tempo lendo histórias sobre criaturas mágicas, que eventualmente se apaixonam, ou escrevendo algum resumo bobo na varanda de sua casa e não perde a oportunidade de adicionar mais um livro a sua coleção de preferidos.

ENTREVISTA COM MARLON ALVES, AUTOR DE DIÁRIO DE JIN WHITE

SINOPSE: O caos domina e apenas os fortes sobrevivem. Os mortos voltaram à vida e agora são 99% da população. Uma contaminação se espalha pelo mundo e Nova Jersey é um dos poucos lugares que ainda está a salvo. Jin White é estudante de engenharia e descobre da pior forma que Nova Jersey não está tão a salvo assim, quando a universidade é invadida pelos infectados, após um problema no subterrâneo. Sem saída, Jin precisa deixar o estado o mais rápido possível e nota que as coisas estão bem piores. Agora, junto de seus amigos o jovem luta, dia e noite para fugir das criaturas, na esperança de entender o que está acontecendo.


Como surgiu a ideia de escrever “Diário de Jin White”? Alguns meses após escrever um texto de terror para uma aula de produção, minha professora amou e eu quis fazer da história um livro. Claro que eu tive de mudar várias coisas, o texto sequer era sobre zumbis. Minha paixão pelo gênero também despertou essa chama.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Em cerca de 4 anos, eu já tinha a ideia completa na cabeça e boa parte já está escrita.

O que o leitor pode esperar de “Diário de Jin White”? É uma boa pergunta. Eu diria que pode esperar conhecer um personagem completo, com seus altos e baixos. Pode esperar viver a história sempre no limite do apocalipse.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles, de alguma maneira, te inspiraram a escrever? John Flanagan. Apesar de sua narrativa ser em terceira pessoa – diferente da minha – muito do que ele transpõe em suas histórias me inspirou a fazer cenários mais completos dentro da trama.

Se “Diário de Jin White” pudesse ter uma ter uma trilha sonora, qual música você escolheria? Difícil escolher apenas uma. Talvez a trilha de “A Hora do Pesadelo” ou “Resident Evil – Hóspede Maldito”.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Atualmente, apenas escrevo no conforto de minha casa. Pretendo publicar, futuramente.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Primeiramente, espero que gostem do conteúdo e que leia “Diário de Jin White”. Se você tem o desejo de começar a escrever, teve quando leu minha história, mas tem algum receio, FAÇA! Não tenha medo de fazer as coisas, tenha medo de não as fazer e se arrepender. Escrever é uma arte que deve ser mostrada ao mundo, é um dom que deve ser praticado e aperfeiçoado. Quanto ao livro, críticas construtivas são sempre elegantes. Agradeço pela oportunidade e tenha uma boa leitura!

Marlon Alves tem 18 anos e mora no Rio de Janeiro - RJ.

PARA LER "DIÁRIO DE JIN WHITE" CLIQUE AQUI!

ENTREVISTA COM MARIA FERNANDA PEREIRA, AUTORA DOS LIVROS A PROMESSA E PARA SEMPRE

SINOPSE A PROMESSA: Clara é uma menina simples, recém-chegada de São Paulo para fazer faculdade de Letras no Rio de Janeiro. Tudo o que ela queria era se formar e curtir a cidade maravilhosa. Sua única restrição era não misturar amor com amizade. Daniel é estudante do último período de Arquitetura com viagem marcada para a Itália e um futuro promissor. Sua segunda paixão, música. A primeira, Clara! Dois destinos cruzados, um grupo de amigos que eles confiavam. Clara tentará enganar o seu próprio coração, mas Daniel fará o possível para conquistá-la. E quando ela resolve se entregar de vez a paixão, um jogo cruel de intrigas se inicia colocando a sua vida em perigo. Daniel se tornará o seu anjo protetor, mesmo que para isso ele tenha que se afastar do seu grande amor ou até mesmo arriscar a sua própria vida. Uma linda história de amor, ameaçada por um cruel jogo de intrigas, mentiras, crimes e obsessão. Somente a esperança de uma promessa manterá seus corações batendo um pelo outro.


SINOPSE PARA SEMPRE: Alex e Nina tiveram em suas vidas danos irreparáveis e lutaram para superar a dor apoiando um ao outro, mas será que essa grande amizade poderá durar com a revelação de um sentimento imensurável? O que fazer quando o seu grande amor volta para cidade após ter sido abandonado pela segunda vez e seu corpo sente as mesmas sensações do que de anos atrás? O único objetivo de Alex, era esquecer Carina, por isso ele busca em todas as mulheres apenas o prazer sem compromisso com o intuito de esquecer o cheiro cravado em sua alma, mas o destino os coloca frente a frente novamente e Alex se vê forçado a ir contra tudo o que jurou esquecer para proteger a única mulher que ama.


Como surgiu a ideia de escrever "A Promessa" e “Para Sempre”? A Promessa, a minha primeira obra surgiu a partir de uma conversa informal com uma amiga autora Carlie Ferrer. Nunca tinha pensado em escrever até então, mas ela me incentivou e apoiou desde sempre e a imaginação não parou de crescer me fazendo lançar “Para Sempre”, minha segunda obra.

Quanto tempo demorou para as histórias ficarem prontas? Demorei em média de 1 ano para escrever cada história.

O que o leitor pode esperar de "A Promessa" e “Para Sempre”? Tanto em “A Promessa” quanto em “Para Sempre” o leitor pode esperar muito romance e um pouco de comédia misturada ao drama. São histórias que falam sobre o amor e amizade e quando juntas podem causar muitos problemas. Está tudo relacionado ao quanto você é capaz de superar o tempo, à distância e aos segredos vivenciando um jogo de intrigas, crimes e obsessão. Simplesmente emocionante e apaixonante!

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Nacional: Carlie Ferrer. Internacional: Colleen Houck. Sempre me inspiram de maneiras diferentes pelo estilo de escrita, mas são grandes exemplos pra mim.

Se "A Promessa" e “Para Sempre” pudessem ter uma trilha sonora qual música você escolheria? A Promessa - Just the way you are - Bruno Mars. Para Sempre - All I Need - Within Temptation.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? No momento eu estou trabalhando apenas com a escrita, mas em 2017 eu pretendo trabalhar também como professora, porém não abandonarei meus leitores e sim ampliarei o público partindo também para livros no estilo infanto-juvenil.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Queridos leitores, palavras nunca serão suficientes para descrever toda a gratidão que devo a vocês, mas quero deixar aqui registrado o quanto estou feliz em ter recebido tanto apoio, incentivo e força em cada trabalho que tenho feito e nos projetos que estão por vir.  A cada feedback e textos que recebi com elogios eu devo a cada um de vocês e os meus livros nunca serão só meus, eles são nossos. Porque vocês são a razão para que cada livro seja um sucesso! Obrigada de todo o meu coração por tudo e aguardem que até dezembro estarei disponibilizando um lindo conto para vocês!

SINOPSE A LENDA: Faça um desejo, peça o impossível e acredite no incrível. Uma grande lenda assombra a cidade de Freiburg na Alemanha fazendo com que a população mantenha distância das rodovias que atravessam a temida Floresta Negra. Kate Schultz tem toda a sua vida perfeitamente planejada e um futuro brilhante em biomedicina, mas tudo parece sair do controle quando ela decide jogar uma moeda na antiga fonte desativada. Uma forte tempestade de neve colocará a vida de Kate em perigo e a deixará cara a cara com a criatura que aterrorizou seus sonhos durante anos. Muitos o temem, poucos o viram e apenas uma pessoa será capaz de encarar os olhos de Dirck Baünter em um encontro inesperado dentro da floresta lendária. Juntos, Kate e Dirck irão descobrir que entre a lenda e a realidade existe uma ligação inexplicável e um desejo inegável que vai além de toda a fantasia jamais contada.

Ambos os meus livros possuem Book Trailer e os leitores podem conhecer um pouco mais sobre as minhas histórias através deles:

Maria Fernanda Pereira tem 31 anos e mora no Rio de Janeiro - RJ.

PARA LER A "PROMESSA NA AMAZON CLIQUE AQUI!

PARA COMPRAR A VERSÃO IMPRESSA DE "A PROMESSA" CLIQUE AQUI!

PARA LER "PARA SEMPRE" NA AMAZON CLIQUE AQUI!

PARA COMPRAR A VERSÃO IMPRESSA DE  "PARA SEMPRE" CLIQUE AQUI!

ENTREVISTA COM CAMILA DORNAS, AUTORA DE SUBCONSCIENTE

SINOPSE: Paris de 1922. O mundo se recuperava das consequências da Grande Guerra. Em uma geração regada e luxúria e boemia, o sonho de Olga Chevalier era ser a maior cantora que o mundo já viu. Suas ambições começam a mudar quando uma dançarina do famoso cabaré Moulin Rouge é assassinada, e o dom de Olga passa a leva-la até os sonhos e a mente do assassino. Amor, desejo e mistério se unem nessa trama alucinante... Em quem confiar? Em situações extremas, até seu próprio dom pode traí-la.


Como surgiu a ideia de escrever "Subconsciente”? Subconsciente surgiu como resultado de duas grandes paixões minhas, Paris e histórias sobre a primeira guerra mundial. Como de costume, Olga, a personagem principal, surgiu primeiro. Daí em diante foi como se ela me contasse sua história. Simplesmente aconteceu.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Mais ou menos um ano. Cada livro é diferente, mas como essa história precisou de bastante pesquisa, acabei levando mais tempo para escrevê-la.

O que o leitor pode esperar de "Subconsciente”? Uma história cheia de reviravoltas, com uma personagem principal sem papas na língua, romance, mistério e jazz. (haha)

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? É engraçado porque sempre que respondo essa pergunta respondo de uma maneira diferente. Tenho muitos autores favoritos, é impossível escolher só um. Eles sempre influenciam de alguma maneira os livros que escrevo. Enquanto escrevia Subconsciente, li bastante sobre os anos 20 e autores da época, como Hemingway e Fitzgerald. Mas sempre leio romances modernos pra me inspirar também. Alguns autores nacionais como Mauricio Gomyde e Samantha Holtz são inspiração na certa.

Se "Subconsciente" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Meu Deus, não faça isso com meu coração. Faço playlists para todos os meus livros e cada uma delas tem um trilhão de músicas. (haha) No entanto, acho que enquanto escrevia Subconsciente, sempre escutava Blues e Jazz. ‘’The Animals’’ sempre estava presente na minha playlist.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Apesar de sonhar em ser apenas escritora e viajante profissional um dia, também sou professora de inglês e tradutora.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Primeiramente, um grande obrigada a todos que leram a entrevista. Espero que leiam Subconsciente e se apaixonem pela história. Um beijão! <3

Camila Dornas tem 20 anos e mora em Brasília - DF.

PARA LER "SUBCONSCIENTE" CLIQUE AQUI!

PARA VISITAR A FAN PAGE DA AUTORA CLIQUE AQUI!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

SEMANA #CAÇADORABLOGS: CAÇADORA DE ESTRELAS - RESENHA


Oi gente!!! Durante toda essa semana, nós do Blog Vitamina Livros e outros blogs participamos de uma semana super legal de divulgação do livro “Caçadoras de Estrelas” da lindíssima e fofíssima Raiza Varella. E para encerrar com chave de ouro essa #SemanaEspecial, vamos de resenha dessa belezura de livros! O que dizer da Raiza Varella? A pouco mais de um mês tive a oportunidade de conhecer sua escrita através do Conto “Último Adeus”. Um conto muito lindo (vale apena ler! – ele se encontra na Amazon). Após o conto não tive com não ler suas outras obras. A série Encantados (os Garotos) são um amor – UM CONTO DE FADAS! Mas, hoje não é sobre essas belezuras que vamos falar! Deixamos isso para próximas semanas. Já que a semana é deles! EVA E GABRIEL!

SINOPSE: Após flagrar o seu atual namorado com outro cara - não, você não leu errado - e constatar que o safado tinha um gosto para homens até melhor do que o seu, Eva se arrepende por ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até e o país para segui-lo e decide que é hora de voltar para a casa, com o rabo entre as pernas, um mau humor feroz e sem um tostão no bolso. Mas ao contrário do que imaginou não é recebida com faixas e balões, muito menos com boas-vindas e sim com mais e mais azar - como se não bastasse todas as vezes em que foi traída, abandonada pelo circo ou roubada por alguma estrela errada -, seu irmão acabou com seu carro novo, seu pai se casou, ela ganhou duas quase irmãs indesejadas, seu melhor amigo roubou seu gato e ainda de quebra arrumou uma namorada. Embora a vida em casa não esteja como deixou, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. O que em seu dicionário quer dizer se embebedar, distribuir socos e grosserias a quem quer que esteja ao seu alcance e recuperar seu gato - a qualquer custo -, nem que para isso precise roubá-lo de volta. O que desconhece é que o destino iria lhe preparar uma surpresa, lhe oferecendo algo que não poderia ter, um amor proibido. Será ela corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?


Eva é linda e jovem, mas possui um defeito... É verdadeiramente dona de um dedo podre. E como vimos na sinopse do livro em sua última escolha, ela foi trocada por outro homem (gato, diga-se de passagem, rs). Ao descobrir essa traição, Eva faz o que faz de melhor: FUGIU! Com apenas 25 anos, nossa protagonista já fez todas as besteiras que podia fazer na vida – ou não! E de longe a maior merda que ela fez foi fugir para Londres. TODOS avisaram para ela não ir embora para outro continente. Mas ela ouve alguém? CLARO QUE NÃO! Porém, meses depois ela precisaria voltar para Santos e ouvir o "eu avisei" de todos eles. Contudo, ela não contava que as coisas tivessem tão diferentes na vida daqueles que ela deixou. É ai que conhecemos um ladinho meio (muito) egoísta da Eva. Ela achou e queria que tudo tivesse do mesmo jeitinho que ela deixou. DOCE ILUSÃO!


Tá tudo bem, o pai dela não tinha o direito de casar e não contar para ela! Palhaçada né? E pior ainda ganhou de “brinde” duas irmãs. E ainda, a esposa do seu pai era alérgica ao seu gato, o Cupido. E por isso, e por causa do abandono dela ao gatinho, seu amigo Gabriel levou (a Eva jura que ele roubou. Fazer o que né?) o gato para ele. Tá essa parte ela até que fingiu engolir... Mas TUDO saiu dos trilhos quando Evinha (para os íntimos ok?) descobre que seu melhor amigo está namorando com sua “irmã” vaca Alice. Quando eu comecei a ler o livro , eu jurava que Caçadora seria um chick lit. Sendo assim, passaria o livro todo rindo das trapalhadas sem fim da Eva. E claro, das consequências das suas burradas. Bem no começo Eva fala das coisas lindas, belas e fofas que o Gabriel fez para e por ela. Logo pensei: HUM... ELES VÃO FICAR JUNTOS!


Lembra que eu falei da Alice? Então, a Eva só se dá conta que o que sente pelo Gabs é algo bem mais sério que ele já está a um bom tempo com a Vaquinha Alice. A Alice é típica personagem que gente sabe que vai fazer de tudo e mais um pouco para ferrar com a protagonista. Todo mundo sabe que Gabriel é apaixonado pela Eva dede o jardim de infância, claro que, Eva sendo Eva nunca se deu conta disso. Ao resolver ir para Londres Eva ouviu de seu amigo que ele não estaria mais ali para ela. Porém se dá conta que Eva voltou e está em uma situação nada confortável, Gabs volta a ser o Gabs de sempre. Porém, Gabriel ainda achava que estava apaixonado pela Alice, e principalmente, ele merecia tentar ser feliz. Esse furacão de coisas acontecem justamente quando Eva começa a o olhar com outros olhos o amigo; o deixando todo confuso. E nesse momento que Gabs decide lutar por ela.


A nossa jovem Eva, recebe o “convite” para trabalhar psicóloga na escola que a própria madrasta trabalha. Lá Eva conhece um pequeno pestinha de apenas 12 anos que a incentiva a confessar o seu amor pelo Gabriel. Eva junta toda a coragem que tem e vai contar, só que a vaquinha da Alice, sua nova "irmã" está grávida. Muita coisa acontece desse momento até o momento que Gabs e Eva finalmente conseguem ficar juntos. Mas é justamente nesse momento lindo que o tempo se torna o maior e pior inimigo do casal. Poderia ficar aqui falando de cada personagem que tem no livro. Eles são ótimos! Tem o seu irmão, sua melhor amiga e cunhada, a outra irmã postiça e ainda tem o Ben... Enfim, cada um tem seu papel de extrema importância na obra. Gente, sério, o que é esse LIVRO?! SEM PALAVRAS!! Raiza arrasou com sempre! Como falei no começo da resenha, eu jurava que seria chick lit. Eu realmente tive crises de risos em boa parte do livro. E me afoguei em lagrimas em outros momentos.


A Raiza como Caçadora de Estrelas, me fez perceber que devemos dar valor ao tempo. Valor as pequenas coisas, como um “eu te amo” ou ainda ficar abraçado com as pessoas que amamos. Não só a construção da Eva foi algo bem feito, mas de todos os personagens. No final até a Vaquinha me surpreendeu! Eva tem um pouco de tudo que existe dentro da gente. Afinal quem nunca agiu por impulso e fez besteira? Quem nunca foi egoísta e ao mesmo tempo foi com tudo em um amor? Vi muitas leitoras falando que Eva era egoísta ou imatura. Realmente ela tem uma cota bem grande desses adjetivos. Mas vamos combinar, todo mudou e ninguém “lembrou” dela. Lembra do tempo? 



Pois é, justamente o tempo e com o passar da narrativa, somados aos acontecimentos, o leitor percebe o crescimento dela, a maturidade que ela adquire e o quão bela “por dentro” Eva realmente é. E o que falar do Gabs? Pessoas, que homem maravilhoso! Gabriel nunca mediu esforços para ajudar sua amada. Sempre com um apoio incondicional a tudo, desde as coisas mais sérias com as loucuras que Eva se metia. O casal possui uma cumplicidade pouco vista e linda! 


Caçadora de Estrelas é um livro único! Especial! Com uma história linda cheia de surpresas. Mas também é soco no estômago e uma mensagem de vida. Uma mensagem sobre amor, companheirismo, superação e acima de tudo lealdade! Amei tudo no livro, desde os trechos que abrem os capítulos, a trilha sonora (que trilha sonora é essa? MARA!), amei muito todos os personagens (sim até a Vaquinha me ganhou no final, rs) e principalmente AMEI a Lenda das Estrelas. Como essa história é montanha-russa de emoções que por acaso perdeu os freios pelo caminho, vou parando por aqui. Não quero correr o risco de soltar algum spoiler. E devem ter observado ainda não me recuperei! Gostaria de encerrar nossa semana especial caçadora com uma citação do livro Pequeno Príncipe: “Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante!” Enfim minha gente, vamos aproveitar cada segundo da nossa vida! 


Recomendadíssimo, ganhando as 5 VITAMINAS!!!



RESENHA ESCRITA POR: RENARA CABRAL PEREIRA PAVEZ
24 anos, capixaba e casada. Formada em pedagogia. Amo ler e dar aula. A leitura me faz viajar!

ENTREVISTA COM HELO AMATTO, AUTORA DE UM QUÊ DE MAGIA EM MINHA VIDA

SINOPSE: Como uma garota comum, Amanda levou a vida e os acontecimentos estranhos que sempre a seguiram como normal, até Luke um garoto novo aparecer e mudar sua vida para sempre. Será que Amanda consegue lidar com isso? E se tornar uma mulher capaz de tomar todas as atitudes certas? Entre desencontros, tragédias, romance e magia, ela amadurece, mas a vida não é tão fácil como ela imagina, muitos mistérios rondam sua linhagem e cabe a ela tomar as rédeas de seu futuro e seguir em frente.


Como surgiu a ideia de escrever “Um Quê de Magia em Minha Vida”? Eu sempre quis escrever, mas nunca conseguia colocar o que estava na minha cabeça, no “papel". Então eu tinha deixado de lado isso e voltei só a ler. Quando descobri o Wattpad, eu tentei e consegui, descobri que era simples pensar nas coisas (cenas e falas). Comecei a praticar e as ideias foram surgindo e fui fazendo meu livro conforme imaginei, hoje meu livro já está nos capítulos finais.

Quanto tempo demorou para a historia ficar pronta? Na minha cabeça, 3 meses, mas escrita quase um ano.

O que o leitor pode esperar de "Um Quê de Magia em Minha Vida”? Pode esperar um pouco de tudo, fantasia, romance, ação e drama, gosto de deixar coisas no ar, para que prenda a atenção do leitor.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiram a escrever? Amo a Colleen Houck, Carlos Ruiz Zafon, Rick Riordan e muitos outros. Sim, ele me inspiram fazendo com que eu tenha mais criatividade, para meus livros.

Se “Um Quê de Magia em Minha Vida”, pudesse ter uma trilha sonora, qual musica você escolheria? Eu amo as musicas da Beyoncé e toda vez que escrevo escuto-as, claro que não só dela, escuto outras também. Mas minha lista seria: Flaws And All, Me Myself And I, Toxicity do System. São tantas, mas essas são as que eu mais escuto para escrever.
Você segue carreira apenas como escritora ou tem outra profissão? Sou recepcionista. 

Deixe uma mensagem para os leitores: Espero que vocês se sintam fisgados pelo “Um Quê de Magia em Minha Vida”, uma história que vai te surpreender, do começo ao fim, te fazendo ir ao extremo, da tristeza à felicidade.

Helo Amatto tem 24 anos e mora em São Paulo - SP.

PARA LER "UM QUÊ DE MAGIA EM MINHA VIDA" CLIQUE AQUI!

ENTREVISTA COM RAPHAELLAR., AUTORA DE I CAN'T EVEN GET HIGH

SINOPSE: Sabe aquela famosa sensação de quando você fica bêbado e perde total noção da realidade? Então você faz coisas nas quais normalmente nunca faria, sem medo de se arrepender mais tarde? Pois tem álcool demais em sua mente para conseguir pensar se aquilo é errado ou totalmente certo. Ok. Tudo passou, mas e depois? Como lidar com toda a situação? Apenas deixar de lado não me parece uma boa ideia, pois as coisas podem acabar de tornando uma gigantesca bola de neve. Bem, talvez seja melhor começar tudo novamente e encarar as coisas com um copo na mão, parece ser mais fácil.


Como surgiu a ideia de escrever “I Can’t Even Get High”? Eu sou Adm de um grupo de autoras onde escrevemos coletâneas inspiradas em músicas, até aí tudo bem, então surgiu um especial do Arctic Monkeys com Neighborhood, e bem, eu até adoro eles, mas não lembro o motivo de não ter participado desse especial em si. Só que como todo o projeto onde envolva prazo para entrega, regras, e cheio de autoras que tem uma vida social para cuidar, sempre acaba tendo gente que não entrega, mas esse acabou sendo um desastre, um monte de autoras desistindo, e não entregando, de doze estórias, apenas seis foram entregues! Ai pronto, receita perfeita para flopar tudo e não ter um especial tão maravilhoso como esse. Eu e as outras Adm’s ficamos correndo que nem loucas atrás das autoras pedindo pelo amor de Deus que entregassem os contos, e nada. Ok, precisamos sempre de um plano B, certo? Certo! Nos recusamos a deixar que acabasse desse jeito, então eu e mais três Adm’s pegamos para escreve mais um conto cada um, e eu apenas um, pois como falei mais em cima não tinha entrado antes. E o prazo de dois meses diminuiu razoavelmente para menos de uma semana. Eu tinha duas músicas, “I Can't Even” do NBHD e “Why'd You Only Call Me When You're High?” do AM, sim, o nome é shipp das duas músicas. Então me bateu a ideia toda sendo retirada das músicas, o cara bêbado que se vinga da ex-namorada. Perfeito, algo simples de se fazer, mas sentia que algo faltava, então coloquei a cereja no bolo, e “apimentei” o final! Não, não irei contar. Sorry. Ok, conto escrito, seria apenas capítulo único. Mas aí uma amiga me pediu para colocar no Wattpad para poder mandar o link para outro amigo, então eu fiz, iria tirar logo depois que ele lesse, mas no fim acabei deixando lá, e por causa de mais algumas amigas e esse leitor que ganhei em específico começaram a me pedir para continuar. Aí passou alguns meses, tipo, de julho até outubro, e me caiu novamente o mesmo problema, sobrou músicas de outro especial do meu projeto, mas dessa vez não tinha sido um desastre, algo normal, apenas duas autoras tinham desistido, então peguei as letras para ler, e me surgiu a ideia para uma parte dois, ou capítulo dois, tanto faz, e lá fui eu! Ah, só mais uma parte, mas sabe quando você começa a ficar viciado em algo? Bem, foi isso! Ai agora esse mês já escrevi mais duas partes, uma delas já foi postada no Wattpad, e a outra deve entrar em breve, mas não termina por aí, estou com mais outro capítulo em mente para escrever. E agora, eu só penso em continuar. Até quando? Não faço ideia!

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Cada parte leva mais ou menos um dia, no máximo dois. Eu pego para escrever e vou até o final, já que elas são bem curtinhas. Sempre indo direto ao ponto.

O que o leitor pode esperar de "I Can’t Even Get High”? Muita confusão entre Lex, Mike e Natasha, pegação, óbvio, e abordagem sobre o preconceito que sofremos por causa da nossa opção sexual.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Olha, já tive autores preferidos quando era mais nova, mas minha cabeça é péssima, e não consigo me lembrar de nomes. Mas hoje em dia não vou mais por nome de autor, e sim pelo conteúdo, se me prender e for em primeira pessoa, irei vou ler. Eu tenho uma cisma louca com terceira pessoa, que chega a me dar uma agonia bizarra e no fim não consigo ler, mas às vezes juro que tento.

Se “I Can’t Even Get High“ pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Isso é bem complicado, tendo em mente que cada capítulo/parte é inspirado em uma ou duas músicas diferentes, vou deixar o link com umaplaylist do spotify!


Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Escrever é apenas um passatempo, mas quem sabe um dia, bem lá no futuro, quando tiver meu pé de meia bem feito, eu não pegue e siga essa carreira? Bem, no momento sou tipo Bombril, mil e uma utilidades. Sou formada em Design de Moda, indo fazer pós em produção de moda, mas, meu sonho agora mesmo é entrar para cinema, só que no momento eu apenas faço curso de edição de vídeo e escrevo nas horas vagas. Bem desconexo, não?

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Veja, eu tenho uma bagagem pequena em relação à postagem, são apenas oito anos que estou nessa, mas já escrevia desde antes, acho que deve ter uns dez anos no total, usava caderno para isso. Já vi bastante coisa por esse nosso mundo de escritores online, e digo se quer mesmo ir por esse ramo, tenha em mente que acima de tudo, você precisa amar o que escreve, não deixe que as pessoas menosprezem suas estórias/livros e personagens, os defendam! Mas olhe, uma coisa é receber uma crítica construtiva e aceita-la de bom grado, pois isso irá te ajudar a crescer, outra é debater e brigar com a pessoa por ela não ter gostado de algo, gente, gosto cada um tem o seu, ponto. Outra coisa que já vi muito isso acontecer, no dia que conseguir chegar lá, ser reconhecido pela sua obra, não deixe que o poder suba a sua cabeça, não ache que só porque está lá em cima tem o direito de pisar nos seus leitores, foram eles que te colocaram onde está! Idolatre seus leitores acima de tudo, pois eles gostam de você da mesma forma sem ao menos te conhecer. Agradeça sempre por tudo, e vai. Ah, sim, antes que me esqueça, uma questão bem polêmica também. Ninguém lê o que escrevo, será que está ruim? Não, só é que as pessoas certas ainda não te acharam. Então, divulgue! Porque ninguém compra/lê algo que não lhe é oferecido. Essa é a lei para qualquer coisa na vida. 

RaphaellaR. tem 24 anos e mora no Rio de Janeiro - RJ.

PARA LER "I CAN'T EVEN GET HIGH" CLIQUE AQUI! 

ENTREVISTA COM LOCKE MAXWELL, AUTORA DE HOMEWORLD: O DESPERTAR

SINOPSE: Para Meg, passar o final de semana na casa de praia de seus avós parecia ser extremamente tedioso. No entanto, em uma noite de tempestade, ela é acidentalmente transportada e descobre que existem vários mundos secretos, escondidos em um universo paralelo onde muitas coisas podem se tornar possíveis. Embora poucos saibam da existência da magia, essa descoberta é apenas o começo de tudo. Adaptar-se a um mundo onde dragões, feitiçaria, seres místicos e o poder dos quatro elementos são reais pode não ser tão fácil ou divertido quanto se imaginaria, principalmente quando já não é fácil achar a sua identidade dentro da realidade em que vivemos.


Como surgiu a ideia de escrever “Homeworld: O Despertar”? Acho que nem eu mesma sei direito, faz tanto tempo... Eu sempre gostei muito de jogar RPG e de histórias com esse clima de aventura, e sempre gostei de me imaginar nelas, também, mas... No fundo, eu sei que não aguentaria cinco minutos lá se fosse de verdade! E meio que dessa conclusão, eu comecei a pensar: a gente sempre lê sobre heróis que já são fortes, ou que treinam pra cumprir o seu destino, mas como seria se uma pessoa “normal” como eu ou você se visse no meio de uma aventura dessas, precisando lutar para sobreviver? É a ideia por trás do meu livro, e é o que eu estou escrevendo. Uma aventura com personagens “gente como a gente”, haha.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Comecei a primeira versão em 2013, dei um tempo por causa de um bloqueio criativo, recomecei esse ano e estou na metade do caminho. Mas eu adoro elaborar histórias e não consigo ficar quieta, estou escrevendo três outras histórias ao mesmo tempo (duas delas se passam no mesmo universo que Homeworld >D), então... >_< Isso me atrasa bastante. Eu queria conseguir me comportar e escrever uma coisa de cada vez, mas não consigo D:

O que o leitor pode esperar de  “Homeworld: O Despertar” ? Uma história de aventura com muita magia (adoro escrever sobre feitiçaria! <3), e, principalmente, uma história sobre amizade :D

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Acho que a minha resposta é até clichê, mas JK Rowling é a minha diva, e Harry Potter me fez começar a ler *0* E até hoje meu tema favorito é magia e feitiçaria, então acho que influenciou bastante sim uahushause.

Se “Homeworld: O Despertar” pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Hmmm, difícil! Na verdade, eu não sei se conta, mas costumo escrever as minhas histórias de fantasia ouvindo trilha sonora de jogos que me inspiram <3 Qualquer trilha sonora de Zelda, ou de Final Fantasy composta pelo Nobuo Uematsu é um bom exemplo ^^ 
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Por enquanto ainda tô começando a divulgar os meus livros e sou nova nesse mundinho, mas espero continuar escrevendo, publicando e conhecendo outros autores maravilhosos pelo resto da vida!! <3 Além de escrever, tô me formando em letras e trabalho como tradutora freelancer (português/inglês e inglês/português, se alguém precisar >D)

Deixe uma mensagem para nossos leitores Oi, gente! Tudo bem? Espero que vocês gostem de ler as minhas histórias, e também espero conhecer vocês melhor <3 Ai, eu tenho as habilidades sociais de uma batata e sou péssima nessa hora, desculpem iaiahihase >.< Mas tô muito feliz por finalmente estar conseguindo escrever de novo (passei por um bloqueio terrível! D:), e o apoio dos amigos que eu fiz lendo e escrevendo é o que mais me incentiva quando a coisa fica difícil <3 Eu sou muito grata por todo o apoio e o incentivo que recebo dos leitores e colegas escritores, e espero fazer cada vez mais amigos através da leitura <3

Locke Maxwell tem 26 anos e mora em Florianópolis - SC.

PARA LER "HOMEWORLD: O DESPERTAR" CLIQUE AQUI! 

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

SEMANA #CAÇADORABLOGS: CAÇADORA DE ESTRELAS - ENTREVISTA


Oi, galera! E dando continuidade a nossa Semana Especial Caçadora de Estrelas, hoje é dia de conhecer a mente criativa da responsável por essa história que está encantando tantos leitores. Venham conferir a entrevista que a Raiva Varella nos conta sobre o processo de escrita de "Caçadora de Estrelas", das sensações que sentiu e sobre a criação dos personagens...

Como surgiu a ideia para escrever "Caçadora de Estrelas"? Uma amiga me contou uma história certo dia. Ela era bem diferente da que eu apresento em Caçadora, mas assim que ela terminou de falar Eva entrou na minha mente sem um convite arrastando o Gabs pela mão e exigiu que eu escrevesse a história dos dois. Fui ameaçada, e quem conhece a Eva sabe o tamanho do seu poder de persuasão rs.

Se inspirou em alguém conhecido para criar Eva e Gabriel? Se sim, em quem? Não, em ninguém. Não tenho o hábito de criar meus personagens me baseando em pessoas do meu convívio. Gosto que eles sejam eles mesmos, com suas manias, defeitos e qualidades e não copias de outras pessoas. Para mim eles são reais, existem e devem ser únicos cada um à sua maneira.


Quanto tempo demorou para concluir a históriaFoi o livro que mais demorei para terminar. Quando iniciei o projeto estava grávida de 8 meses e parei por um tempo quando meu filho nasceu. Todo o processo durou cerca de 4 meses.

Pensou em outras possibilidades de final ou quando começou já sabia como ia terminar? Nunca existiu outra possibilidade de final. Quando iniciei já sabia como iria terminar e prometi para mim mesma que não mudaria de ideia, que iria até o fim com o que me propus a fazer.


O quanto e o que Eva tem da Raiza? Muito, eu acho. Eva tem a minha fome, minha tara por hambúrgueres e meu mau humor matinal. Não me acho a pessoa mais egoísta do planeja, mas tenho ciúmes das minhas pessoas, assim como ela.

Qual o trecho de Caçadora mais te emociona e o por quê? Nossa, são muitos. Os momentos vividos compartilhados na praia, o pedido, o vestido na altura dos joelhos e muitos outros. Mas nenhum se compara aos sete anos depois do fim. Fico orgulhosa de ver a pessoa que a Eva se tornou, minha menina cresceu!


Já conhecia a "Lenda da Estrela mais brilhante do céu" que aparece na narrativa ou ela é de sua autoria? A lenda é de minha autoria.

O que te fez escrever uma história nesse sentido, com esse tema? Ela despencou nos meus pensamentos desse jeitinho. Eu brinco que não escolho a história que vou escrever ou mesmo como vou conta-la porque nunca tenho voz diante dos meus personagens. Suas histórias chegam prontas para serem escritas e por mais que eu queria mudar isso ou aquilo, são eles quem a conduzem. Os bichinhos têm vida própria rs.

Chorou em algum momento enquanto escrevia? Não derramei uma lagrima sequer. Mas dois anos depois de ter terminado fiz uma última revisão para prepará-lo para chegar aos leitores e fiquei bem emotiva em algumas cenas, principalmente as que não existiam antes e escrevi de última hora. Então admito que reler essa história e ajustá-la depois de tê-la guardado tanto tempo na gaveta me emocionou bastante.

O que você quis passar para o leitor com a história? Que devemos sempre viver o hoje e amar as pessoas que são importantes todos os dias.

O que "Caçadora de Estrelas" significa pra você? Eu amo cada um dos meus filhos literários, mas Caçadora é a menina dos meus olhos, meu pedacinho de amor em forma de palavras. Tudo e qualquer coisa boa que tenha dentro de mim estão nessas páginas. Sim, ele é meu projeto favorito, assim como Gabs é meu mocinho favorito. Que o Monstro não me escute, ele é bem ciumento! rs

Imaginou que teria a aceitação que está tendo? Imaginei que os leitores iriam amar ou odiar a história, que não teria meio termo e acho que acabei acertando. Mas não imaginei que tantas pessoas fossem amar e que eu receberia tantos feedbacks positivos em tão pouco tempo. Foi uma grata surpresa e uma felicidade sem tamanho, porque meu amor por essa história é grande demais. Me emociono a cada recadinho, a cada palavra, a cada foto. <3 Gratidão é a palavra.

O tema de "Caçadora de Estrelas" é pessoal pra você viveu algo parecido? Sim, eu vivi. Tenho as minhas duas estrelas brilhando por mim todas as noites de céu estrelado e essa história foi a melhor forma que encontrei para homenageá-las.

E o especial de hoje termina aqui. Espero que tenham curtido o post. Lembrando que amanhã é o ultimo dia. E claro que será finalizado com chave de ouro.

Beijos!