sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ENTREVISTA COM ALDO COSTAS, AUTOR DE REINO DAS CINZAS E OUTROS ESTRANHOS MUNDOS

SINOPSE: É um livro de contos peculiares que chegam próximos do absurdo. São contos que se misturam entre a fantasia, o horror e a ficção. São estórias que combinam personagens problemáticos, alguns desequilibrados, com realidades fantásticas, na busca pelo poder, sobrevivência, sanidade e perversidade... 


Como surgiu a ideia de escrever "Reinos de Cinzas e outros estranhos mundos"? Esse livro foi a consequência de alguns concursos literários que participei e fui selecionado, isso em 2013. Nesse ano participei de vários concursos, criados por algumas editoras e como tive meus contos selecionados em 90% dos concursos que participei pensei que seria legal juntá-los em um livro solo – assim recusei a publicação nas antologias em que os contos foram selecionados - eu achei que ficariam bons juntos, todos em um livro (e aceitei participar de apenas três antologias). Como tinha acabado de fazer uma capa de livro (de uma escritora brasileira que mora na Holanda) para a Chiado Editora (de Portugal) perguntei se eles não publicariam o meu livro - eles deram um “O.K.” e publicaram. Essa é a história do livro “Reinos de Cinzas”.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Demorou o tempo de cada um dos concursos literários – acho que um ano e meio ao todo, ou algo assim, para escrever. Depois teve o tempo de mais alguns meses para eu criar a capa do livro e fazer a paginação, para que ficasse de uma forma bem pessoal. A editora praticamente só imprimiu o livro, enviei tudo pra eles, da forma que eu gostaria.

O que o leitor pode esperar de "Reino de Cinzas e outros estranhos mundos"? Pode esperar um livro com personagens estranhos em lugares estranhos e com atitudes ainda mais estranhas (rsrsrs). São contos que flertam com vários gêneros e se aprofundam em tramas com teor ora psicológico e ora sombrio... Cada um deles é um labirinto particular. Mundos insanos com personagens imperfeitos. Alguns são como enigmas e outros são como viagens para dentro de abismos. O livro é para quem gosta de literatura com clima estranho e sombrio. É para quem gosta de literatura que te faz pensar.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? A maioria dos autores que leio já morreu (rsrsrs). Mas, gosto de muitos autores nacionais contemporâneos – de dezenas deles (e cito o nome de centenas de autores nacionais contemporâneos no livro Reino de Cinzas) – e gosto de menos de dez autores nacionais clássicos (rsrs). O que mais me influencia são livros; são estórias que me surpreendem - essas sim me inspiram a escrever. Também gosto de pensar que alguns autores universais clássicos me influenciam de alguma forma, como: Julio Verne, H. G. Wells, Mary Shelley, Edgar Allan Poe, Monteiro Lobato e etc... E os autores universais contemporâneos. Mas esses autores não têm muito a ver com a minha literatura, com a minha forma particular de escrever...

Se "Reino de Cinzas e outros estranhos mundos" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Teriam alguns sons bem legais e dissonantes, como: Island of Kings (Killer Tracks), Scary Tension, Midnight Syndicate, Kristen Lawrence e um pouco de Atari Teenage Riot... rsrs
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? (Rsrsrs) Tenho outras profissões. Acho que pra viver como escritor no Brasil você tem que ter um agente literário muito forte (com fortes contatos nas mídias) ou ser uma pessoa pública que vende pela sua imagem (é só por a foto da pessoa e pronto) – independente da literatura. Eu trabalho com design de capas de livros, ilustrações, com a livraria online Urban Street Books, com o selo literário Nexus-6 Books, desenvolvimento e conceito de imagem comercial para empresas e projetos arquitetônicos comerciais (etc.). 

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Comprem mais livros de autores nacionais. Muitos são melhores que, outros, muitos autores estrangeiros. Valorizem a literatura nacional contemporânea. Ajude a fortalecer o mercado onde você também irá poder se aventurar. Precisamos de um pouco mais (ou muito) de autovalorização; precisamos começar a acreditar em nossa cultura, em nossa literatura. Nem tudo que a grande mídia te diz que é bom é realmente bom... Nem tudo que o mestre da propaganda diz é realmente verdade... Você pode viver sem muitas das coisas que a propaganda diz que é essencial pra sua vida. Temos que parar de olhar de forma depreciativa para a nossa própria cultura. Infelizmente o escritor é o que mais faz isso, e isso é uma pena. Obrigado pela oportunidade e sucesso pra você e para o seu blog. Viva a literatura nacional contemporânea e seus fantásticos autores!!!

Aldo Costas tem 48 anos e mora em Cabo Frio - RJ.

PARA SABER MAIS SOBRE AS OBRAS DO AUTOR ACESSE SUAS PÁGINAS:


3 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu, Kenneth!!! #goliteraturanacionalcontemporânea... um abraço meu camarada!!!!

      Excluir
  2. Valeu, Rodrigo!!! Obrigado pelo espaço em seu blog e pela oportunidade de falar um pouco sobre o meu livro; de falar sobre a literatura nacional e sobre a aventura que é escrever um livro!!!! Um forte abraço e sucesso para você é para todos!!!! VIVA A LITERATURA NACIONAL CONTEMPORÂNEA E SEUS FANTÁSTICOS AUTORES e LEITORES!!!! Valeu!!!

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: