sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ENTREVISTA COM LUA SEREJO, AUTORA DE O SACRIFÍCIO DE ANTOINETTE

SINOPSE: Banal era tudo o que Antoinette ansiava ser. E se você a visse andando na rua, com seus volumosos cabelos ondulados, carregando alguns livros debaixo dos braços nas ruas de Monti, é o que provavelmente pensaria dela. Até mesmo o seu envolvimento com um obscuro e atraente boêmio - cujas aspirações artísticas beiram o perverso -, pareceria comum se comparado ao que Antoinette mantém de sua criação. Ela recomeça sua vida em Roma acreditando estar fugindo do seu pai, que deixou em uma vila no interior da França, mas foge de algo muito pior. Nem mesmo ela imaginaria que suas raízes eram tão profundas.


Como surgiu a ideia de escrever "O Sacrifício de Antoinette"? A história foi sendo composta de pouco em pouco, mas se encaixando tão bem como se a última ideia já estivesse, de alguma forma, no meu subconsciente quando a primeira começou a ser desenvolvida. Acredito eu, que tudo veio do co-protagonista (alguns o virão como antagonista e talvez ele seja os dois). Dante tem inspirações em personagens que eu amo e suas complexidades. Antoinette nasceu a partir do meu interesse no paganismo. E eu comecei a imaginar como seria a fusão destes mundos distintos, mas que tem tanto em comum! Os problemas e plots vieram tão naturalmente que parece que eu os havia lido em algum dos livros de história da escola

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Ela ainda não está finalizada, mas eu acredito que vá demorar um pouco para chegar à última versão. É um assunto que exige muita pesquisa e leitura e até começar a escrever eu precisei criar muito material de base.

O que o leitor pode esperar de “O Sacrifício de Antoinette”? O enredo da obra é baseado na hamartía da personagem. Hamartía é quando um destino lhe é dado (normalmente pelo oráculo) notificando sobre um futuro erro. Antoinette busca fugir desse erro, mas por não ter todas as informações sobre ele, suas ações acabam por fazê-la perseguir e ir de encontro ao problema. Este é um conceito fundamental da tragédia grega e eu resolvi utilizá-lo uma vez que também tenho inspiração na mitologia grega dentro do livro. Alguns dos assuntos abordados são considerados perversos ou, no mínimo, interessantes. Tais como: ocultismo, sacrifício humano, a arte do macabro e a bruxaria antiga. Além disso, a sexualidade e o sexo como forma de ritual são bem explorados na obra. O Sacrifício de Antoinette é um mistério sensual e sombrio que fala sobre o oculto e tem inspirações em mitologia grega e cultura nórdica, mas, ao mesmo tempo, mantem-se na atualidade com um romance tão gostoso quanto perigoso.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Eu amo ler Stephen King, a forma simples e imersiva com que ele escreve com certeza me inspiram. Entre os meus favoritos também estão C. S. Lewis e Ranson Riggs.

Se “O Sacrifício de Antoinette” pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Poxa, uma só? Rs. Eu diria The Coven, do Peter Gundry. A mesma do book trailer.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? No momento eu persigo a carreira de escritora.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Eu venho me dedicando bastante ao desenvolvimento do livro e é um prazer falar sobre ele, espero que você tenha gostado de ler esse artigo tanto quanto eu gostei de respondê-lo! Muito obrigada pela leitura! Se você se interessou pelo conteúdo comentado, não deixe de acompanhar O Sacrifício de Antoinette, o material está gratuito pelo Wattpad. 

Lua Serejo tem 21 anos e mora em Belo Horizonte - MG.

PARA LER "O SACRIFÍCIO DE ANTOINETTE" CLIQUE AQUI!

2 comentários:

  1. Nossa! Tô encantada com todas essas referências e estudos... nem nunca havia ouvido falar sobre Hamartía. AMEI <3

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: