quarta-feira, 9 de novembro de 2016

ENTREVISTA COM RAFAEL TEIXEYRA, AUTOR DE QUARENTENA NÍVEL X

SINOPSE: Um quarto de hospital, nenhuma comunicação com o mundo lá fora. Existe alguma possibilidade de entender o que está acontecendo? É apenas um protocolo de quarentena? Você não é mais um mero leitor cumprindo passivamente uma simples leitura. E se você pudesse escolher o rumo dessa história através de suas próprias escolhas?


Como surgiu a ideia de escrever "Quarentena Nível X"? O que mais me encanta nas histórias de ficção científica é a capacidade delas de nos transportar para uma outra realidade. Todos os dias surgem novas epidemias, novas quarentenas e o homem em sua luta diária por sobrevivência. Eu tive a ideia de usar uma estrutura narrativa não linear para meu livro: o leitor é o protagonista e ele próprio é quem escolhe o destino da história, como num jogo de RPG.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Cerca de um mês, porque eu ia me empolgando com a história e escrevendo um capítulo por dia.

O que o leitor pode esperar de "Quarentena Nível X"? O livro não se divide em capítulos, mas sim em níveis alcançados pelo leitor. Além disso, a narrativa é uma mistura de diálogos e pensamentos de todas as personagens. Eu espero que os leitores exercitem a imaginação para criarem suas próprias teorias sobre a quarentena. A intenção é dar continuidade a essa história, aguardando sugestões dos leitores!
Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Eu gosto muito de "Stephen King" e "Edgar Alan Poe". Ambos publicaram livros surpreendentes cujas narrativas trabalham com ambientes sombrios e misteriosos. Eu procuro criar histórias no mesmo estilo, sempre com elementos surpresas nos desfechos.


Se "Quarentena Nível X" pudesse ter uma trilha sonora, qual música você escolheria? Óbvio que o estilo musical que caminha ao lado da ficção científica é o Futurepop. Eu escolheria "Alma" da banda peruana "Arian 1".
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Atualmente, estou cursando Letras/Português e no futuro pretendo dar aulas de Literatura, etc. 

Deixe uma mensagem para nossos leitores: A literatura é o espaço da imaginação, de onde nascem as ideias que irão reconstruir a realidade no mundo em que vivemos. A ficção científica, por sua vez, é a zona de conflito entre o presente e o futuro que precisa ser explorado.

Rafael Teixeyra tem 32 anos e mora em Vila Velha - ES.

PARA LER "QUARENTENA NÍVEL X" CLIQUE AQUI!

Um comentário:

  1. Essa divisão em níveis cria um clima de tensão muito viciante...

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: