terça-feira, 29 de novembro de 2016

ENTREVISTA COM RAPHAELLAR., AUTORA DE I CAN'T EVEN GET HIGH

SINOPSE: Sabe aquela famosa sensação de quando você fica bêbado e perde total noção da realidade? Então você faz coisas nas quais normalmente nunca faria, sem medo de se arrepender mais tarde? Pois tem álcool demais em sua mente para conseguir pensar se aquilo é errado ou totalmente certo. Ok. Tudo passou, mas e depois? Como lidar com toda a situação? Apenas deixar de lado não me parece uma boa ideia, pois as coisas podem acabar de tornando uma gigantesca bola de neve. Bem, talvez seja melhor começar tudo novamente e encarar as coisas com um copo na mão, parece ser mais fácil.


Como surgiu a ideia de escrever “I Can’t Even Get High”? Eu sou Adm de um grupo de autoras onde escrevemos coletâneas inspiradas em músicas, até aí tudo bem, então surgiu um especial do Arctic Monkeys com Neighborhood, e bem, eu até adoro eles, mas não lembro o motivo de não ter participado desse especial em si. Só que como todo o projeto onde envolva prazo para entrega, regras, e cheio de autoras que tem uma vida social para cuidar, sempre acaba tendo gente que não entrega, mas esse acabou sendo um desastre, um monte de autoras desistindo, e não entregando, de doze estórias, apenas seis foram entregues! Ai pronto, receita perfeita para flopar tudo e não ter um especial tão maravilhoso como esse. Eu e as outras Adm’s ficamos correndo que nem loucas atrás das autoras pedindo pelo amor de Deus que entregassem os contos, e nada. Ok, precisamos sempre de um plano B, certo? Certo! Nos recusamos a deixar que acabasse desse jeito, então eu e mais três Adm’s pegamos para escreve mais um conto cada um, e eu apenas um, pois como falei mais em cima não tinha entrado antes. E o prazo de dois meses diminuiu razoavelmente para menos de uma semana. Eu tinha duas músicas, “I Can't Even” do NBHD e “Why'd You Only Call Me When You're High?” do AM, sim, o nome é shipp das duas músicas. Então me bateu a ideia toda sendo retirada das músicas, o cara bêbado que se vinga da ex-namorada. Perfeito, algo simples de se fazer, mas sentia que algo faltava, então coloquei a cereja no bolo, e “apimentei” o final! Não, não irei contar. Sorry. Ok, conto escrito, seria apenas capítulo único. Mas aí uma amiga me pediu para colocar no Wattpad para poder mandar o link para outro amigo, então eu fiz, iria tirar logo depois que ele lesse, mas no fim acabei deixando lá, e por causa de mais algumas amigas e esse leitor que ganhei em específico começaram a me pedir para continuar. Aí passou alguns meses, tipo, de julho até outubro, e me caiu novamente o mesmo problema, sobrou músicas de outro especial do meu projeto, mas dessa vez não tinha sido um desastre, algo normal, apenas duas autoras tinham desistido, então peguei as letras para ler, e me surgiu a ideia para uma parte dois, ou capítulo dois, tanto faz, e lá fui eu! Ah, só mais uma parte, mas sabe quando você começa a ficar viciado em algo? Bem, foi isso! Ai agora esse mês já escrevi mais duas partes, uma delas já foi postada no Wattpad, e a outra deve entrar em breve, mas não termina por aí, estou com mais outro capítulo em mente para escrever. E agora, eu só penso em continuar. Até quando? Não faço ideia!

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Cada parte leva mais ou menos um dia, no máximo dois. Eu pego para escrever e vou até o final, já que elas são bem curtinhas. Sempre indo direto ao ponto.

O que o leitor pode esperar de "I Can’t Even Get High”? Muita confusão entre Lex, Mike e Natasha, pegação, óbvio, e abordagem sobre o preconceito que sofremos por causa da nossa opção sexual.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Olha, já tive autores preferidos quando era mais nova, mas minha cabeça é péssima, e não consigo me lembrar de nomes. Mas hoje em dia não vou mais por nome de autor, e sim pelo conteúdo, se me prender e for em primeira pessoa, irei vou ler. Eu tenho uma cisma louca com terceira pessoa, que chega a me dar uma agonia bizarra e no fim não consigo ler, mas às vezes juro que tento.

Se “I Can’t Even Get High“ pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Isso é bem complicado, tendo em mente que cada capítulo/parte é inspirado em uma ou duas músicas diferentes, vou deixar o link com umaplaylist do spotify!


Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Escrever é apenas um passatempo, mas quem sabe um dia, bem lá no futuro, quando tiver meu pé de meia bem feito, eu não pegue e siga essa carreira? Bem, no momento sou tipo Bombril, mil e uma utilidades. Sou formada em Design de Moda, indo fazer pós em produção de moda, mas, meu sonho agora mesmo é entrar para cinema, só que no momento eu apenas faço curso de edição de vídeo e escrevo nas horas vagas. Bem desconexo, não?

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Veja, eu tenho uma bagagem pequena em relação à postagem, são apenas oito anos que estou nessa, mas já escrevia desde antes, acho que deve ter uns dez anos no total, usava caderno para isso. Já vi bastante coisa por esse nosso mundo de escritores online, e digo se quer mesmo ir por esse ramo, tenha em mente que acima de tudo, você precisa amar o que escreve, não deixe que as pessoas menosprezem suas estórias/livros e personagens, os defendam! Mas olhe, uma coisa é receber uma crítica construtiva e aceita-la de bom grado, pois isso irá te ajudar a crescer, outra é debater e brigar com a pessoa por ela não ter gostado de algo, gente, gosto cada um tem o seu, ponto. Outra coisa que já vi muito isso acontecer, no dia que conseguir chegar lá, ser reconhecido pela sua obra, não deixe que o poder suba a sua cabeça, não ache que só porque está lá em cima tem o direito de pisar nos seus leitores, foram eles que te colocaram onde está! Idolatre seus leitores acima de tudo, pois eles gostam de você da mesma forma sem ao menos te conhecer. Agradeça sempre por tudo, e vai. Ah, sim, antes que me esqueça, uma questão bem polêmica também. Ninguém lê o que escrevo, será que está ruim? Não, só é que as pessoas certas ainda não te acharam. Então, divulgue! Porque ninguém compra/lê algo que não lhe é oferecido. Essa é a lei para qualquer coisa na vida. 

RaphaellaR. tem 24 anos e mora no Rio de Janeiro - RJ.

PARA LER "I CAN'T EVEN GET HIGH" CLIQUE AQUI! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: