terça-feira, 6 de dezembro de 2016

ENTREVISTA COM EFRAIM RAFAEL, AUTOR DE AS RELÍQUIAS TRANSPOSTAS

SINOPSE: Em uma madrugada comum, Arthur é acordado por estranhos ruídos em seu apartamento. A decisão de tentar descobrir o que estava acontecendo é o primeiro lance de uma série de acontecimentos que passa a fazer parte contra a própria vontade. As lendas e mitos ganham um novo significado em um mundo de sociedades ocultas e forças sobrenaturais movendo-se na escuridão. Há um prazo para voltar à sua realidade e Arthur vai ter que desvendar enigmas do passado e confiar em pessoas nada peculiares antes que suas chances se dissipem para sempre.


Como surgiu a ideia de escrever “As Relíquias Transpostas”? Em fragmentos, eu diria. Na adolescência sonhei que tentava libertar um mago preso em um espelho. Depois disso a história evoluiu e, para falar a verdade, mudou completamente.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? É um livro curto, mas alguns conflitos em ART me custaram muito tempo e neurônios. Isso fora minha monografia que causou uma pausa significativa... Conclusão: um ano.

O que o leitor pode esperar de  “As Relíquias Transpostas”? Uma aventura praticamente sem pausas para tomar fôlego. 
Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? A lista de favoritos é extensa e apesar de não ter me inspirado propositalmente em ninguém, quando releio a história percebo influencias de Carlos Ruiz Zafon, J. K. Rowling e até uns relances de Machado de Assis.

Se  "As Relíquias Transpostas" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Merlin Circle de Trevor Rabin. Sei que faz parte da soudtrack de um filme duvidoso, mas não podemos culpar o músico por isso.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Trabalho no departamento de TI de uma empresa. Acho a ideia de carreira literária tentadora, mas meu maior objetivo é contar boas histórias e influenciar pessoas.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Uma frase de Gandalf "Nunca houve muita esperança. Apenas a esperança de um tolo." Bem, ninguém tem esperança em algo que é certeza, mas sim em algo pequeno e improvável. Ainda assim, a esperança de um tolo pode levar um pequeno hobbit a caminhos inimagináveis.

Efraim Rafael tem 25 anos e mora em Ibitinga - SP.

PARA LER "AS RELÍQUIAS TRANSPOSTAS" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: