segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

ENTREVISTA COM LEANDRO ZAPATA, AUTOR DE AFTERLIFE

SINOPSE: Morte não é fim. De fato, para mim, a morte foi apenas o começo. As circunstâncias nada convencionais do dia em que morri me permitiram chegar a Cidade de Prata; o Paraíso. No entanto, o Paraíso não pode mais ser chamado assim, pois os primeiros inimigos dos anjos ressurgem do Abismo para acabar com a Utopia. Dá-se inicio a Segunda Guerra Celestial. O problema, porém, é que eu me torno o centro desta guerra por possuir a única arma capaz de destruir de vez os Filhos do Abismo, como são chamados. Os anjos buscam esse segredo para acabar de vez com os inimigos, enquanto eles tentam de todas as formas capturar-me para que essa arma não caia nas mãos dos anjos. Em outras palavras, eu me torno o centro da Guerra. Eu tenho uma promessa a cumprir. Prometi a Elena que voltaria para ela de qualquer maneira! Cumprirei a promessa, mesmo que ela não se lembre dela.


Como surgiu a ideia de escrever "Afterlife"? O conceito de Afterlife surgiu durante uma conversa com meu cunhado, na qual discutíamos como Percy Jackson era um livro onde o personagem principal viaja por aí para cumprir uma missão e no meio do caminho ele encontra vários deuses gregos para ajudar. Depois de ler, eu fiquei imaginando como seria uma história com esse conceito, mas, ao invés de deuses gregos, fossem os personagens bíblicos, como Moisés e Davi. Contudo, havia um pequeno problema: esses personagens não eram imortais e, portanto, estavam mortos. O que fazer então? Mate o personagem principal!

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Cerca de seis meses.

O que o leitor pode esperar de "Afterlife"? Algo diferente de tudo que já leram.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Dan Brown. 

Se “Afterlife” pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Afterlife, do Avenged Sevenfold.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Além de escritor, sou professor de inglês nas horas vagas. 

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Essa frase é o maior de todos os clichês, mas é verdade: não desista. Escrever não é fácil, não apenas por ser difícil ser publicado. Então, continue tentando.

Leandro Zapata tem 23 anos e mora em São Paulo - SP.

PARA LER "AFTERLIFE" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: