sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

MATÉRIA ESPECIAL: LIVRO EU AMO COMIDA

O livro “Eu Amo Comida”, publicado pela Editora MOL, já disponível nas livrarias, não é um livro composto por receitas e sim um livro composto por 50 histórias de diversas personalidades e sua relação com a comida. Começando do preparo dos ingredientes ao registro das refeições. Amei a composição do livro que ainda acompanha uma tabela de medidas (muito necessária na cozinha) para quem comprou no lançamento, infelizmente ainda não possuo habilidades para preparar alimentos e temperos somente “de olho” como diria minha mãe e sempre preciso saber a quantidade correta de quantas xícaras disso ou quantas colheres daquilo preciso para fazer uma receita. Além de ser uma leitura de sensações, como se sentir bem com a comida, algumas paixões como feijoada, coxinha, doces, um bom café, provar um açaí, talvez um dia experimentar um prato com plantas comestíveis, é um universo gastronômico.


Como uma amante de reality show referente à culinária, acompanho muito o programa Master Chef Brasil da Band, atualmente no ar com uma temporada para Profissionais, seguindo na temática tem o Cozinhando Sob Pressão do SBT, o famoso The Cake Show com o Cake Boss Buddy Valastro exibido na Rede Record, mas confesso que meu preferido para bolos seja o Bake Off Brasil – Mão na Massa, cada bolo lindo, sinto até o cheirinho da massa no forno, o SBT também possui o BBQ Brasil – Churrasco na Brasa, que em sua primeira temporada teve uma mulher como campeã. Essas produções são versões de programas estrangeiros, que faz muito sucesso e também conquistaram o público brasileiro.


O bom de ver estes programas é que você pode aprende muito somente observando, por exemplo, os nomes dos pratos, as melhores combinações e composição dos alimentos, tipos de corte de legumes, cortes de carne e por falar em carne, no capítulo Eu Amo Ser Açougueiro, conta a história do Sr. István Wessel, empresário especialista em carnes, que pertence a uma geração de açougueiros húngaros, este ofício é feito já há 5 gerações pela família. Sr. István tem muito cuidado a oferecer aos seus clientes carne com qualidade, além dos cortes corretos para cada parte do boi, sendo assim, ele não vende gato por lebre, pois acompanha desde o pedido inicial a entrega ao consumidor, conforme relata. Sr. István participou recentemente do Master Chef Brasil – Profissionais com outros convidados, avaliando uma prova complexa em que os candidatos deveriam fazer cortes de Cordeiro e demonstrar outras habilidades para o preparo da carne e também montar um prato de Picadinho de Cordeiro, sendo assim os cortes de carnes deviam ser perfeitos. Como tradição do programa, as provas tinham tempo limitado o que aumenta a pressão do jogo entre os participantes.
Adorei conhecer a história da Zaida Siqueira, fotógrafa de São Paulo, ela registra os pratos e cozinhas pelo Brasil há mais de 20 anos, sua história está no capítulo Eu Amo Fotografar Comida, para Zaida “A cozinha é uma chance única de entender as pessoas”, entendo que é uma forma de identificar hábitos e comportamentos diferentes. E, como eu amo tirar fotos e também de alimentos, me trouxe uma rica lembrança de uma seleção de pratos/alimentos da minha viagem a Aracaju/SE em outubro de 2015. Povo acolhedor de uma culinária maravilhosa. Registrar momentos é muito bom, ainda mais se forem saborosos como estes na foto ao lado.

Além de registrarmos a comida através de fotos, há também o registro das receitas, eu ainda não tenho um caderno de receitas, mas depois de ver a história da Ana Holanda que é jornalista, me fez querer ter um livro cheio de delicias e segredos. Ana possui uma página no Faceboock, que ela resolveu criar após ser mãe e querer que seus filhos tivessem a mesma experiência que ela em sua infância como relata “Então quando eles ficaram maiores, passei a chama-los para ir comigo à feira, para provar coisas novas, misturar os ingredientes de um bolo”, conta. Desde então, ela escreve sobre comidinhas do dia a dia e memórias afetivas na página Minha Mãe Fazia. 

Fiquei encantada com a história da Aline Chaves. Ela é educadora pra sustentabilidade, reside no Rio de Janeiro e na sua casa ela não tem fogão, microondas e nem geladeira e prepara somente alimentos crus para o consumo, sendo nada cozido ou processado, além de se alimentar de frutas, que já estão prontinhos para a mesa. Cru não significa frio, como diz Aline, ela aquece alguns alimentos em um fogareiro, ela conta sua experiência no capítulo Eu Amo Alimentação Viva. Aline tem um blog onde publica suas melhores receitas, no endereço: http://panelasdecapim.blogspot.com.br.

Vamos seguir as redes sociais do blog: https://www.facebook.com/panelasdecapim/.


No capítulo Eu Amo cuidar De Horta, Jorge Covre é diretor de uma escola de ensino fundamental em Vila Velha/ES, e desde 2005 ensina as crianças os cuidados com a horta, onde aprendem a plantar, cuidar e colher. A escola participou de uma reportagem onde mostravaseu projeto para economia água. As verduras e legumes utilizados na merenda são da horta que a escola mantém. Filha de mineira, na minha casa sempre teve um temperinho como manjericão, vasinho com hortelã, tomatinho e até pé de goiaba e maracujá. Apesar de não cuidar da horta, acho fundamental aprendermos que todos os alimentos tem seu tempo. Ótimas dicas em http://www.fazfacil.com.br/jardim/horta-caseira/.


Que delícia de leitura, além disso, comprando o livro Eu Amo Comida, você contribui para duas instituições, sendo o Banco de Alimentos – De Onde Sobra pra onde falta e Gastromotiva – Formando Cozinheiros e Cidadãos, importantíssimas ao combate ao desperdício de alimento no Brasil. Parte da renda dessa publicação será revertida para instituições mencionadas. Para saber mais informações e ajudar: www.bancodealimentos.org.br e www.gastromotiva.org. Agradecemos à gentileza da Roberta Barbieri da Editora MOL. Espero que vocês também se deliciem com esta leitura.


MATÉRIA ESCRITA POR: GREISI SILVA
28 anos, administradora e artesã nas horas vagas, apaixonada por leitura e artes, não vivo sem música, poesia e cinema. Descobri que viajar é preciso e comer pipoca é fundamental para se ter boas ideias.

7 comentários:

  1. Amei! Amei aprender um pouco. Adorei vê o nome da minha cidade no seu texto! Viva Vila Velha #canelaverde #capixaba
    Acho que agora vc tem que ler o Eu Amo Viajar (ele é sua cara). Beijos e parabéns !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Rê!Que bom que gostou da matéria. Eu achei muito legal a história das crianças desde cedo saberem a importância dos alimentos. Imagina que legalvocê plantar a verdura que você mesmo irá consumir não é mesmo? Beijos

      Excluir
  2. Parabéns, mais um texto incrível.. essa menina vai longe!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa Mari!!! Que bom que gostou. Que venham outros! Beijos

      Excluir
  3. Acompanho sempre os textos aqui, e sempre me deixam com vontade de correr pra livraria e compra o livro imediatamente. Mas esse me deixou extremamente confusa e com a sensação de que foi escrito às pressas. E esse Master Chef Profissionais não me serve de parâmetro para nada, extremamente machista, parei de ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elisangela, o livro Eu amo comida, como comentado no início, é um livro de 50 histórias, fica difícil colocar parte do livro em um post, o objetivo aqui é fazer com que a pessoa se interesse em ler o livro como todo e ver todas as coisas interessantes que ele possui e que podem agradar diferentes pessoas, ele tem histórias de todas as regiões. O programa Master Chef Profissionais não é machista e sim tem participantes com postura machista, o que aliás ainda encontramos muito no nosso dia a dia, apenas temos uma lente de aumento na TV, espero que ao longo do programa ele realmente mude suas atitudes não só no programa, mas sim na vida! Quis fazer uma analogia aos programas de culinárias que fazem grande sucesso com o fato de ser um livro de gastronomia. Agradeço eu comentário! Um abraço!

      Excluir
    2. Como disse anteriormente, as demais resenhas que li no blog foram excelentes,tanto que comprei Will & Will,m as realmente fiquei perdida com essa. Quanto ao programa ser machista, entendo que a partir do momento que você é conivente com uma situação é porque você pensa assim também, tiveram ótimas oportunidades de corrigir isso, e no entanto não o fizeram. Só lembrando,todas as demais resenhas aqui escritas,pelas várias pessoas que as fizeram,i inclusive as suas foram de excelente qualidade. Parabéns a todos

      Excluir

Comente com o Facebook: