quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

RESENHA DO LEITOR: TRÊS VERÕES

SINOPSE: Letícia e Diogo são primos, mas isso não os impede de se apaixonarem. Durante três verões eles conseguem viver essa paixão escondidos, mas são descobertos, a pressão familiar e uma mistura de sentimentos os separam. Doze anos depois a família volta a ser o motivo para seus caminhos se cruzarem. Diogo está noivo e Letícia passa por problemas emocionais graves, resta saber se o primeiro amor reacenderá ou se tudo não passou de uma paixão de verão.


Três Verões é um dos livros mais “fodásticos” que eu li esse ano, junto de Morte Súbita, é claro, que ganhou meu coração. Claro que também devorei Extraordinário, da R.J. Palacio, o incrível O Caçador de Pipas, do Khaleid Hosseini, o maravilhoso Fique Onde Está E Então Corra do John Boyne e o famigerado Capitães de Areia, do eterno Jorge Amado. Como um livro nacional emplacaria lado a lado da rainha J. K. Rowling, se esse ano também li Como Eu Era Antes De Você, da Jojo Moyes; Dewey: Um Gato Entre Livros; A Garota Que Você Deixou Para Trás, também da Jojo; Onde Existe Amor, Deus Aí Está, do Tolstói; Seis Anos Depois, do Harlan Coben, e tantos outros?



Simples: o enredo. Não espere uma história impactante, cheia de reviravoltas, mortes e drama. O mais incrível desse romance da Fê Jhones é o modo como ela trabalha os fatos. Têm-se como protagonistas Letícia e Diogo, em duas fases de suas vidas. Uma das fases ocorre em três verões (daí o título da obra) na mansão da família, em Minas Gerais, onde os primos se apaixonam perdidamente. Isso mesmo, primos. Pode vir na sua cabeça neste momento: incesto, só pode ser, um pecado hediondo. Mas bem que dizem: Deus criou os primos para não pegarmos os irmãos. É o que dizem. 



Os dois primos namoram escondidos durante esses três verões, até que Diogo e Letícia acabam sendo descobertos, o que acarreta numa confusão desgraçada, que colocará a menina Letícia em maus lençóis e contra a parede. Claro que uma decisão pode mudar todo o curso de uma história, e toda a pressão familiar acaba fazendo com que os dois se separem. Não é spoiler, é o começo da história.



A segunda fase é o desenvolvimento principal do romance, que acontece 12 anos depois do mal entendido na mansão, quando Afonso, o avô dos dois, acaba morrendo. Isso vai acabar fazendo com que os dois se reencontrem, o que não vai ser muito aceito de começo. Diogo e Letícia já não são mais os mesmos de tempos atrás, e suas vidas tomaram rumos totalmente diferentes.



Caramba, tem cada cena linda nesse romance. Claro que não vou falar mais nada. Não será necessário. A escrita da Fê é fluente, gostosa de acompanhar. A única coisa que me incomodou realmente foi lê-lo em E-BOOK. Mas não denegriu em nada a experiência de ter lido um romance viciante e ao mesmo tempo maravilhoso. É sério, não sou babador de ovo não! Eu demorei uma semana para lê-lo, mas cada segundo valeu a pena. Eu tinha que saber o final, e quando eu achava que ia acontecer tal coisa, a autora me dava um tapa na cara atrás do outro. Três Verões não é um romance de tirar o fôlego, mas é um livro cheio de lições morais, que com toda certeza levarei para o resto da minha vida. Encantador, diferente, excepcional. Escritora talentosa! E eu conheço! Só leia Três Verões. LEIA!


VITAMINAS:



RESENHA ESCRITA POR: ELIZEU CADENA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: