quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

RESENHA DO LEITOR: EXORCISMO

SINOPSE: A história real que inspirou o clássico O Exorcista. “Livrai-nos de todo o mal, amém.” Um fenômeno quase paranormal atingiu o mundo em 1973. Multidões sofreram de náuseas, desmaios, alucinações e calafrios, numa histeria coletiva sem precedentes. Todos aparentemente possuídos por um filme: o já clássico O Exorcista, dirigido por William Friedkin e adaptado do romance que o roteirista Willian Peter Blatty lançara dois anos antes e que completou 45 anos em 2016. Se a ficção consegue ser tão assustadora, imagine o poder contido na história real? Muitos não sabem, mas a obra-prima de W. Peter Blatty não se trata de uma invenção. Ela foi inspirada num fenômeno ainda mais sombrio, desses que a ciência não consegue explicar: um exorcismo de verdade. A história real aconteceu em 1949, e você pode conhecê-la — se tiver coragem! — no livro Exorcismo, do jornalista Thomas B. Allen, lançamento da DarkSide Books em 2016. Exorcismo narra em detalhes os fatos que aconteceram com Robert Mannheim, um jovem norte-americano de 14 anos que gostava de brincar com sua tábua ouija, presente que ganhou de uma tia que achava ser possível se comunicar com os mortos. Thomas B. Allen contou com uma santa contribuição para a pesquisa do seu trabalho. Ele teve acesso ao diário de um padre jesuíta que auxiliou o exorcista Bowdern. Como resultado, seu livro é considerado o mais completo relato de um exorcismo pela Igreja Católica desde a Idade Média. Os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren definiram a obra de Thomas B. Allen como “um documento fascinante e imparcial sobre a luta diária entre o bem e o mal”. Exorcismo é um livro exclusivo da DarkSide Books, que vem em capa dura e o padrão de qualidade quase psicopata da editora. Ele ainda vem com uma surpresa para os leitores mais audaciosos: uma reprodução da tábua Ouija que pode ser jogada usando o marcador de página.



Namastê! Antes de iniciar a resenha sobre o livro acho valido ressaltar que outra obra fora criada a partir desse caso, “O Exorcista” publicado em 1971 por William Peter Blatty e com adaptação cinematográfica em 1973, com a intenção de romantizar a real história, Blatty cria um exorcismo sobre uma garota de 12 anos – Regan, possuída por demônios.


Mas na real, o caso aconteceu em 1949 com um garoto de 14 anos, Robert Mannhein, que morava com os pais Karl e Phyllis Mannhein e a vovó Wagner, levava uma vida normal e por ser filho único, muitas vezes precisava dos adultos para poder brincar. No entanto um dos adultos que brincava com o garoto era a Tia Harriet, irmã do pai de Robert, por ser uma espiritualista, apresenta ao sobrinho um jogo de tabuleiro – Ouija, esse que a Tia usava para conectar este mundo com o além, sendo assim, ensinou ao sobrinho como o jogo funcionava e consequente brincavam juntos.


Sem a presença de Tia, Robert passou a jogar sozinho com o tabuleiro, será que tal evento provocou a possessão dos demônios sobre Robert? Mas o mal só começa a se manifestar, após a morte da Tia Harriet e então que o pesadelo passa a não ter mais fim e junto ao medo, vem o mistério, o que provocara aquilo tudo. Primeiro se inicia com fortes barulhos de pingos por toda a casa, arranhões sobre a madeira, rangidos de sapatos e, colchão tremendo...


Thomas B. Allen foi capaz de nos levar junto à narração, sentindo os desesperos dos pais em procura de ajuda para salvar o filho. E nessa trajetória, fatos sobrenaturais e medonhos vão acontecendo: Objetos se movendo... E o mais assustador a transformação de Robert, o que antes era um simples e dócil garoto, passa a se transformar na face do mal. 


Na construção dessa obra, que pode se considerar mais um documentário, pois o autor/jornalista usa como base, um diário, escrito por um Padre que ajudou no exorcismo e, nessa edição da DarkSide trás junto o diário, o que enriquece ainda mais o livro. Além de ser uma historia mais que real trás assuntos um tanto divergente: Demônios... Possessão... Exorcismo...  Pois ao mesmo tempo em que estimula a curiosidade e o interesse de uns, eles causam medo e abominação em outros.


O livro trás uma leitura muito envolvente e curiosa, a cada capítulo a curiosidade e tensão aumenta para saber o que acontecerá com Robert. Thomas vai além, enriquecendo ainda mais a obra apresentando e detalhando outros casos que aconteceu tempos atrás ao redor do mundo, dos relatos bíblicos mais conhecidos e outros casos mais isolados como o ocorrido na França no século XVIII, onde houve uma epidemia de possessões entre freiras em um convento ursulino em Loundun e outro, ocorrido em 1928 nos EUA, na cidade de Earling, Iowa, onde uma mulher de 40 anos fora supostamente possuída por um demônio que dizia ser Judas Iscariotes. 


E mais uma vez a DarkSide nos presenteia com essa linda edição, recomendo a leitura para todos, todos precisam realizar essa leitura, para conhecer que no mundo, existe sim, o combate do bem contra o mal.  


LIVRAI-NOS DO MAL, AMÉM.



VITAMINAS:




RESENHA ESCRITA POR: CAMILLA CARLA
Paranaense, 18 anos, artesã, apaixonada por livros, séries e filmes, encantada por músicas clássicas, fascinada por artes marciais e apreciadora de café.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: