segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

ENTREVISTA COM SHERLA M. SILVA, AUTORA DE TARSIA - O REINO DE HARMONIA

SINOPSE: Toda a perspectiva de realidade de quatro jovens muda quando cada um deles encontra um colar misterioso. Imediatamente eles se sentem atraídos pelos colares e pela força que deles emana. O que eles não imaginavam era que cada joia detinha um poder dos quatro elementos, e que tais poderes eram ainda mais fortes quando unidos. Assim que os amigos juntam as partes dos colares são levados a um mundo fantástico onde tudo é possível: Tarsia. Logo percebem que são os escolhidos para cumprir a missão de restaurar a harmonia deste reino mágico do qual são descendentes. Os jovens embarcam em uma grande aventura, travando uma épica luta do bem contra o mal, onde os conflitos misturam-se à magia e grandes revelações num cenário de incertezas, luta pelo poder e caos. Quatro amigos, quatro colares, um mundo extraordinário regido pelos elementos da natureza e uma emocionante história.


Como surgiu a ideia de escrever “Tarsia”? Uma vez, há alguns anos, tive um sonho onde vi várias paisagens relacionadas aos elementos da natureza, como montanhas de gelo, uma floresta imensa e muito bonita, uma terra vulcânica e um céu como nunca tinha visto antes. O que mais chamou a atenção foi que me pareceu um sonho lúcido, como se realmente estivesse passando por esses lugares. Mesmo depois de vários dias aquelas paisagens não me saiam da cabeça. Durante um tempo fiquei imaginando como seria uma história sobre esse cenário e levou mais um tempo até que me desse conta que se eu não escrevesse essa história não existiria *risos*.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Levei dois anos e sete meses para concluir a escrita desse livro, isso sem contar os aproximados sete anos que passei amadurecendo minha escrita e lendo muito até sentir que estava pronta para escrever essa história.

Qual a principal mensagem que o seu livro transmite? Tarsia não trata apenas da fantasia em si, mas em especial do lado emocional da vida, como disse Vogler no livro “A jornada do escritor” por mais que esse tipo de história tenha elementos fantásticos e eventos surreais, somos conectados a trama pela ligação psicológica e emocional que ela transmite. Como cito em um determinado capítulo “A vida é a mesma, independente do lugar”.

O que o leitor pode esperar de “Tarsia”? Os leitores podem esperar uma história sobre o valor da amizade, com muitas aventuras que vão desde poderes relacionados aos elementos até uma guerra épica, passando por labirintos, duelos em arenas, aventuras no fundo do oceano e voos em dragões, aparições de muitas criaturas mágicas como sereias, fadas, centauros e muito mais. Além de tudo isso, espero que os leitores se identifiquem com os personagens e todas as emoções transmitidas por eles ao longo da narrativa.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Leio de tudo um pouco, desde peças teatrais até mundos fantásticos e gosto de vários autores como Augusto Cury e C. S. Lewis. Em especial gosto muito do Raphael Draccon e sua trilogia Dragões de Éter, antes de lê-la não sabia que existia esse tipo de literatura em território brasileiro. Essa obra me chamou muito a atenção, não só pelo modo como foi construída, mas pelo jeito como é narrada, depois dela finalmente descobri que é isso que quero para mim: escrever e fazer com que cada vez mais pessoas se encantem por essas histórias e ajudar a tornar a literatura fantástica nacional mais conhecida. Dragões de Éter me fez perceber que a literatura fantástica tem vez no Brasil sim, depois dela conheci vários outros títulos e autores que me fizeram ver que deveria apostar nesse sonho. Como disse anteriormente, essa trilogia é diferente de qualquer livro que já tinha lido, tomei a liberdade de tentar construir um estilo semelhante de narração e também de emoção ao ler.

Se “Tarsia” pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Quando estava escrevendo Tarsia, gostava de procurar por “Música épica” no YouTube. Encontrei diversas coletâneas com músicas excelentes, inclusive já montei uma pasta com diversas delas, mas duas em especial me fizeram ficar arrepiada. Quando as ouvi, pensei imediatamente em Tarsia e toda sua trama mágica. São elas: Angels will rise – Twited Jukebox e Final hour – X Ray Dog. 
Você segue carreira apenas como escritora ou tem outra profissão? Estou literalmente começando no mercado literário. Antes de Tarsia eu havia publicado um conto chamado “Talking To The Moon” na Antologia “Portal Fantástico” organizado pela escritora Ju Lund. Pretendo levar a carreira de escritora muito a sério, mas por enquanto não dá para viver só da escrita. Sou graduanda em Letras\Inglês e pretendo seguir na área de literatura, pois é algo com que identifico muito.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Quero agradecer o convite para essa entrevista e desejar tudo de bom para o Blog. Também quero dizer que embarquem comigo nessa jornada fantástica, posso garantir que Raja, Rysa, Aisha e Liam estão ansiosos para conhecer vocês e as portas do Reino de Harmonia estão abertas, basta acreditar e o fantástico virá. E que a força do Círculo de Harmonia esteja com vocês!

Sherla M. Silva tem 19 anos e mora em Santo Antônio da Platina - PR.
Paranaense de Santo Antônio da Platina, Sherla encontrou sua vida nos livros já na primeira infância. Conforme foi crescendo seu amor pelas páginas aumentou tanto a ponto de não se contentar em apenas lê-los, precisava escrever. Nesse meio tempo surgiu Tarsia – O Reino de Harmonia e toda a magia que o cerca, sendo o primeiro livro de uma série que promete conquistar a todos que lerem. A autora é graduanda em Letras\Inglês pela UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná) e pretende fazer dos livros sua vida, em especial a Literatura Fantástica.

PARA COMPRAR "TARSIA - O REINO DE HARMONIA" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: