segunda-feira, 27 de março de 2017

PRIMEIRAS IMPRESSÕES: MAJESTADE

SINOPSE: Mariana nunca gostou muito de cavalos, mesmo vivendo em uma fazenda e tendo um pai fascinado por eles. Porém, durante uma exposição, ela acaba se encantando por um que não está à venda. Seu dono diz que o cavalo se chama Majestade e que gostaria de lhe contar uma história. A única condição é que ela acredite nele. Assim, Mariana se vê diante do que pode ser uma grande mentira ou a verdade mais fantástica. Prepare-se para conhecer o mesmo cavalo de Napoleão, de Henrique VIII, o último cavalo do Czar, a melhor montaria do Rei Arthur. Ele é perfeito. Ele é imortal. Ele é o melhor cavalo que pode existir. Só que ele não é um cavalo. Você acredita?


Título: Majestade
Autor: Malu Ghiraldeli
Gênero: Romance Fantástico
Ano: 2017
Idioma: Português
Páginas: 420
ISBN: 978-85-68255-98-0
Acabamento: Brochura

Fala galera! Hoje vamos falar sobre os capítulos iniciais do livro Majestade, da autora Malu Ghiraldeli, que está em pré-venda pela Editora Arwen. A autora deu uma entrevista para o blog falando sobre o livro e você pode conferir clicando aqui!



O livro começa mostrando Mariana (ou Amorinha, como não gosta de ser chamada), que tem 20 anos e ainda não decidiu seu rumo profissional. Mari vive no interior com sua família, é apaixonada por livros e não se vê guiando os negócios da família no futuro. Para ela é mais fácil imaginar sua pequena irmã Letícia (Leca), com 9 anos atualmente, cuidando de tudo do que ela. Numa dessas feiras com exposições de animais, seu pai insiste para ela ir procurar algum animal para chamar de seu, sugere os cavalos, mesmo Mari tendo medo deles.


— Não, não, nada disso que você está pensando. Que tal um cavalo? Cavalos são seres divinos.
— Eu sei o quanto o senhor gosta deles, mas eu tenho pavor de...

— Isso é porque você não encontrou o cavalo ideal. O seu cavalo!


Olhando os cavalos Mari se depara com Majestade e foi amor à primeira vista, digamos assim. Um cavalo branco, de olhos azuis, que a fascina. Mari fica tão “hipnotizada” pelo cavalo que resolve compra-lo, mas seu dono, Bernardo, avisa que ele não está à venda. Mari então resolve dar um emprego para ele na fazenda de seu pai, para assim ficar próxima de Majestade e talvez conquistar a “guarda definitiva” dele.




Mari parou e poderia jurar que ele a encarava nos olhos, com propriedade. A cabeça erguida mostrava que — se ainda não era — pretendia ser o dono do lugar. Era o maior cavalo da feira, o maior que Mariana já vira na vida. Tinha olhos azuis, focinho rosado e o pelo branco, impecável. A crina lhe caía selvagem até abaixo do pescoço. Algo dentro do pequeno coração ávido de Mari despertou, algo desconhecido, mas muito próximo da sensação de folhear um livro antigo, cheio de mistérios.


Quem não gostou muito da ideia foi a família de Mari, já que ela empregou um desconhecido e que não sabia nem seu nome ainda. No dia seguinte, Bernardo já estava trabalhando na fazendo e tirado a má impressão e pré-julgamento de seu pai. Bernardo era diferente dos outros “peões”, ele era culto, gostava de ler, falava vários idiomas, o que foi surpreendente para Mari.

— Dependendo do que você disser... talvez possa ser seu.
— Dependendo do que eu disser quanto a quê, exatamente?
O rapaz sorriu um sorriso cheio de mistérios.
— Do quanto você está disposta a acreditar.

Mas tanto Bernardo quanto Majestade tem um segredo. Um segredo que carregam por séculos. Uma maldição. E Majestade não é um cavalo realmente, mas o humano dentro dele está se perdendo, o que deixa Bernardo preocupado.


O que às vezes o preocupava era que Majestade antes parecia muito mais um humano aprisionado em sua maldição, mas com o passar dos anos Bernardo vinha notando que ele estava se afastando, se esquecendo de quem era por baixo do pelo branco e do corpo imponente do cavalo. O humano dentro dele estava se perdendo e Bernardo não sabia o que fazer. Como fazer pessoas acreditarem em contos de fada? Em maldições?


Bernardo está decidido a contar para Mari a verdade sobre Majestade, só não sabe como. Ele tenta começar, mas acabam sendo atrapalhados. E só um pouco do que ele disse já deixa Mari confusa e intrigada. Eles combinam então dele contar a longa história de Majestade uma parte por vez e aí começa nossa história. Quem é Majestade? Quem é Bernardo? Qual a maldição dele? Mari pode reverter isso? Bem, é o que estou louco para saber também!!!

— Por que não tenta? Uma parte por dia até chegar ao fim e então veremos se eu acredito.
Bernardo deu uma risada sem humor.
— Quem pensa que sou? Sherazade?
 — Talvez. — Ela sorriu e Bernardo sentiu que não teria opção. Majestade não tinha tempo para que ele se recusasse a contar qualquer coisa para quem quer que fosse. Suspirou.
— Vão ser muitas histórias.
— Tenho tempo.
— Espero que sim. — Ele juntou as mãos. — Então, vou te contar uma história. Precisa do "era uma vez"? — Mari balançou a cabeça negativamente — tudo bem, então.


O livro é narrado em 3ª pessoa, mas descreve com clareza os sentimentos dos personagens o que nos faz embarcar ainda mais na história. Me senti amigo dos personagens e já tenho um carinho por eles. Sentimos vontade de tocar Majestade, de conhecê-lo, te ouvir as histórias de Bernardo, de trocar figurinhas com Mari e de conhecer a fazenda da sua família.


Li os primeiros capítulos em 30 minutos de tão bom que estava, não conseguia parar de ler! E quando terminei percebi o quanto precisava saber o resto da história urgentemente! Preciso confessar que gostei muito do que li e o livro já me deixou envolvido e curioso em poucos minutos de leitura. É uma leitura bem fluída e gostosa de se ler. Me peguei rindo em alguns momentos com as tiradas dos personagens e mesmo já desconfiando do que seria o possível segredo de Majestade, a história nos cativa a ponto de querermos mais e mais.

PARA COMPRAR "MAJESTADE" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: