quarta-feira, 12 de abril de 2017

ENTREVISTA COM PEDRO IRINEU NETO, AUTOR DE DAS ÜBERHEIL

SINOPSE: Desiludido e sem perspectivas, o detetive Maia retorna de Buenos Aires para o Rio de Janeiro, onde encontra um velho companheiro de faculdade, que o ensina a se tornar detetive particular, revelando adultérios em troca de dinheiro. Ao investigar o casamento de uma famosa atriz estrangeira com um negro pobre e completamente desconhecido, o detetive termina se envolvendo em uma trama articulada, durante a Segunda Guerra Mundial, para mudar o jogo de forças políticas do Brasil, através de alianças poderosas e até mesmo impensáveis que, aproveitando-se das ideias de superioridade racial para mascarar suas reais intenções, arquitetam um plano denominado de Das Überheil. Sendo involuntariamente jogado contra essa aliança, em razão de um suposto sequestro dessa atriz estrangeira, o detetive Maia inicia uma jornada que, a cada passo, vai lhe demonstrando, mesmo com dúvidas e frustações, que o amor e a perspectiva de uma família representam forças capazes o suficiente para enfrentar o poderio de qualquer aliança que pretenda mudar os rumos da História Brasileira ao custo de muitas vidas.


Como surgiu a ideia de escrever “Das Überheil”? Surgiu como maneira de dar coerência as impressões aleatórias da vida, transformadas em imaginação, e em seguida em estória. Bem, a ideia surgiu porque eu gosto de escrever e inventar estórias, eu sempre quis escrever um romance envolvido em acontecimentos e personagens históricos.

Quanto tempo demorou para escrever “Das Überheil”? 3 anos, mais ou menos e ainda nem está pronto.

O que o leitor pode esperar de “Das Überheil”? Um livro de 606 páginas, com uma capa linda. A verdade é que não gosto de dizer o que o leitor deve esperar de um livro. Surpreender-se é ainda uma das melhores coisas da vida.

Quais os seus autores favoritos? Eles de alguma maneira te influenciaram? Sempre o que estou lendo ou o que acabei de ler,  desde que tenha gostado do livro porque ter o sabor de uma amizade nova. Tentei ficar amigo de Nietzche mês passado, lendo Assim falou Zaratustra, mas não funcionou tanto assim. Achei-o incompreensível demais para minha vã filosofia, em alguns momentos. A vida é a minha maior influência, e há certos autores que fizeram parte da minha vida, então sim, eles me influenciaram. Adoro o estilo do Bruxo do Cosme Velho, a prosa simples, gostosa, e sem afetação de José Lins do Rego, o tom mórbido de  Edgar Allan Poe, entre outros.

Se “Das Überheil” pudesse ter uma trilha sonora, qual música você escolheria? Uma trilha sonora só com MPB.
Deixe uma mensagem para os nossos leitores: Curtam, comentem e compartilhem meu livro. Publiquem fotos dele ou de trechos dele no Instagram e me marquem. Adoro essa interação por redes sociais e saber o que as pessoas acharam do meu livro.

Pedro Irineu Neto tem 28 anos e mora em Recife - PE.

PARA LER "DAS ÜBERHEIL" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: