terça-feira, 11 de abril de 2017

RESENHA DO LEITOR: ESPADA DE VIDRO

SINOPSE: O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.


ATENÇÃO: Essa resenha pode conter spoilers de A Rainha Vermelha.
Para ler a resenha que fizemos sobre o Livro 1 clique aqui!

Na resenha de hoje eu vou falar um pouco sobre o livro Espada de Vidro, em que Mare Barrow continua a história que começou em A Rainha Vermelha. Se no primeiro livro nós fomos levados a um mundo de palácios de diamantes e vestidos de cetim, nessa continuação nós estamos no coração da guerra. Cansados de serem explorados por deuses prateados, vermelhos de toda Norta estão se juntando a Guarda Escarlate, um grupo de rebeldes que deseja tomar o poder. Mare já aprendeu que não pode confiar em ninguém, mas Shade, o irmão que ela pensou ter perdido para guerra, se juntou a Guarda e, além disso, ele revela ser como ela, uma mistura de vermelho e prateado com poderes capazes de levá-los a qualquer lugar. Unidos pelo desejo de vingança ela e Cal se unem a causa da Guarda Escarlate para destruir um inimigo em comum. Maven que antes aparentava ser um menino doce e amável se revela um mostro que agora domina o país.


— Os prateados pensam que estão dois passos à nossa frente, mas eles nem sabem onde estamos. ­— Shade continua com a voz cheia de fervor. —Parecemos fracos porque queremos.

Apesar da aliança instável entre Mare e a Guarda, ela tem seus próprios planos. Há um exercito de Sangue Novos como ela espalhados pelo país com o sangue vermelho e com poderes que nenhum dos prateados entende. O plano de Mare é sair atrás desse exercito, porque ela sabe que essa é a única maneira dos vermelhos terem uma chance na guerra que está começando. Cercada pela família e por aliados, ela começa a arquitetar um plano para sair em busca dos Sangue Novos o mais rápido possível, já que Maven também sabe da existência deles e está liderando uma caçada ao redor do país. Apesar de estar em um ambiente seguro, a menininha elétrica se vê mais uma vez em uma teia de armadinhas e acaba sendo presa por elas. 


Agora é a minha vez de esmurrar a janela, mirando socos na cabeça de Kilorn. Mas acerto vidro, não carne e ouço apenas o estalar dos meus próprios ossos. [...] e o meu sangue se une ao de Cal através do vidro. Vermelho escorre sobre o prateado e ambos se misturam numa cor mais escura. 

Depois de conseguir escapar do acampamento da Guarda Escarlate levando com ela um jato e seus aliados, Mare segue seu plano e sai a procura de outros Sangue Novos como ela. Mas essa não é nem de longe uma tarefa fácil, o país está a procura da Garota Elétrica e do Príncipe Exilado, acusados por Maven de terrorismo e assassinato. Em um campo minado armado especialmente para ela Mare corre contra o tempo para salvar os Sangue Novos enquanto luta contra seu coração. Ela sabe que a única coisa que a liga a Cal é a vingança e apesar disso ela não consegue convencer seu coração a pensar da mesma forma.


Preciso manter meus olhos adiante, longe do fogo de um príncipe caído. Preciso resfriar meu coração para única pessoa capaz de fazê-lo arder.

Com seu exército pronto Mare precisa lutar agora contra o seu maior medo. Ela sabe que para Maven ela é uma espécie de troféu, algo que seu irmão sempre quis e ele conseguiu e devido a isso ela é valiosa demais para ser morta na guerra. Uma parte dela ainda acredita no príncipe que era a sombra do irmão, negligenciado pelo pai e manipulado pela mãe e ela ainda ama aquele príncipe. Ela aprende de maneira mais difícil que o Maven que ela conheceu nunca existiu e quando ele começa a matar os Sangue Novos para que ela se entregue, ela sente um aperto no coração apesar de saber que se entregar não é uma opção. Há coisas demais em risco, o problema é que o rei mimado que senta no trono não está disposto a desistir e ele sabe muito bem como jogar com o coração da garota elétrica.


Farei qualquer coisa para manter Cal vivo. Para mantê-lo comigo. Para não ficar sozinha. [...] Não vou voltar para ele por ninguém. Eu disse a Cal uma vez depois de sobreviver ao sonador, mas eu estava errada.
 — Deixe o resto ir e eu serei sua prisioneira. Vou me render. Vou voltar.

Com uma narrativa deliciosa e um final desesperador Espada de Vidro segue com a mesma narrativa audaciosa e hipnotizante do primeiro livro. Cheio de intrigas, mistério, jogos político e traições - é claro - ele não deixa a desejar como continuação e nos faz ficar com aquele gostinho de quero mais que espero satisfazer com o terceiro volume A Prisão do Rei, que foi lançado no mês passado.



VITAMINAS:




RESENHA ESCRITA POR: CAROLINA SIQUEIRA
Carol Siqueira, 20 anos, é estudante de Odontologia pela Universidade Positivo e quando não está deixado o sorriso das pessoas mais bonito, ela passa seu tempo lendo histórias sobre criaturas mágicas, que eventualmente se apaixonam, ou escrevendo algum resumo bobo na varanda de sua casa e não perde a oportunidade de adicionar mais um livro a sua coleção de preferidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: