segunda-feira, 22 de maio de 2017

ENTREVISTA COM GABRIEL DIAS, AUTOR DE O ERRANTE

SINOPSE: Até onde você iria por alguém que você ama? Nos confins de um lugar hostil e esquecido pelo tempo, um homem solitário parte em uma jornada sem esperanças a fim de recuperar sua amada. Sozinho e abandonado, o Cavaleiro enfrenta a fome, sede e falta de saber, sendo forçado a confiar em seres desconhecidos, ele se vê no meio de uma difícil missão que o levará a lutar com todas as suas forças para evitar que sua amada seja perdida.


Como surgiu a ideia de escrever "O Errante"? Eu nunca tive um sonho ou ideia milagrosa que me desse o conceito pronto de um livro, ''O Errante'' surgiu de uma necessidade, necessidade de falar sobre certos temas, de expor novos conceitos e iniciar minha carreira. Eu queria mostrar um ambiente de solidão e isolação quase completa e como o esquecimento pode ser pior que a morte A partir disso, eu comecei a refinar o conceito inicial, após dois dias eu já havia começado a escrever.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? O texto inicial um mês, após começar a escrita eu parti para o roteiro, e quando o mesmo estava pronto eu tinha total noção da direção a seguir. O roteiro era algo bem simples, a maior parte de ''O Errante'' foi trabalhada em minha mente e posta diretamente para a escrita de fato, eu já havia escrito dois romances antes (não publicados), então foi um processo bem profissional, eu não fiquei esperando por inspiração ou algo do tipo, apenas me sentava e escrevia. Demorou mais um mês para que eu acertasse a trama escrita.

O que o leitor pode esperar de "O Errante"? Ser confundido. O maior mérito de "O Errante" é ser o que não parece ser, os conceitos apresentados no longo início são facilmente desfeitos pelas conclusões do breve fim, junto a isso, uma carga dramática forte que, com certeza, despertara sentimentos diversos para cada pessoa.


Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? H. P. Lovecraft. Ele me mostrou que a fantasia e ficção científica podiam ser maiores e mais complexas que as noções saudosistas dos Romancistas. Sim, sem dúvidas, qualquer um que tenha lido algo de Lovecraft será capaz de encontrar inspirações diretas dele em ''O Errante'', principalmente na forma que certas coisas não são descritas.

Se "O Errante" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Essa é obscura. Ao fim do jogo ''Ico'' (2001) enquanto os créditos de uma história extremamente dramática estão passando, ''You Were There'' de Michiru Ōshima toca pela primeira vez, você entende que é uma musica que não pode ser esquecida. Eu escutei a trilha sonora de ''Ico'' durante toda a escrita, e ''You Were There'' é a música perfeita para confortar o leitor que passou por tempos difíceis junto ao protagonista.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Apenas escrevo.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Eu desejo que ''O Errante'' seja lido por qualquer um que seja, sendo uma história que trata de temas universais e medos comuns, ela será tida como querida e guardada como inesquecível para os que derem uma chance a mesma. Eu anseio realmente que cada leitor aprecie a leitura como eu apreciei a escrita, da melhor forma possível.

Gabriel Dias tem 19 anos e mora em Jundiaí - SP.

PARA LER "O ERRANTE" CLIQUE AQUI!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: