terça-feira, 13 de junho de 2017

RESENHA DO LEITOR: SONHOS PARTIDOS

SINOPSE: Baton Rouge, capital do estado da Louisiana, nos Estados Unidos, é uma cidade conhecida por seus churrascos no jardim, tardes quentes de verão, barris de cerveja gelada e muitos fãs de futebol americano. Mas no verão de 1989, quando Lindy Simpson, uma das garotas mais bonitas do bairro e estrela das pistas de corrida, é estuprada perto de casa, fica claro que os subúrbios bucólicos de Baton Rouge também têm um lado obscuro. Para uma vizinhança tão pequena, os suspeitos do crime são muitos. Entre eles o narrador da história, um adolescente obcecado por Lindy que mora na casa em frente à da garota. E é por meio de suas lembranças que somos levados a entender como términos de relacionamentos, culpa e amor podem transformar a vida de maneiras irreversíveis. Combinando o encantamento da infância com a história de um crime violento, em uma prosa perturbadoramente bela, M. O. Walsh analisa os momentos do passado que afetam de forma mais profunda a vida adulta. Uma estreia excepcional que combina suspense com reflexões filosóficas sobre memória, humanidade e verdade.


Oi minha gente! Vamos de resenha do livro Sonhos Partidos, que é o primeiro livro do autor M. O Walsh, e está na minha “fila” desde o ano passado, but, fui lê-lo recentemente, porque né, a lista só aumenta a cada dia, não sei o porquê. Sonhos Partidos é um livro muito denso e ao mesmo passo cativante, tornando-se uma leitura viciante. A história completa gira em torno de um crime, um estupro a uma adolescente, o que acaba chocando todos em seu bairro. A narrativa é sobre Baton Rouge, capital do estado da Louisiana e mais particularmente tudo acontece na Pinney Creak Road, de vizinhança calma, todos se conhecem e há uma convivência muito boa. Um dos suspeitos é quem narra os acontecimentos de sua vida e também do crime.


Talvez esse título seja dúbio, tanto para a vítima do estupro quanto para o narrador, pois contando a sua história de não ser o garoto popular ou por não ter tantos amigos na escola, a relação com os pais que são separados, também mostra um sonho partido, o sonho de ter uma família “normal”, diga-se de passagem. De ainda ter o pai em casa e ensiná-lo a ser um bom homem, ser paparicado pelas irmãs mais velhas, ter vivido o amor de sua infância – que seria perfeito, são muitas possibilidades do que não aconteceu em sua vida. 1989 era verão quando aconteceu o crime, Lindy fora estuprada, bem próximo a sua casa, tudo indica que em sua rua mesmo, a policia começou sua investigação e alguns dos meninos do bairro foram considerados suspeitos deste horror. Lindy é uma menina que sempre chamou a atenção de praticamente todos os meninos da rua e da escola e vamos dizer que ela sempre mexeu com a imaginação desses meninos. Alguns deles são narrados quase como pervertidos, por terem contato com pornografia de uma forma muito latente.


O narrador (vamos chamá-lo assim, porque acredito que o nome dele não é mencionado no livro) não se torna um garoto problemático, mas claro, que como todo jovem exige cuidados de seus pais. Há um período de semi-rebeldia, roupas pretas, música pesada e isolamento, tudo para se aproximar mais de Lindy, seu amor de infância. Uma parte interessante e triste é a lembrança do período em que o furacão Katrina destruiu a cidade de Nova Orleans, conhecidíssima por ser a cidade do jazz, fazendo com que parte da população migrasse para outras partes do estado, sendo Baton Rouge um desses destinos e em como os costumes eram diferentes. Mas a necessidade de sobrevivência se tornou maior do que qualquer diferença naquele momento.


Não consigo classificar este livro com apenas um estilo, ele vai de romance, suspense e até drama, e, conforme avançam os capítulos, o narrador dá seu toque as histórias, as suas lembranças de infância, adolescência, todos os seus medos, angustias. Hoje ele é adulto e lembra com grande nitidez os acontecimentos de sua vida, a história se divide entre presente e passado. E em como esse crime marcou a sua vida e ainda tem marcas desse passado atualmente, quase um tormento pensar num crime após tantos anos não é mesmo? Leitura viciante! Sabe quando você quer saber o desfecho, mas não quer que a história acabe? Pois é, foi esse sentimento que tive. O livro não é cansativo, é muito interessante e me prendeu logo no início, espero que vocês gostem! Ótima leitura. Até a próxima!!!



VITAMINAS:



RESENHA ESCRITA POR: GREISI SILVA
28 anos, administradora e artesã nas horas vagas, apaixonada por leitura e artes, não vivo sem música, poesia e cinema. Descobri que viajar é preciso e comer pipoca é fundamental para se ter boas ideias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: