terça-feira, 4 de julho de 2017

RESENHA DO LEITOR: TRONO DE VIDRO

SINOPSE: Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.


Nas celas de Endovier, a perigosa assassina Celaena Sardothien foi trancafiada para pagar por seus crimes. Depois de uma vida de matança ela finalmente foi pega e trabalha nas minas de sal de seu país, pelo menos ate o príncipe de Adarlan aparecer. O príncipe propõe um trato para a assassina, se aceitar ela terá que participar de uma competição para se tornar a próxima campeã do rei e depois de cinco anos na função ela ganhará sua liberdade. Caso o contrario, ela permanecerá na prisão até a morte. Como acredita que não tenha nada a perder, Celaena aceita a proposta e vai para o castelo competir com os outros concorrentes pelo posto. Na companhia de Chaol, capitão da guarda, a assassina tenta voltar a forma a tempo da competição começar. Como uma criminosa condenada, Celaena não pode revelar sua verdadeira identidade no palácio, então ela assume a personalidade de Lady Lillian e luta nas duas frentes. Com espadas em seus treinos e com sorrisos enquanto tenta escapar das artimanhas da realeza.


Era besteira, claro. Quão difícil seria para ela superar os competidores em inteligência e habilidade e então acabar com eles? Celaena só não sorriu porque sabia que, se o fizesse, aquilo a abriria para um universo de esperanças que há muito se fechara. Mesmo assim, sentiu vontade de pegar o príncipe e sair dançando pelo salão. 

Enquanto se prepara para o torneio que pode garantir sua liberdade, estranhos assassinatos começam a acontecer no palácio. Os outros concorrentes da competição estão sendo mirados e parece que algum tipo de magia está sendo usada para cometer os assassinatos. Mas em Adarlan a magia foi banida desde que o novo rei tomou o trono. Todos os tipos de criaturas mágicas foram exterminadas e a magia foi extinta, então, se isso é mesmo verdade, como esses assassinatos estão acontecendo? Isso é o que Celaena precisa descobrir se quiser sobreviver tempo o suficiente para ganhar a competição para o cargo de campeã do rei. Para desvendar esse mistério, porém, ela vai ter que revirar seu passado e procurar pistas em memórias que ela passou anos tentando esconder, isso sem falar na luta constante para manter seu ódio pelo rei muito bem oculto. Não sabemos exatamente o porquê, mas Celaena prometeu que mataria o rei por vingança e ela está disposta a fazer isso assim que descobrir como completar a tarefa sem ser trancafiada de novo nas masmorras de Endovier. 


Acidentalmente, o olhar de Celaena deslizou até o rosto do rei e ela viu que os olhos castanhos dele a encaravam. Ele devia ser enforcado. Tinha matado muito mais que ela, pessoas inocentes e indefesas. Tinha destruído culturas, destruído conhecimento imensurável, destruído tanto do que um dia fora alegre e bom.  

Como nós não podemos deixar passar um pouco de romance nos nossos adorados livros de fantasia, Celaena acaba ficando dividida entre o capitão da guarda Chaol e o príncipe herdeiro de Arladan, Dorian. Nenhuma das duas relações parece ter muito futuro para Celaena já que um é filho do rei, que por sinal é seu pior inimigo e o outro é igualmente fiel a ele. Isso sem falar que qualquer escolha da parte dela acabaria com a amizade que o príncipe e o capitão da guarda cultivaram por anos. A garota procura ignorar seus sentimentos pelos dois o máximo que pode enquanto se foca em seu principal objetivo e treina incessantemente pelo desafio que está por vir. Com a vida no castelo ficando cada dia mais perigosa por causa dos assassinatos a competição fica cada vez mais acirrada e quando a situação se coloca entre a vida e a morte o destino de Celaena pode estar nas mão da magia que ela renunciou por tanto tempo. 


A luz do sol desapareceu, a sanguínea tomou controle da mente de Celaena mais uma vez, e a assassina se viu diante de um exército de mortos-vivos. A silhueta de Cain levantou o braço e jogou seu amuleto no chão. E as criaturas avançaram na direção de Celaena.

Apesar da profissão macabra da personagem principal, a historia é cheia de humor o que alivia um pouco da trama negra e repleta do desejo por vingança, as cenas de romances são raras, mas quando acontecem são lindas e marcantes sem exagerar demais dando asas a sentimentos que ainda não tiveram tempo para serem explorados. Eu adoro o fato do livro ser narrado por vários pontos de vista diferentes, já que isso torna quase impossível não amar todos os personagem, além de nós dar uma visão mais ampla da história. Não é a toa que a série Trono de Vidro faz tanto sucesso, os livros não deixam nenhum pouco a desejar. 


VITAMINAS:


RESENHA ESCRITA POR: CAROLINA SIQUEIRA
Carol Siqueira, 20 anos, é estudante de Odontologia pela Universidade Positivo e quando não está deixado o sorriso das pessoas mais bonito, ela passa seu tempo lendo histórias sobre criaturas mágicas, que eventualmente se apaixonam, ou escrevendo algum resumo bobo na varanda de sua casa e não perde a oportunidade de adicionar mais um livro a sua coleção de preferidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: