sábado, 20 de janeiro de 2018

ENTREVISTA COM GUSTAVO LOPES, AUTOR DE O INOMINÁVEL

SINOPSE: Um grupo de amigos, estudantes do ensino médio, encontram um livro, jamais visto até então na biblioteca de sua escola, e resolvem provar a veracidade de seu conteúdo, instruções para um ritual aparentemente inofensivo e extremamente tentador. Motivados por um histórico de bullying e a promessa de um fim definitivo para os seus problemas, Andreia, Augusto “Bolinha”, Davi e Thalita partem em uma jornada sem retorno, rumo à escuridão inominável que habita em seus corações.


Como surgiu a ideia de escrever “O Inominável”? A ideia surgiu de uma sinopse que escrevi para um concurso literário, algo que fiz sem compromisso na época. Em menos de um mês eu já tinha as linhas gerais do livro, os temas que gostaria de abordar, os personagens e o formato que gostaria de experimentar com a narrativa.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Em torno de três meses, desde a concepção até a publicação. Dentro desse período, pelo menos um mês escrevendo, produzindo apenas algumas páginas do livro por dia, bem abaixo da minha média produtiva, e um mês revisando em conjunto com uma grande amiga e leitora ávida.

O que o leitor pode esperar de “O Inominável”? Uma leitura rápida e fluida, um relato para se ler em poucas horas. A história é baseada em fatos, adequados para o universo ficcional que criei para minhas obras. Aborda assuntos nostálgicos para quem já saiu da escola e atuais para os que ainda estudam, mas mantendo um tom mais adulto na narração. Aos amantes de um bom rock, reservo algumas referências musicais.

Qual autor ou autora é seu preferido? Autor favorito é algo que está sempre em constante mudança para mim. Difícil falar apenas um. Não significa que os outros que já mencionei em outros momentos como favoritos deixaram de ser, mas em minha referência atual, os autores são William Hjortsberg, Walter Tevis, Thomas Harris, Chuck Palahniuk, M.R.Terci e Aislan Coulter.

Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Sim, cada um deles me inspiram a escrever de diferentes formas, mas a qualidade da escrita sem dúvida é um ponto comum entre eles.

Se “O Inominável” pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? O Inominável é carregado de referências musicais diretas e indiretas, uma por capítulo pelo menos. Mas citando a mais intensa delas, Pink Floyd - Eclipse, do álbum Dark Side of the Moon.
Você segue carreira apenas como escritor ou tem outra profissão? Hoje atuo na área de TI. Gostaria de viver apenas da escrita, mas este ainda é um longo caminho.

Deixe uma mensagem para nossos leitores: Convido todos que chegaram até o fim desta entrevista a ler o relato de Thalita em "O Inominável". O livro está disponível gratuitamente nas plataformas Wattpad, Luvbook e Sweek, além de um PDF que pode ser baixado em meu site: https://www.gustavolopes.net.br Espero que gostem e um grande abraço!

Gustavo Lopes tem 28 anos e mora em São Bernardo do Campo - SP.

Links do livro:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente com o Facebook: