quarta-feira, 30 de maio de 2018

ENTREVISTA COM WELLINGTON BUDIM, AUTOR DE TEU PECADO

SINOPSE: Uma garota que foi assassinada de forma brutal é encontrada boiando no lago do parque do Ibirapuera. As investigações levam os oficiais de justiça a acreditarem que estão diante do crime perfeito, até que uma pequena prova é encontrada durante a autópsia. Um papel com uma letra e dois números: R67. A garota é Amanda Fortes, uma stripper do Babylon Night Club, e seu assassinato se torna uma incógnita nas mãos da polícia. Enquanto as investigações prosseguem, as pessoas que a conheciam tentam entender quais motivos alguém teria para fazer algo tão hediondo com a garota e, então, segredos de um passado não tão distante começam a vir à tona, fazendo com que mais mentiras sejam contadas. Ninguém é tão inocente quanto aparenta ser, e o assassino de Amanda sabe disso. Qual terá sido o seu pecado? Teu pecado é o livro de estreia de Wellington Budim e promete prender o leitor do começo ao fim neste suspense policial.


Como surgiu a ideia de escrever "Teu Pecado"? Sempre gostei de escrever, mas não sentia confiança para mostrar a alguém. Então um dia eu tomei coragem e disse: Está na hora de publicar o meu livro. E como as minhas histórias anteriores eram grandes demais, resolvi começar do nada. Um livro novo e com uma quantidade menor de páginas (o que não aconteceu no final rs). A ideia surgiu de repente. Eu estava indo para o trabalho e pensando sobre o que poderia escrever. Então pensei em algumas situações vividas, onde sempre tinha alguém apontando o defeito do outro sem antes olhar para o seu. Daí surgiu “Teu Pecado.” (O “Teu” no título foi proposital, para passar essa ideia de egoísmo, de apontamento). Foi uma sucessão de informações surgindo todas ao mesmo tempo. Em questão de minutos eu tinha em minha mente o título do livro, os personagens principais e todo o enredo; a história de um Serial Killer que condenava e cobrava o erro das pessoas sem ao menos levar em conta que ele também errava. E errava de uma forma até mais grave do que suas vítimas, eu diria.

Quanto tempo demorou para a história ficar pronta? Entre o planejamento e a conclusão foram quatro anos. Porque eu tive alguns impasses no meio do caminho que me fizeram abandonar a escrita por certo tempo. Fiz o esboço, escrevi cerca de dez capítulos e parei. Escrevia um ou outro quando sobrava tempo e quando decidi que era a hora de terminar, demorei cerca de cinco meses para escrever os trinta e três capítulos restantes.

O que o leitor pode esperar de "Teu Pecado"? Um enredo forte. Com personagens marcantes e uma trama cercada por muitos segredos e reviravoltas, onde todos são vítimas e ao mesmo tempo todos são culpados. O suspense está presente do prólogo até o último capítulo, como também está presente muitos mistérios que farão com que o leitor fique com a chamada “pulga atrás da orelha.” O que me chama a atenção em “Teu Pecado” e acho que vai chamar a do leitor também é que os personagens são muito humanos. Riem, choram, amam, odeiam, cometem erros e pecados como todos nós. Até mesmo os vilões acabam tendo seus momentos de heroísmo. Afinal ninguém é vilão ou herói o tempo todo, não é mesmo? Costumo dizer que todas as pessoas possuem o seu lado 50% bom e 50% mau. Cabe a cada um escolher em qual deles quer se manter a maioria do tempo. Aqui, os personagens são pessoas que poderíamos encontrar no trabalho, no shopping ou até mesmo na esquina da nossa rua. A diferença é que a maioria deles escolheram caminhos errados no passado e um belo dia, são confrontados pelas consequências dessas escolhas.

Qual autor ou autora é seu preferido? Eles de alguma maneira te inspiraram a escrever? Tenho bastantes autores ocupando um lugar em minha estante, mas há um em especial que eu lia ainda moleque, e que tive a oportunidade de ler e reler toda a sua obra; Sidney Sheldon. Certamente ele foi o incentivo que eu precisava para começar a construir minhas próprias histórias.

Se "Teu Pecado" pudesse ter uma trilha sonora qual música você escolheria? Na verdade existem duas músicas que seriam indispensáveis na trilha sonora. Aliás, elas são citadas no decorrer da história. A primeira é o noturno em mi bemol menor op.9 nº2 de Chopin que é a música preferida do assassino.  E a segunda é My Sacrifice do Creed, citada pelos personagens da boate Babylon Night Club. Eu precisei ouvir muitas vezes enquanto criava as cenas.
Deixe uma mensagem para nossos leitores: Querido leitor, espero que a leitura seja a você tão prazerosa quanto foi para mim ao escrever esta história. E que devorar insaciavelmente este livro seja o seu único pecado.

6 comentários:

  1. Interessante! Já estou ansioso por ler. Essa entrevista despertou em mim a "cobiça" pelo livro! Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro promete muito! Também estamos ansiosos para ler!

      Excluir
  2. Realmente,é um livro muito interessante, já amei.

    ResponderExcluir
  3. Confesso que estou curiosa pra ler o livro,ele promete me manter dentro do livro até o final....

    ResponderExcluir

Comente com o Facebook: